O primeiro jato Mirage 2000D de testes de voo da nova modernização MLU, visto no Paris Air Show 2017. (Foto: hvaneupen / Fighter Control.co.uk)

A frota de Mirage 2000D da Força Aérea Francesa começará a ser modernizada de acordo com um plano divulgado em julho de 2016. No total, 55 aeronaves das mais de 65 em operação passarão por um processo de atualização que permitirá que esses jatos continuem operando até 2030 e voando em conjunto com os jatos Rafale. O primeiro jato de combate com várias modificações já está sendo testado em voo e foi apresentado no recente Paris Air Show.

No final de 2015, o Ministério da Defesa francês aprovou uma atualização de meia-vida (MLU) para os caças bombardeiros Mirage 2000D da Força Aérea Francesa, para os quais a Dassault anunciou um contrato em 19 de julho do ano passado. Um dos principais motivos é a revisão de entrega dos caças Rafale para França, com o próximo Rafale chegando a linha de frente da Força Aérea Francesa apenas em 2020, de acordo com o orçamento de defesa 2014-2019 que prevê uma taxa reduzida de produção e entrega, visando manter ativa a linha de produção da Dassault.

Alguns dos caças Rafale que estavam programados inicialmente para entrega a Força Aérea Francesa foram destinados a clientes estrangeiros como o Egito, Qatar e Índia. E por isso, visando manter a sua capacidade, a Força Aérea Francesa conseguiu obter uma concessão em troca, a modernização de seus Mirage 2000D, visando manter assim uma frota total de 225 jatos de combate na ativa.

As aeronaves não estão programadas para entrar no processo MLU até o final de 2018, mas os elementos da atualização já estão sendo testados em um Mirage 2000D atribuído à DGA EV (Direção Geral de Armamentos-Ensaios de Voo) em Cazaux, o departamento de teste de voo da agência de compra de material militar da França.

A primeira etapa da modernização do Mirage 2000D está relacionada com o sistema de navegação e ataque (ANS) que passará por uma completa revisão, e será retrabalhado e modernizado pela Dassault. Na verdade, há bastante tempo o sistema de navegação do Mirage 2000D é baseado em mapas de papel digitalizados e depois projetados para o oficial de navegação e de sistema de armas (NOSA) através de uma grande lupa. O novo sistema após a modernização será digital.

Uma grande adição ao Mirage 2000D será a implantação de um canhão DEFA 550F de 30mm, o mesmo usado no Mirage F1. Desenvolvido pela Dassault, será instalado em um pod na parte frontal esquerda, simetricamente posicionado em relação ao sistema de designação a laser.

O trabalho de modernização nos jatos operacionais M2000D franceses começará em 2018. (Foto: A. Thomas-Trophime / DICOD)

Por último, será trabalhada a possibilidade do Mirage 2000D decolar e operar com cargas assimétricas, restringindo a variedade de armamentos nas missões de combate. Após a atualização, o Mirage 2000D vai decolar e poder utilizar pelo menos dois tipos diferentes de bombas, tais como a GBU-12, juntamente com uma GBU-49. Além disso, o Mirage 2000D será compatível com o novo pod designação de laser TALIOS da Thales e o ASTAC (Analisador Tático de Sinais). O míssil ar-ar Magic II será substituído pelo MICA IR (infravermelho) da MBDA.

Anúncios

10 COMENTÁRIOS

  1. Quem fim levou os nossos Jaguares? Porque a FAB não os colocou a venda?

    • Estão a venda a partir de 2,5 milhão de dólares cada, servem para algum usuário do M2000 retirar peças, como o Chile fez comprando Mirage da Africa do Sul e USMC que comprou os Harrier ingleses.
      Ainda tem que ter aprovação da França para concretizar as vendas.
      Para voltar a voar precisariam de uma cara grande revisão da célula com overhaul da turbina e assento ejetável vencido, muito improvável esta opção.

  2. Estes Mirage ainda são uns pássaros muito bonitos e efetivos, podem ainda fazer frente a muitos aviões, minha dúvida é quanto as células estruturais, pensando na fadiga dos materiais.

    • esses Mirages D sao os ultimos fabricados, creio que ha bastante vida util nas celulas. Concordo com a beleza desse caca, que bom que com essa modernizacao ainda o veremos voando por muito tempo!

  3. Pena que o pequeno número de caças possa acelerar o desgaste das células mais rapidamente, principalmente em caso de envolvimento contínuo em conflitos.

  4. Nossos finados F2000 eram da primeira leva, bem antigos. Uma pena terem saído de cena tão rápido.

    • Eu tive a sorte de chegar perto de um deles, um dos mais belos aviões de caça do mundo. Monomotor força bruta.

  5. Vi dois deles decolando de Anápolis. Eu estava no pátio e realmente eram "brutos" e bonitos ao decolar.

Comments are closed.