A França vai liderar o programa conjunto Future Combat Air System (FCAS) com a Alemanha. (Imagem: Airbus)

A França assumirá a liderança no desenvolvimento de um caça de combate de nova geração com a Alemanha sob um acordo assinado na terça-feira pelos dois governos, informou o Ministério da Defesa da França.

O novo jato de combate deve substituir os caças Dassault Rafale da França e os Eurofighter Typhoon da Alemanha, feito por um consórcio europeu, em 2040.

O acordo franco-alemão exige que o trabalho do projeto comece antes do final do ano, começando com uma fase de estudo, disse o ministério.

Além de ser capaz de agir por conta própria, a nova aeronave deve estar no centro de um sistema de armas mais amplo, capaz de comandar um esquadrão de drones.

A Dassault e a Airbus, um membro do consórcio Eurofighter, assinaram um acordo em abril para trabalhar juntas no novo projeto, mas evitaram dizer qual dos dois grupos estaria no comando.

O fato de a França estar agora no comando do projeto favorece a Dassault a assumir o controle, já que a maioria das atividades de defesa da Airbus estão na Alemanha.

O FCAS vai fazer parte de um complexo sistema de armas. (Imagem Airbus)

Desenvolver uma futura aeronave de combate multifuncional para a França e a Alemanha, integrada em uma rede de sistemas de armas é uma questão importante para a autonomia estratégica da Europa“, disse o presidente-executivo da Dassault, Eric Trappier, à Reuters.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente da França, Emmanuel Macron, concordaram em desenvolver em conjunto a nova aeronave logo após sua eleição em maio de 2017, enterrando rivalidades passadas em favor de uma cooperação de defesa mais rígida.


FONTE: Reuters

Anúncios

11 COMENTÁRIOS

  1. O fato é que todos estão desenvolvendo essa tecnologia que, dentro em breve, estará em qualquer feirinha do Paraguai.
    No final, a conta bilionária (ou tri) do F-35 vai cair no Tio Sam.

  2. Quero ver a cara dos fã-boys do tio Sam que diziam que Rafale, Eurofighter e Gripen seriam os últimos caças europeus..

  3. Todos que participarem do projeto devem estar cientes que poderão opinar, sugerir, reivindicar, exigir, espernear, gritar, birrar, mas no final, ou fazem o que os franceses querem, ou saem do projeto. Simples assim!!!

  4. Agora é comprar pipoca e refrigerante e esperar os europeus começarem a brigar entre si. De um lado temos a França que, no alto da empáfia de quem acha que sempre deve liderar toda e qualquer iniciativa local, acha que pode impor à Alemanha os seus próprios requisitos operacionais. Do outro a Alemanha, a dona do cheque, tentando inutilmente convencer a França de que seus requisitos também devem ser incluidos no projeto.

    O Resultado: Em 2040 terão um aparelho que entregará o mesmo, ou menos, do que F-35 e F-22 já entregam hoje mas pelo triplo do preço, tudo em nome do "orgulho nacional"

    • Nao entendo essa necessidade de desmerecer tudo que nao venha dos EUA, essa lenga lenga ja cansou. A Franca tera a lideranca desse projeto porque o Rafale no final das contas se mostrou superior ao Eurofighter Typhoon, mais equilibrado e mais barato. A Alemanha tera lideranca no MALE e no Eurotanque. Cada um liderando o que sabe Fazer bem feito, nao tem nada disso que a Franca quer liderar tudo, isso mudou.

  5. E ainda tem que deixar os franceses fazerem um gol por dia, senão eles levam a bola embora…

  6. Forças do eixo, tríplice entende, 3 reich!
    Que comecem os jogos.
    Reino Unido volta a ser uma filial dos EUA, Europa continental unida. O próximo passo é fazer uma parceria com o Japão!
    Mais um 5 geração que eu vou ter para montar a maquete de plastimodelismo. Diferente do japonês, turco, coreano, esse aí sai.

  7. Luftwaffe queria o F-35 e agora vai ter que esperar 30 anos para para ter o que a RAF já tem coma Noruega, italía , Holanda e Turquia. Tudo por que o trump maluco não cansa de xingar a UE.

Comments are closed.