A Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China (PLAAF) vem realizando treinamentos de combate real com caças J-20, J-16 e J-10C. E pela vez os três modelos de jatos de combate, apelidados de “três mosqueteiros do céu”, voaram juntos em formação de combate.

Em um vídeo divulgado pelo PLAAF no domingo, dois J-20, dois J-16 e um J-10C podem ser vistos voando em uma formação de combate. A combinação de um J-20, um J-16 e um J-10C foi testada em 2018.

“Isso é uma indicação de que os jatos J-20 do Grupo Aéreo Wang Hai estão progredindo suavemente na força aérea, já que seu serviço entrou em um novo estágio de capacidade de combate abrangente”, disseram especialistas militares ao Global Times.

“A Força Aérea tem explorado táticas com o J-20 e outros caças em treinamento competitivo simulado anterior e ganhou experiência na aquisição de superioridade aérea, ataque terrestre e ataque marítimo”, disse o especialista em defesa aérea Fu Qianshao na segunda-feira.

Enquanto o J-20 é mais avançado que o J-16 e o ??J-10C, eles compartilham tecnologias avançadas como aviônicos e radares de matriz ativos digitalizados, disse Fu.

“O J-16, o menos furtivo dos três, pode liderar um ataque e usar abertamente o radar para detectar alvos e atrair a atenção do inimigo, enquanto os J-20 furtivos podem espreitar nas proximidades e lançar ataques de mísseis de forma surpresa quando alvos hostis atacam o J-16”, disse Fu, observando que o J-10C, quando equipado com o mecanismo de controle vetorial de empuxo desenvolvido domesticamente, se destacará em combates de curta distância, graças à super manobrabilidade.

Outra tática é primeiro fazer com que o J-20 destrua hubs estratégicos hostis, incluindo aeronaves de alerta aéreo antecipado e aviões-tanque, usando sua capacidade furtiva, e então o J-16 fortemente carregado pode atingir forças terrestres inimigas, incluindo estações móveis de radar enquanto o J-10C assume a supremacia aérea, disseram especialistas ao Global Times.

“O J-20 tem um caleidoscópio de táticas para cumprir suas missões e mais exercícios de combate simulados devem ser realizados. Aviões de guerra eletrônica também podem acompanhar o J-20 no futuro”, acrescentou Fu.

O J-20 fez seu primeiro voo de teste em 2011, sua estreia pública no Airshow China 2016 e entrou no serviço militar em 2017.

Anúncios