A BAE Systems está perto de entregar o seu último Eurofighter Typhoon para a RAF, uma vez que vê novas oportunidades de exportação para ampliar a produção do caça multi-missão para além de 2024.

A Flightglobal informou que o Eurofighter Typhoon Tranche 3 final para a Real Força Aérea Britânica (RAF) fez seu segundo voo e será entregue ao cliente até o final do ano.

O último Typhoon no padrão Tranche 3 fez seu segundo voo a partir da unidade de montagem final da BAE Systems em Warton, Lancashire, no dia 5 de agosto de 2019 e agora está passando pela instalação e testes de equipamentos restantes, disse Andy Flynn, diretor de capacidade da Eurofighter e do programa Centurion na BAE Systems.

A RAF possui uma frota ativa atual de 116 Typhoons, sendo o mais antigo com 14 anos de idade. De acordo com os planos atuais, o tipo deve permanecer no serviço do Reino Unido até 2040, operando ao lado dos jatos de decolagem curta e aterrissagem vertical Lockheed Martin F-35Bs.

Uma grande atualização operacional para os Typhoons da RAF, entregues por meio do Projeto Centurion liderado pela BAE no início deste ano, está sendo seguida por mais trabalhos para melhorar a interface homem-máquina do tipo, disse Flynn.

A BAE está atualmente fabricando estruturas do Typhoon em sua fábrica em Samlesbury, Lancashire, em apoio a um acordo de 28 aeronaves com o Kuwait, para o qual a empresa parceira do Eurofighter, a Leonardo, está realizando a montagem final na Itália.

Enquanto isso, o Qatar pediu para acelerar a entrega de seus próprios Eurofighters. Os jatos começarão a chegar em 2022 e a maior parte dos 24 jatos encomendados será entregue em 2023. A aeronave final chegará em 2024.

“Chegando muito rapidamente atrás disso, temos os jatos do Catar”, disse Flynn, confirmando que o processo de construção já começou. As próximas atividades de teste a serem realizadas para apoiar a compra incluem a integração das bombas de uso geral das séries Mk 82 e Mk 83 e do dispositivo de direcionamento Sniper da Lockheed, acrescenta.

Os Typhoons produzidos para o Kuwait e para o Catar serão equipados com radares de varredura eletrônica ativa (AESA) produzidos em um padrão chamado “Radar 1” pelo consórcio Euroradar. Já em teste de voo usando a aeronave de produção instrumentada IPA8 na Alemanha, o hardware do AESA também será transportado em breve a bordo da IPA5 de Warton.

Enquanto isso, em um relatório de resultados semestral publicado em 31 de julho, a BAE Systems disse: “O memorando de intenção assinado entre o Reino da Arábia Saudita e o governo do Reino Unido em março de 2018 continua em discussão para mais 48 aeronaves Typhoon, apoio e transferência de tecnologia e capacidade.”

Se finalizado, o acordo incluirá a montagem final do tipo no país, 72 dos quais foram anteriormente adquiridos para a Força Aérea Real Saudita.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. A linha de produção estará garantida até 2024, segundo diz o texto (entrega da aeronave final da encomenda do Qatar).
    Bem, a continuidade do projeto estará nas mãos da capacidade de vender novas unidades.
    Está nas mãos do MoD britânico e da propaganda do fabricante! Não acho que seria difícil encontrar pelo menos mais um contrato.

Comments are closed.