O Boeing 777X realizou testes de táxi após reinstalação dos motores GE9x.

O Boeing 777X está pronto para o primeiro voo de teste. Espera-se que a aeronave realize seu voo inaugural ainda nesta semana, no dia 23 de janeiro, dependendo das condições climáticas.

A aeronave saiu da oficina de pintura no dia 7 de janeiro e foi transferida para o teste primário do sistema de controle de voo, antes do primeiro voo previsto para quinta ou sexta-feira.

Na verdade, o 777-9 deveria ter feito o primeiro voo de teste no ano passado, em junho, pouco antes do Paris Air Show. O plano da Boeing era apresentar a aeronave no Paris Air Show.

Mas devido a um problema técnico com os novos motores GE9X, a fabricante de aeronaves teve que adiar o vôo. Os motores foram instalados novamente no primeiro 777X em dezembro do ano passado. Atualmente, o GE9X da General Electric é o maior motor já construído para um avião comercial de passageiros.

O 777-9 é o maior membro da nova família 777X e também o maior avião de passageiros do mundo. Ele substituirá o 777-300ER da geração anterior da Boeing na frota das companhias aéreas ao longo do tempo.

O Boeing 777X, sucessor dos modelos de aeronaves Triple Seven anteriores da fabricante, tem características espetaculares: além de enormes asas com pontas dobráveis ??(as primeiras do tipo em aviões comerciais de passageiros) e motores tão largos quanto o corpo de um Boeing 737, será o primeiro jato bimotor a transportar mais de 400 passageiros.

O primeiro 777X visto em Paine Field esta semana. (Foto: Andrew Bondarchuk, shutterstock.com)

A Boeing entregará os primeiros exemplares para a Lufthansa e Emirates no próximo ano, com entrada prevista ainda em 2021.

É bem possível que o 777-9 permaneça como o único membro da chamada família 777X. O 777-8, que ainda está para ser desenvolvido, nunca seria levado à produção devido à falta de demanda dos clientes globais.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Inovar e avançar em projetos dentro dos atuais parâmetros mercadológicos de consumo/conforto/segurança e regulatórios de emissões/ ruído, dentre outros, é um desafio financeiro e tecnológico que pouquíssimas empresas e países enfrentam com sucesso. Problemas sempre aconteceram e continuarão a acontecer, até nas astronaves da SpaceX.