Motores GP7200 de aeronaves Airbus A380 terão que ser inspecionados em tempos menores.

Investigadores e especialistas em segurança de vôo ainda estão trabalhando para determinar o principal motivo de uma lâmina do fan do compressor quebrar e causar uma falha no motor durante um voo de um Airbus A380 da Air France.

No dia 10 de março de 2019, um dos motores de um Airbus A380 da Air France precisou ser desligado devido à quebra da lâmina do compressor.

A FAA dos EUA declara que o motivo da fratura da lâmina do compressor de baixa pressão de primeiro estágio ainda é “indeterminado” em uma diretiva provisória que exige mais medidas de precaução nos motores Engine Alliance GP7200.

Com essa diretiva, os operadores do A380 são obrigados a realizar verificações nos A380s equipados com GP7200, com determinadas lâminas instaladas. As medidas entram em vigor a partir de 14 de janeiro.

Falha em motor de um A380 da Air France em 2017.

Os operadores com A380s equipados com GP7200 e determinadas lâminas instaladas estão sendo instruídos a realizar inspeções ultrassônicas e substituir as lâminas que falharem na verificação. As lâminas que realizaram 3.250 ciclos ou mais desde que novas devem ser verificadas dentro de 250 ciclos.

“Após uma análise dessas quebras, a fabricante determinou que as pás do fan sofreram rachaduras originadas na superfície interna do aerofólio convexo e propagadas até o ponto de falha”, disse a FAA.

As trincas se originaram em uma área de microtextura que pode resultar em um débito de fadiga de baixo ciclo que pode permitir que uma trinca seja iniciada e se propague até a quebra.

A Air France já havia sofrido uma falha grave do motor em um de seus A380 enquanto sobrevoava a Groenlândia em setembro de 2017.

Anúncios