A Força Aérea da Índia (IAF) também estaria estocando mísseis e munições na fronteira para conter o suposto aumento de caças F-16 no Paquistão na região, à medida que aumentam as tensões entre os rivais regionais.

Manter as patrulhas aéreas ao longo das fronteiras com o Paquistão está afetando a vida útil da munição da Força Aérea Indiana.

“Esses mísseis têm uma certa vida”, disse uma importante fonte do governo ao jornal Economic Times. “A vida do míssil depende do número de surtidas que estão sendo realizadas. Por isso precisamos nos reabastecer de novos”.

F-16BM do Paquistão

Enquanto a Índia analisa a aquisição de armas adicionais para seus pilotos, o Paquistão teria deslocado mais jatos F-16 para a fronteira. Enquanto o Economic Times afirma que Islamabad havia movido “todos os seus F-16”, a Zee News informou que o Paquistão ativou um esquadrão adicional na base aérea de Mushaf. A nova unidade auxiliará outro esquadrão de F-16 da Força Aérea do Paquistão (PAF) que já serve na base.

Nova Delhi afirma que o uso pelo Paquistão de jatos F-16 fabricados nos EUA contra a Índia viola potencialmente os termos do acordo de venda entre os EUA e o Paquistão. Até agora, Islamabad ainda não confirmou nenhuma implantação adicional de sua Força Aérea em sua fronteira com a Índia. Os caças da PAF, no entanto, realizaram exercícios de pouso e decolagem nas autoestradas e rodovias do país na ultima segunda-feira (18).

O Paquistão e a Índia mantiveram um alto nível de alerta após a operação antiterrorismo da IAF em Balakot contra os militantes Jaish-e-Mohammed (JeM) na noite de 26 de fevereiro. A invasão ao território paquistanês foi uma retaliação ao ataque de Pulwama no dia 14 de fevereiro em que um membro da Caxemira de um grupo militante paquistanês matou 40 policiais paramilitares indianos em um ataque suicida.


FONTE: rt.com/news

 

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Os franceses e russos pelo visto não vão precisar de proprina para vender misseis dessa vez.

Comments are closed.