O Su-30MKI com um míssil BrahMos-A.

A Força Aérea da Índia (IAF) anunciou na quarta-feira o disparo bem-sucedido da versão lançada em voo do míssil BrahMos, a partir de uma aeronave de combate Su-30MKI que decolou da Base Aérea de Andamans.

O lançamento da aeronave foi suave e o míssil seguiu a trajetória desejada antes de atingir diretamente o alvo no solo, de acordo com uma declaração da IAF, que havia adiado o teste devido a um ciclone em abril.

O míssil BrahMos-A, lançado pelo ar, é um míssil de cruzeiro supersônico de 2,5 toneladas (a versão lançada do solo pesa 3,2 toneladas), para alvos na superfície, com alcance de cerca de 300 km, projetado e desenvolvido pela BAPL, em conjunto com a Rússia.

É 50 cm mais curto que o comprimento de 8,4 m da variante lançada no solo. A variante BrahMos-A é equipada com um novo sistema de ignição para facilitar o lançamento em altas altitudes.

A IAF tornou-se a primeira força aérea no mundo a disparar com sucesso um míssil de ataque de superfície de velocidade Mach 2,8 em um alvo marítimo, no dia 22 de novembro de 2017. Hoje foi o segundo lançamento real da arma.

A integração da arma na aeronave foi um processo muito complexo envolvendo modificações mecânicas, elétricas e de software na aeronave. A IAF esteve envolvida na atividade desde o seu início.

Fontes disseram que o míssil será submetido a ensaios finais de desenvolvimento ou certificação no terceiro trimestre de 2019. O míssil será introduzido na IAF em 2020, após dois lançamentos certificados contra um alvo naval e terrestre.

O governo indiano aprovou uma proposta de US$ 1,5 bilhão em 2012 para obter mais de 200 versões lançadas pelo ar do míssil, incluindo verba para integração e teste do míssil com o Su-30MKI.

O BrahMos pode ser lançado de navios, submarinos, aeronaves e do solo. O BrahMos é considerado o míssil de cruzeiro supersônico mais rápido do mundo.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Leigo aqui…mas tem alguma razao especial do missil ter essa pintura preto e branco?

  2. Facilitar a visualização das imagens das câmeras de controle do teste de tiro…

    O padrão preto e branco, além do CONTRASTE visual, facilita a detecção visual se o míssil apresentar algum comportamento de giro ou rolagem instável…

  3. Excelente: demorou, mas adaptar o engenho russo fez os indianos terem alternativa para o ataque naval, pois China e Índia são usuários do ainda eficiente P-270 Moskit — tremendamente conhecido, inclusive em suas pontuais deficiências, pelos dois países.

  4. Só pelas fotos já dá pra ter uma ideia do tamanho desse míssil. E olha que o SU-30 não é um caça pequeno!
    Imaginem o estrago que um Brahmos pode fazer em uma embarcação.

Comments are closed.