Airbus A320 da Cham Wings Airlines, em foto meramente ilustrativa.

Um Airbus A320-200 da Cham Wings Airlines foi forçado a fazer um pouso de emergência com medo de ser alvo da defesa antiaérea da Síria.

A aeronave, prefixo YK-BAB, realizava o voo 6Q-514 de Al-Najaf, Iraque, para Damasco, Síria, com 172 pessoas a bordo. A Cham Wings Airlines é uma companhia aérea regional síria com sede em Damasco. Opera uma frota de quatro Airbus A320-200s.

Quando o voo estava chegando ao seu destino, quatro caças israelenses do F-16 dispararam vários mísseis contra alvos localizados nos arredores de Damasco, sem entrar no espaço aéreo sírio. Temendo que o avião pudesse ser alvejado por sistemas antiaéreos sírios que estavam prestes a retaliar, um controlador de tráfego aéreo da Síria aconselhou a tripulação a desviar. A aeronave fez um pouso de emergência na Base Aérea de Khmeimim, controlada pelos militares russos, no noroeste da Síria.

Em 2015, no contexto da guerra civil síria, a Rússia recebeu terras adjacentes ao Aeroporto Internacional Bassel Al-Assad, em Latakia, para construir a Base Aérea de Khmeimim. Desde então, tem sido a principal base de operações da presença permanente russa na Síria.

O Ministério da Defesa russo acusou Israel de usar o voo comercial como escudo para escapar do contra-ataque sírio. Essa acusação não tem precedentes, pois acredita-se que a Rússia já tenha perdido um avião em uma manobra semelhante.

Em 17 de setembro de 2018, uma aeronave russa de reconhecimento de inteligência eletrônica Ilyushin Il-20 (ELINT) desapareceu a 35 quilômetros da costa síria na noite de 17 de setembro de 2018. Quinze militares estavam a bordo, todos morreram.

O avião havia sido abatido por um sistema de mísseis terra-ar S-200 de longo alcance, fabricado na Rússia, operado pelas forças armadas sírias. Na época, o Ministério da Defesa russo também culpou os F-16 israelenses que estavam realizando um ataque aéreo nas instalações químicas sírias na zona industrial de Latakia de usar a aeronave Il-20, que possui uma superfície refletora efetiva maior que a de o F-16, como escudo.

Depois de culpar inicialmente a França e Israel pelo desaparecimento de um avião russo Ilyushin Il-20, Moscou finalmente admitiu que foi derrubado por um sistema de defesa sírio. Mas a Rússia ainda culpa Israel por seus ataques aéreos que levaram a “uma situação perigosa para outras aeronaves e embarcações na região”.

Mais recentemente, o voo PS752 da Ukraine International Airlines foi atingido por um míssil de um sistema terra-ar Tor-M1 perto de Teerã, no Irã, matando 176 pessoas em 8 de janeiro de 2020. Um operador da Guarda Revolucionária Iraniana (IRGC), estacionado em Bid Kaneh, supostamente confundiu o Boeing 737-800 com um míssil de cruzeiro.

Anúncios