O sistema aéreo não tripulado ATLANTE da Cassidian, após seu primeiro voo na Espanha. (Foto: Cassidian)
O sistema aéreo não tripulado ATLANTE da Cassidian, após seu primeiro voo na Espanha. (Foto: Cassidian)

A Cassidian realizou hoje com sucesso o primeiro voo do Sistema Aéreo Não Tripulado (UAS) ATLANTE. O voo ocorreu no aeródromo Rozas, em Castro de Rey, Lugo, na Espanha.

Depois de ter determinado o interesse da indústria espanhola no UAS, o programa ATLANTE foi lançado pelo Centro Espanhol de Desenvolvimento Tecnológico Industrial (Centro para el Desarrollo Tecnológico Industrial – CDTI), que atuou como gerente de programa da indústria de aviação, com o objetivo de promover o desenvolvimento deste tipo de tecnologia por meio de um projeto realizado inteiramente na Espanha.

O ATLANTE é agora a mais importante iniciativa industrial e tecnológica na Espanha no setor de UAS. A Cassidian está participando do programa como uma força motriz por trás do modelo industrial, com três parceiros de alta tecnologia fornecendo capital de risco (Indra, GMV e Aries). Mais de 140 subcontratados e fornecedores espanhóis também estão cooperando no programa, gerando mais de 500 postos de trabalho qualificados.

A UAS ATLANTE está equipado com uma tecnologia de última geração (automação, sensores, sistemas de proteção, etc) desenvolvidos pela indústria espanhola, e foi concebido de acordo com os padrões utilizados para aviões tripulados. Isto lhe oferece características únicas em termos de aeronavegabilidade e de certificação, que lhe permitam operar no espaço aéreo civil, ao contrário dos sistemas atuais que estão limitados a operações em cenários de conflito (por exemplo, o Afeganistão). Esta capacidade, juntamente com a sua flexibilidade operacional – de acordo com as necessidades do cliente espanhol – fazem do ATLANTE o primeiro UAS tático capaz de realizar ambas as missões civis e militares, bem como a vigilância urbana e rural, busca e salvamento, ajuda em desastres naturais, incêndios florestais, acompanhamento de eventos esportivos, etc, e podendo operar a partir de pistas preparadas ou sendo lançado de catapultas.

Pilar Albiac Murillo, diretor de operações da Cassidian e CEO da Cassidian Espanha, disse: “Hoje é um dia muito especial para Cassidian e para indústria espanhola. O primeiro voo do ATLANTE é um marco que demonstra a nossa capacidade tecnológica e humana no desenvolvimento do programa. Nós temos a melhor equipe necessária para assegurar que o ATLANTE será um sucesso no mercado de exportação nos próximos anos.”

Enhanced by Zemanta
Anúncios

7 COMENTÁRIOS

  1. Ué, a Espanha não está em crise?
    E ainda desenvolvem um Vant ?
    Não seria melhor comprar um dos tipos existentes, maduros, testados e aprovados?
    Creio que essa seja a resposta:

    "Pilar Albiac Murillo, diretor de operações da Cassidian e CEO da Cassidian Espanha, disse: “Hoje é um dia muito especial para Cassidian e para indústria espanhola. O primeiro voo do ATLANTE é um marco que demonstra a nossa capacidade tecnológica e humana no desenvolvimento do programa. Nós temos a melhor equipe necessária para assegurar que o ATLANTE será um sucesso no mercado de exportação nos próximos anos.”

    • Dependendo do preço e qualidade, pode mesmo ser um sucesso na exportação, afinal de contas, não é porque eles estão em uma crise que devem parar todos os projetos, para sair do buraco tem que trabalhar mesmo!

    • Que fique claro que não estou desmerecendo nosso produto, apenas, analisando esteticamente…

      • Vale aquele ditado antigo: "Beleza não se põe a mesa"
        Acho que vou para a guerra de smoking, gravata borboleta, sapato cromo alemão, relógio de bolso todo trabalhado em ouro e pedras preciosas, mais uma bengala de puro marfim encimada por um belo diamante, lenço de seda chinesa…
        kkkkkkkkkkkkkk

Comments are closed.