Um A400M Atlas da Força Aérea Francesa foi usado para homologação de transporte de um veículo blindado VBCI durante testes em Francazal.

No final de março, a Força Aérea Francesa realizou uma série de operações de carga e descarga de um helicóptero Gazelle no novo avião de transporte A400M, na base permanente de operações aéreas de Francazal, perto de Toulouse. Poucos dias depois, no dia 5 de abril, ocorreu pela primeira vez em Orléans um voo com um veículo de combate de infantaria blindado VBCI. Estes dois testes são precursores das capacidades aéreas aumentadas do exército francês, e o A400M oferece novas possibilidades e um alcance muito maior de ação permitindo a intervenção continental da França.

Um helicóptero Gazelle sendo embarcado no A400M.

Para o carregamento e desembarque do helicóptero Gazelle no A400M, os homens do 1º Regimento de Paraquedistas (1º Regimento de Apoio de Paraquedistas, a única unidade especializada do Exército em transporte aéreo e trânsito aéreo) trabalharam em estreita coordenação com a Força Aérea Francesa e uma equipe do 9º Batalhão de Apoio Aeromóvel (9º BSAM). Especializados em transportes aéreos, os soldados de Toulouse forneceram o equipamento de manuseio necessário (grua, empilhadeira, etc.), configuraram o compartimento de carga e instalaram rampas de descarga para permitir a extração otimizada do helicóptero.

O VBCI sendo desembarcado do A400M.

O helicóptero de combate não é o único equipamento do exército recentemente testado e avaliado com o A400M. Nos últimos meses, o trabalho de certificação continuou num bom ritmo, a fim de reforçar a capacidade de projeção de equipamentos específicos do Exército Francês, como o blindado de combate de infantaria VBCI de 32 toneladas, a Unidade Lançadora de Foguetes LRU, PPLD, e helicópteros Caracal e Fennec, que foram todos aprovados.

Os primeiros ensaios de carga e descarga do veículo VBCI a bordo de um A400M foram realizados em Abril de 2014 em Clermont-Ferrand. No dia 5 de abril de 2017, pela primeira vez, o A400M decolou da base aérea 123 de Orléans-Bricy (Loiret) e voou por mais de uma hora com a variante de comando VBCI, equipada com sua torreta com controle remoto. Após este teste, o A400M foi certificado pela força aérea para transportar o VBCI.

Os próximos testes ocorrerão no final de abril e início de maio com o lançamento de cargas e dos paletes PD11.

A certificação operacional do A400M trará um verdadeiro valor ampliado ao Exército Francês. Com efeito, a velocidade desta aeronave, combinada com a sua grande capacidade de transporte (até 37 toneladas de equipamento), permitirá um aumento das possibilidades de implantação e um alcance que permitirá um maior perímetro de ação.

Esta superioridade operacional será ainda reforçada pelo novo centro nacional de operações aéreas em Francazal. Combinando todos os meios necessários para a implantação de uma operação aérea (PAO) na mesma base, esta última permitirá planejar operações, preparar encomendas, montar, equipar e preparar tropas para embarque para intervir fora do território nacional.

A funcionalidade combinada do centro PNOAP e o efeito multiplicador fornecido pelo A400M renovará o conceito de operações aerotransportadas, dando à 11ª Brigada de Paraquedistas o domínio do campo operacional.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. O único problema do motor é a caixa de redução, somente a que faz a hélice girar em um sentido, não me lembro se é o horário ou anti horário, fabricada pela Avio italiana que pertence a GE, creio que ja devem ter a solução.
    No A400M as hélices externas giram no sentido antihorário e as internas no sentido horário para neutralizar o torque.
    . https://m.youtube.com/watch?v=E7ZtXcTkEp0
    .
    No C-130 do "A tripá" ao "J hexapá", passando pelo "B, E e H quadripá" todas as 4 hélices giram no sentido antihorário, o que facilita o suprimento com menos itens.
    . https://m.youtube.com/watch?v=35-oP8-KH-g

Comments are closed.