Latakia 21 Setembro

Na última imagem de satélite, divulgada hoje, é possível confirmar a presença de 28 aeronaves de combate russas na Base Aérea de Bassel al-Asad, sendo quatro caças multifuncionais Su-30SM, doze aeronaves de ataque Su-25, e doze bombardeiros táticos Su-24.

Latakia 21 Setembro (1)

O Cavok noticiou ontem a respeito do aumento exponencial da presença militar russa na Síria, com pelo menos 28 aeronaves de combate tendo sido já enviadas à Base Aérea de Bassel al-Asad, ao sul de Latakia, na costa mediterrânea do país, fora os helicópteros de combate e sistemas antiaéreos.

Reveja como foi a chegada dos Su-24 Fencer à Síria

https://youtu.be/6JYEmXJ60Yc

Releia:

Rússia amplia exponencialmente sua presença militar na Síria

IMAGENS: Aeronaves russas enfileiradas em Latakia, na Síria

divider 1FONTE: The Aviationist – EDIÇÃO: Cavok

IMAGENS: CNES 2015, Distribution Airbus DS, e retratam o evento

Anúncios

63 COMENTÁRIOS

  1. Proud, olhe o todo, não em partes a Rússia não precisa de porta aviões na Síria ela tem uma base e um porto. o que ela esta fazendo, é o que os EUA e a Europa deviam ter feito, em vez de gastar milhões e milhões de dólares em ataques aéreos, ela estabeleceu uma meta, com um cronograma e partes a serem realizadas. Todos ficam impressionados pois vetores russos estão pousando na Síria, mas para quem acompanha o conflito e viu todo o trabalho de preparação que por sinal continua arduamente por parte da Rússia, sabe que não agora ainda que as forças russas atacaram. Na minha humilde opinião, faltam ainda de 1 a 2 meses ainda de preparação para a entrada de vez da rùssia no conflito.

    • Você está esquecendo um detalhe, a Síria não é terreno estranho para a Rússia, alem de ficar do lado tem a base de Tartus, e o governo é aliado da Rússia . Não é a mesma logística atravessar meio mundo sem apoio do governo ou cruzar alguns poucos km de fronteira aberta.

  2. É normal todas essas aeronaves paradas na pista? Parece até que os russos estão expondo as aeronaves.

    • No artigo que publicamos ontem, tem as fotos de toda a Base. Se o amigo olhar com cuidado, verá que não existem muitas opções, além, é claro desse ser o local mais afastado em relação ao perímetro externo das instalações militares, de forma que também existe uma visível preocupação em deixar as aeronaves afastadas do risco de serem eventualmente atacadas com morteiros, e por aí vai.
      http://www.cavok.com.br/blog/russia-amplia-expone

      • além do fato de a base ainda não esta terminada, vemos ainda vários sitos de obras elogo veremos os hangaretes para que as aeronaves fiquem minimamente abrigadas.

    • Pois é, Gio… que coisa, não?
      Podiam creditar a fonte… mas nem isso. E são os profissionais!

      • Eu achei elas em um monte de forum militar internacional. Não é exclusividade de lugar algum.

  3. Bom, essas imagens eu achei em vários forums militares ai pela internet.. não é exclusividade daqui.

  4. Olhando as imagens, ainda bem que conversaram com os israelenses….vai que….

    Na minha opinião os russos demoraram demais para tomar essa decisão, se tivessem feito isso desde o inicio do conflito, provavelmente a situação não teria chegado a esse ponto…

  5. Acho que vocês estão invertendo, não foi Putin que foi a Israel, foi Israel que foi conversar com Putin…

      • Diplomaticamente significa muito. Como por exemplo:
        1. A Russia não está pedindo autorização à Israel;
        2. Israel mostra boa vontade com os Russos e cutuca o governo americano.

        Em diplomacia "ditos" nada dizem, "feitos" dizem o que se desejar.

        • A Rússia vai compartilhar informações e consultar Israel inúmeras vezes.

          O LaMarca já explicou isso aqui.

          Você está ciente de que essa força russa aí (até agora) não é nada para Israel, não está?

  6. A questão mais importante é saber contra quem os russos lutarão.

    Contra o EI seria aparentemente mais lógico, mas para isto precisaria de alguma parceria com as forças ocidentais e árabes. Porém Latakia está relativamente longe dos territórios dominados por este grupo.

    Contra o Exército Livre Sírio (FSA) é pouco provável, pois entraria em atrito com o apoio dado pelos países árabes e pela Turquia (em menor escala pelos americanos), apesar da base em Latákia estar próxima do território dominado por este grupo. Com eles os russos devem promover uma política de cinturão de segurança e 'status quo' na região, para no futuro chamá-los para a mesa de negociação.

    Contra a al-Nusra e afins parece mais provável. A al-Nusra é a organização que mais cresce atualmente. Com a pressão sobre do EI e certa carta branca da coalizão anti-Assad, este aglomerado tem ganho força e terreno. É o grupo que mais ameaça o governo Assad e ninguém quer a al-Qaeda no governo, seja Israel, EUA, Turquia ou mesmo Arábia, Qatar e Jordânia. Apesar de ser provável que ele venha a sentar na mesa de negociação ao final.

    Impossível pensar em paz na Síria sem acerto entre os três grupo, FSA, governo atual (mesmo sem Assad) e al-Nusra (mesmo que com outro nome).

Comments are closed.