Depois que a França mostrou-se relutante em liberar o uso do Meteor no Tejas, a Força Aérea indiana decidiu armar o caça leve com o míssil ar-ar desenvolvido localmente. O desempenho do Astra é considerado melhor do que os sistemas russos similares atualmente em serviço.

A Força Aérea da Índia (IAF) está empenhada em fazer do míssil de tecnologia nacional Astra sua arma padrão de longo alcance para aeronaves de combate e está promovendo sua integração com o HAL Tejas, bem como em outras plataformas, disseram autoridades.

O Tejas não usará o míssil BVRAAM (beyond visual range air-to-air missile – míssil ar-ar além do  de alcance visual) MBDA Meteor que é padrão nos caças Rafale, com o lado francês expressando sua relutância em integrar a arma a uma aeronave equipada com um radar de origem israelense e a IAF precisando reduzir a conta das importações pesadas selecionando uma opção de uso doméstico.

Nós não estamos preocupado com a negativa francesa. Queremos promover o sistema nacional e equipá-lo em todas as nossas plataformas. O programa de desenvolvimento do Astra tem sido satisfatório”, disse uma autoridade.

Fontes disseram que depois que o míssil for integrado aos caças Su-30MKI dos quais foi testado, o sistema será integrado a outras aeronaves de combate de origem estrangeira. Segundo fontes, o desempenho do Astra é considerado melhor do que os sistemas russos similares atualmente em serviço.

Os testes com o Astra foram concluídos e a próxima etapa, segundo funcionários da DRDO (Defence Research and Development Organisation – Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa), será a primeira ordem de produção do míssil. Os testes de integração com o Tejas estão sendo realizados e é provável que o míssil faça parte do pacote de armas para o lote de 83 caças da versão Mk.1A, que deve ser encomendada em breve.

Segundo o fabricante, o míssil tem um alcance de 100 km+ e foi testado com sucesso contra aeronaves-alvo, simulando todos os cenários de ameaças possíveis. Nos testes mais recentes em setembro de 2019, o míssil foi lançado no modo real (com cabeça de guerra e ogiva) contra alvos manobráveis, que foram neutralizados, incluindo um ataque direto ao alvo à distância máxima.

Conforme relatado, o DRDO está quase dobrando o alcance do míssil para torná-lo a arma mais letal do arsenal ar-ar da Índia. “O Astra inicialmente teve alguns desafios tecnológicos que foram superados com sucesso. Com nosso esforço persistente e com o apoio ativo da IAF, toda a avaliação foi concluída e o Astra está pronto para produção”, disse o Chefe do DRDO, G Sateesh Reddy.

A Hindustan Aeronautics Ltd (HAL) desempenhou um papel significativo na integração aeronave-arma.

Anúncios