O A400M da RAF foi destaque no exercício militar Mobility Guardian realizado nos EUA.

Aeronaves de 11 países participaram do Exercício Militar Mobility Guardian, incluindo o A400M Atlas, que faz sua estreia em um exercício de grande escala.

A aeronave de transporte militar tática é comparável ao C-130 Hercules e ao C-17 Globemaster III. Capaz de realizar todos os principais componentes do transporte aéreo, incluindo transporte, lançamentos aéreos e evacuação aeromédica, eventualmente substituirá o C-130 na RAF, deixando apenas uma pequena frota da aeronaves mais antigas em serviço.

Embora o A400 tenha operado anteriormente em exercícios, o Mobility Guardian é o maior e mais diversificado, o que ofereceu à aeronave a chance de brilhar.

“O Exercício Mobility Guardian 2017 é uma oportunidade real para nós”, disse o Comandante da RAF Ed Horne, comandante do Esquadrão nº 70, “É a primeira vez que implantamos a aeronave em um exercício como este. A aeronave chegou ao serviço da Royal Air Force em 2014, então ainda estamos preparando a aeronave para operações no exterior. Esta é realmente uma excelente oportunidade para que possamos operar com nossos parceiros da coalizão.

“O Mobility Guardian demonstrou aos nossos parceiros que o A400M Atlas é uma plataforma realmente capaz”, acrescentou. “Também é benéfico para mim e para os meus colegas conhecer pessoas de todo o mundo, que poderemos estar operando em um cenário do mundo real no futuro”.

Enquanto a aeronave está no Mobility Guardian, os parceiros internacionais da RAF, inclusive dos Estados Unidos, podem trabalhar com a aeronave pela primeira vez e aprender como ela pode ser usada como um bem ativo para a missão de Mobilidade Aérea.

“Com a aeronave sendo nova para eles, também é novidade para nós”, disse o major Andrew Rich, diretor de operações da Força Tarefa Conjunta do Mobility Guardian. “Nós gostaríamos de aprender com isso e como podemos incorporá-lo após o treinamento. Estamos explorando as peças de interoperabilidade de como nosso equipamento se encaixa com outras aeronaves e como os outros equipamentos se encaixam nos nossos. Ser interoperável nos dá uma chance de sermos mais flexíveis quando avançamos”.

O A400 realizou nove missões durante o Mobility Guardian, proporcionando a oportunidade de aprender mais sobre a aeronave e ajudar para prosperar nas parcerias.

“Os parceiros da coligação são muito importantes para nós”, disse Rich. “Nós confiamos neles, e eles contam conosco. Nós não entramos em conflito sem eles. Nós confiamos neles, e nós adoramos ter eles aqui. Estamos ansioso para participar da próxima missão conjunta.”

Anúncios

14 COMENTÁRIOS

  1. ….compatível com o C-130 realmente só nos modo de operação…

  2. Impressão minha ou a caixa de asa dele atrapalha o espaço interno?

  3. Poderiam simplesmente ter comprado o C-17 se quiserem ter interoperabilidade

    • Mas internamente o A400M é muito maior que o KC-390, mais que o dobro de volume interno.
      Dados do volume interno do anexo que vc citou:
      KC-390: 129 m3
      C-130J: 143 m3
      A400M: 273 m3.

  4. Preciosismo europeu , criaram este monstrinho por puro orgulho regional , indo na contra-mao da politica europeia anti-nacionalista (neste caso regionalista ), foi enfiado de baixo pra cima nas forças aereas europeias !

Comments are closed.