NB-36H #01…que entre 1946 e 1961, a Força Aérea dos EUA e a Comissão de Energia Atômica gastaram mais de US$ 7 bi tentando desenvolver um avião movido a energia nuclear?

Embora nenhum avião jamais tenha voado sob a propulsão atômica, a USAF converteu um bombardeiro B-36 para realizar um voo impulsionado por um reator refrigerado a ar desenvolvendo três megawatts, para avaliar os problemas operacionais.

NB-36H #02

O B-36 nuclear fez 47 voos entre julho de 1955 e Março de 1957. O NB-36H levava o reator em seu compartimento de bombas a ré e incorporou uma nova seção do nariz, que abrigava uma compartimento blindado para a tripulação com até 30 cm de espessura e janelas de vidro com chumbo. O novo nariz do avião pesava 12 toneladas.

Uma idéia para uma aeronave de propulsão nuclear totalmente operacional envolvia o uso de módulos de reatores destacáveis que poderia ser substituído quando necessário. Nesta concepção artistica, os pilotos ficavam na parte da seção da cauda, aonde numa emergência, poderia ser descartada.
Uma idéia para uma aeronave de propulsão nuclear totalmente operacional envolvia o uso de módulos de reatores destacáveis que poderia ser substituído quando necessário. Nesta concepção artistica, os pilotos ficavam na parte da seção da cauda, aonde numa emergência, poderia ser descartada.

Bolsões de água na fuselagem e atrás do compartimento da tripulação também absorviam a radiação, mas devido as restrições de peso, nada foi feito para proteger as emissões consideráveis a partir da parte superior, inferior e laterais do reator.

Anúncios

37 COMENTÁRIOS

  1. quem mais se beneficiou desse projeto foi a marinha dos EUA, quem no embalo criou seu programa de submarinos nucleares

Comments are closed.