A400M durante decolagem. Foto: RAF
A400M durante decolagem. Foto: RAF

Autoridades francesas estão em duras negociações com a Airbus Defense & Space para a entrega de uma versão “táctica” mais capaz do avião de transporte militar de transporte A400M dentro do prazo, disse o ministro francês da Defesa, Jean-Yves Le Drian.

O problema é a empresa“, disse Le Drian ao comitê de defesa da Câmara Nacional no dia 2 de novembro, cujos atos oficiais foram divulgados recentemente. “Hoje, os A400M entregues não estão operacionais, e o problema não diz respeito apenas à França: é o caso em todos os lugares.”

Como esta reunião é pública, talvez meus comentários cheguem ao Sr. Enders. Pode-se dizer que as conversas que tenho com os executivos da Airbus são … animadas.“, disse Jean.

Tom Enders é chefe-executivo do grupo Airbus. A Força Aérea está voando o A400M em sua versão básica como um avião de carga em bases aéreas seguras.

Pedi um plano para recuperar o atraso, tanto para as capacidades da aeronave quanto para a taxa de entrega“, disse Le Drian aos membros do parlamento. Os atrasos na entrega foram inaceitáveis e a falta de capacidades para quedas de pára-quedas, auto-defesa e pouso em pistas curtas causou preocupação.

O ministério chegou a um acordo para 2016, disse ele. “Espero que seja confirmada“, disse ele. “Em qualquer caso, temos um diálogo extremamente próximo com a empresa.

A França encomendou quatro aviões de transporte C-130J Super Hercules para atender as necessidades urgentes e enfrentar os problemas de uma frota envelhecida, mas essa compra não tinha sido planejada desde o início, disse ele.

A Força Aérea Francesa espera receber até o final do ano seis A400M da versão “tática”, disse o chefe de Estado-Maior da Aeronáutica, André Lanata, ao Comité de Assuntos Exteriores.

O modelo tático é equipado com uma cabine protegida e um sistema de auto-defesa para proteger a tripulação aérea e aeronaves quando voando sobre zonas hostis.

Esperamos que a empresa em questão faça todos os esforços para nos permitir cumprir nossos muitos compromissos operacionais“, disse Lanata.

O motor A400M é agora a principal preocupação para o serviço, pois os motores exigem uma inspeção a cada 80 horas, uma taxa insustentável que leva à escassez de disponibilidade de frota, disse ele.

Primeiro A400M para a Força Aérea da Malásia. Foto: Airbus
Primeiro A400M para a Força Aérea da Malásia. Foto: Airbus

Uma solução provisória para o motor será entregue até a primavera de 2017 até que um remédio permanente esteja pronto, o que tornará a situação controlável, o que não é agora, disse ele.

Dos seis aviões táticos, três serão unidades novas e três serão retrofit da aeronave A400M já em serviço com a Força Aérea. O serviço voa oito destes como cargueiros em áreas seguras.

A França foi o primeiro país a receber a versão táctica, com a entrega feita no dia 8 de Junho para a direção Geral de Armamentos. Esse avião incluía a proteção do cockpit para a tripulação de vôo, entre as capacidades táticas contratadas.

A Airbus anunciou no dia 27 de julho outros US$ 1,1 bilhão de encargos financeiros para o programa A400M devido aos problemas no motor e na fuselagem. Isso veio em cima de € 5 bilhões de encargos anteriormente reservados.

A Força Aérea Francesa pediu que o A400M tenha a capacidade de lançar 116 pára-quedistas pulando de ambos os lados da fuselagem, com 58 de cada porta lateral. Os requisitos também incluem reabastecimento de helicópteros em vôo e equipamentos de autodefesa. O serviço espera ter 11 unidades até o final do ano, com as três novas unidades impulsionando a atual frota de oito unidades.

Fonte: DefenseNews

Anúncios

7 COMENTÁRIOS

    • As coisas estão feias para os clientes da Airbus, isso sim! FAB, EB e MB que o digam!

      • Jodreski pode me dizer o porque as FA brasileiras estão com problemas com a Airbus, não vi nenhuma notícia em relação ao seu comentário, abraços.

        • Problemas com o Caracal (kombis) amigo que até agora não foi resolvido, apenas liberando os Helis para operação com restrições. Pode isso Arnaldo?

  1. Perderam a paciência, essa é a verdade! Justificável ao que parece a Airbus está demorando demais para solucionar os problemas, e que ocorrem não só no A400M

    • E quando solucionam os problemas, é uma "solução temporária", palavra chique para gambiarra.

Comments are closed.