Satélite flagra 8 caças navais Su-33 estacionados na Base de Humaymim, Síria. (Foto: Airbus/IHS Janes)
Satélite flagra 8 caças navais Su-33 estacionados na Base de Humaymim, Síria. (Foto: Airbus/IHS Janes)
Em uma imagem de satélite da Airbus Defensa e Segurança obtida pelo IHS Janes, mostra que oito caças navais Su-33 Flanker-D estão operando a partir da base Aérea de Humaymim, Síria.

É conhecido pelo publico que existem pelo ao menos oito caças Su-33 desdobrados para a campanha aeronaval russa na Síria, e com a recente foto de satélite tirada no dia 20 de Novembro, questiona-se qual seria a razão do qual caças navais que deveriam estar a bordo do porta-aviões russo Admiral Kuznetsov, estão sendo operados a partir de uma base aérea.

Lembrando que a campanha aeronaval russa na Síria colocou o porta-aviões Admiral Kuznetsov em combate pela primeira vez.


Nota do editor: Embora o IHS Janes tenha afirmado que também existem caças MiG-29KR baseados na base de Humaymim, não é possível vê-los na imagem de satélite. 

Nota do editor²: Pessoalmente tenho duas teorias, ou houve algum “xabu” com o Adm. Kuznetsov, ou os caças não estavam conseguindo decolar com a carga de armamentos necessária.

 

Anúncios

37 COMENTÁRIOS

  1. o chabu é conhecido, um dos cabos de parada se rompeu, e acabou atingindo um dos Mig-29, que posteriormente devido aos danos, teve a alimentação de combustível para ambos os motores comprometida e acabou caindo. Isso foi reparado, mas devem ter perdido a confiança no sistema, e decidido que é melhor uma inspeçâo/reparo de maior monta, o que se dará durante o período de manutenção já divulgado. Isso é o que eu acho…

    • Marcelo, esses cabos tem um sistema que permite a troca em menos de 15 minutos e convenhamos, perder a confiança no sistema de parada? Então volta para casa, pois tem que ter muita confiança para colocar no ar mais de 30 toneladas com uma simples rampa.

      São duas situações, ao meu ver. Há tempos que os analistas militares dizem que o 'Almirante K' não tem condições de operar numa situação real e que a Marinha russa não tem experiência com operações de aviões convencionais em porta-aviões. Lembrem que eles passaram mais de 40 anos operando um aparelho de VTOL (Yak-38) e que estavam prestes a receber o Yak-141, outro VTOL.

      Acredito na imagem e SÊ comprovando tal, será um fracasso russo. Deslocar um NAe para o TO e colocar seus aviões numa base aérea???

      • Concordo com tudo o que escreveu, Giordani. Eles bem que tentaram provar que também sabem fazer guerrinha aeronaval, mas como o barquinho começou a fazer água, e isso não é de hoje, deu no que deu.

        Sds

      • Sim, também acredito na imagem e o que você escreveu não conflita com o que eu escrevi.
        Abraços!

  2. 8 Su-33 é a dotação completa dessas aeronaves no Admiral K. ? Não haveriam outros no Porta-Aviões ou nos hangares abaixo do convés?

  3. Usaram o porta aviões de cegonha…

    Feita a zueira…

    Pode ser que eles de terra possam operar com carga full de armas e combustível e do CV não.

  4. Não vejo nada de errado em aproveitar as bases fixas. As vezes até fica mais perto dos alvos e fica melhor a manutenção.

    • A não ser que a filosofia de operação dos NAE derivados da Russia seja "corra para a proxima base". A defesa só se daria no deslocamento. Os EUA, pela abrangência de bases no mundo, teriam muito mais condições de fazer isso e não fazem.

    • Não seria melhor então enviar aviões terrestres? Com o que se gasta com o combustível só do Almirante K, pagaria centenas de bombas e horas de voo…

  5. No DCS World com carga máxima de armamentos e combustível o Su-33 decolava mas sofria kkkk .
    Qual a capacidade máxima de carregar aeronaves do Admiral K. ?

    • Bom dia CPA04

      Existe um siclo onde o maximo deve ser respeitado, para que no turn over não se exeda os desgastes.

      Não ha duvidas que mesmo em PA americanos os F-18 conseguem decolar com peso alem do maximo permitido, porem exeder esses pesos e reduzir o siclo de vida da celula, agregar custos ao longo da vida e em fim desgastar de maneira incorreta as aeronaves.

      Quando se tratando de uma operação de ciclo de vida, é usado uma configuração que otimize todo o escopo, por esse motivo o Kuznetzov tem dois tipos de vetores de asa fixa, cada um otimizado para o seu envelope de operações e otimizado sobre o seu devido siclo de vida.

      Se imaginarmos que podemos descartar a aeronave no final do game, tudo bem, soca o motor a 110%, decola com o peso proximo ao maximo, se não no maximo, mas pra isso aproe o Kuznetzonv contra o vento, e senta o ferro nas caldeiras (sic) e no final da missão torcer para pousar no PA, caso contrario, (esc-new mission-start).

    • onde esta "siclo" é Ciclo

      Mal pelos erros de grafia, acordando agora depois de uma bela noite de bebedeira, (comemoração profissional)

    • O Su-33 no DCS usa SFM, e não PFM, logo a FM está longe de ser realista!…

      🙂

  6. Bom dia !

    Essa imagem resume os fatos, o Kusnetsov esta ultrapassado, e não pode dar as condições necessarias para um envelope de voo completo de seus vetores embarcados, e independente das atualizações e modernizações que possam ter sofrido nos ultimos anos, o mesmo e um projeto defasado, de uma doutrina ultrapassada, em uma guerra diferente da que o mesmo foi concebido a operar.

    Não tenho duvidas de que alguns vão mencionar que é fiasco, e concordo, mas senhores, os comandantes russos de certa maneira mandaram o Ladão pra la por algum motivo, seja ele de adestramento, seja de coleta de dados para necessidades de concepção de um futuro PA.

    Mas duas coisas não deixarei de mencionar, "o colega que comentou que fizeram o mesmo de segonha, esta quase certo" quase pois, no transporte com certeza aprimoraram muita coisa, pois com certeza poderiam ter transladado as aeronaves em voo, e puxando o comentario do amigo, ficou feio desse modo, porem compreensivel.

    O segundo ponto é que de qualquer maneira, agora o PA esta sendo operado em conflito, e essa doutrina não tem preço, mesmo que com varias pancadas, tropeços e fumando mais que pai de santo, eles estão ganhando experiencia de combate com PA.

    A pergunta que faço aos colegas é a seguinte:

    A china, que esta lançando sua projeção naval agora com PA como lider de esquadra, tem ou teria essa experiencia ?
    Os Estados unidos nos idos dos PA-nucleares, ou ate mesmo dos convencionais, iniciou as operações com 100% de expertise ? Não houve acidentes/incidentes ?

    Uma ultima observação.

    Muitos dizem que vai faltar grana para a Russia nessa guerra na Siria, senhores, se observarem o mapa, verão que dependendo das bases russas, o translado ou transferencia para a Siria e muito mais proximo que em alguns rincões do estremo leste da Russia, e enquanto não tiver tropas convencionais em larga escala na Siria, tudo isso é visto pela russia como finanças de treinamento, alias, em treinamento eles desdobram muito mais tropas que o que vemos na Siria.

    Sem mais, la vão eles aos adestramentos !

    Um bom dia a todos.

    • Bela análise meu amigo LongTor1.
      Às vezes nos esquecemos que a Rússia está usando esta guerra para testar e adquirir experiência no uso de algumas armas e equipamentos, e que ja foi dito pelos próprios Russos que neste conflito eles tem usado verbas destinadas a treinamentos.

    • Aprimorando doutrinas, testando capacidades dos radares e sensores ocidentais, gastando estoque de munições e utilizando um estande de tiro mais realista, nada além disso.

  7. Se tem uma Base Aérea para apoiar as operações, seria muita burrice concentrar todas as operações em um PA.
    Os Russos estão mais do que certos.

  8. Os Russos são bem racionais no uso e aproveitamento de suas armas e equipamentos.
    Estamos criticando o uso da base de Humaymim pelos caças navais Russos, mas alguém sabe dizer a que distancia dos alvos estão o Kuznetsov e Humaymim?
    Pode ser que devido a menores distancias dos alvos e possibilidades de decolar com uma carga maior, eles tenha optado por usar esta base em terra. Se for assim, acredito que estará confirmado que o Kuznetsov não atende às necessidades da marinha Russa. Mas são só especulações. O fato é que o PA Russo é seu sistema de lançamento de aeronaves é inadequado e obsoleto e com certeza a Rússia está aprendendo muito com a operação deste vetor.

  9. Já que temos acima varias e boas hipoteses levando em conta problemas, vou postar umas que não estejam ligadas a problemas, falhar e cgadas!

    São Su-33 mas quem disse que são os Su-33 que estavam no NA?
    Quem não garante que esses vieram voando (familia Flanker tem um longo alcance) e vieram reforçar o contingente?
    Estariam os Su-33 em terra sofrente algum tipo de reparo ou instalação de algum Kit para uso na região?
    Ou até mesmo, não seria o fato de que após a eleições americanas confirmar que H. Clinton não seria eleita, a real necessidade (cobertura aerea-naval da Siria para um provavel ataque Americano contra essa) tenha-se perdido?
    Ou um simples reabastecimento na base terrestre e deixando o suprimento no Mediterraneo como algo mais urgente como uma perna de volta pelo Mar do Norte?

    • Sua primeira hipótese não faz nenhum sentido, pois não vejo motivo para mandar 8 caças Su-33 quando se pode mandar mais unidades do Su-30SM ou Su-35S.

      É possível, como você disse, que seja uma manutenção, embora até onde sei os americanos por exemplo fazem a manutenção dentro do PA, pois tirar uma frota inteira de um PA pra fazer manutenção me soa complicado, talvez não na doutrina russa.

      A minha opinião é que os caças não estão podendo decolar com carga o bastante.

      • Mandaram Su-33 tanto para avaliação do mesmo, como tambem treinamento dos pilotos da Marinha Russa e acima de tudo, é muito melhor caças embarcados em um navio do que em terra para proteger uma frota. O que sustento é que essa frota Russa na Siria não tem nada haver com ataques e bombardeios terrestres e sim proteger a Siria de alguma ameaça aeronaval. Assim como não faz sentido usar Su-33 para proteger apenas a base aerea, não faz sentido usar su-33 para lançar bomba se tem Su-24,30 e 34. Na Guerra da Coreia, a URSS fazia um grande rodizio de esquadrões de caças para treinar o maximo possivel de pilotos.

        Sobre a Manutenção, convenhamos que um Nimitz tem certamente o dobro ou mais do espaço util para se fazer reparos do que o NA russo. E como disse, é uma hipotese apenas.

        O que não acho hipotese e sim acho impossivel é dizer que a Russia foi descobrir apenas lá na Siria que os Su-33 não podem decolar com bombas, se já operam esse mesmo vetor a mais de 20 anos! Desculpe, mas isso é algo impossivel. Ou seja, se isso fosse um fato, eles já saberiam bem antes de lá estar.

        Reforço, a frota Russa em hipotese alguma foi lá para ataque, e sim para defesa! Isso de usarem Su-33 para jogar duas bombas de 500kg sendo que tem ali Su-24 e Su-34 que fazem muito mais que isso é apenas para camuflar o real motivo e objeto dessa frota lá. O Su-33 é um caça de defesa aerea e interceptação e o Mig-29 ainda estava em testes.

        • Sem dúvidas nenhuma os russos já sabiam da limitação que os Su-33 e MiG-29 teriam o Kuznetsov, e na eu não vejo como isso derruba a teoria que estão usando bases por causa de tal limitação.

          Querem deixar as equipes de deck treinadas, assim como pilotos fazendo operações embarcadas, mas em missões aonde alcance e carga seriam requisitados, poderiam usar bases pra isso.

          E eu concordo plenamente com o verdadeiro uso por trás da cortinas do Su-33, embora muitos dizem que os Su-33 foram modificados com o SVP-24 só porque os MiGs não possuem alcance o bastante para cumprir as missões.

  10. Acho que estão usando a base terrestre apenas para que as aeronaves possam ser melhor aproveitadas, haja visto que não se trata de aviões novos os SU-33 podem assim aproveitar toda a vida util que estas celulas ainda possuem, pois ja li em algum lugar não me recordo onde, que a marinha russa planejava a substituição da envelhecida frota de SU-33 por MIG-29 KUB e uma grande reforma no Admiral Kuznetsov, aposto que os russos vão usar os SU-33 até o osso já que pretendem de qualquer forma substitui-los, de terra podem decolar com carga total de armas e combustivel.

  11. Por terra esses caças podem decolar com carga máxima, pois não conseguiriam em rampa sky-jump.

  12. Não vou ficar especulando o porquê dos caças Su-33 estrem em terra. Mas seja lá o que for, é complicado estar em tal situação em zona de guerra, mesmo sendo assimetrica. Provavelmente o alto comando russo vai ter de reavaliar a viabilidade de tal Na e sua concepção de operação.

    • Nem toda Síria está tomada por guerrilheiros, existem zonas sob. controle do governo legítimo do Saad onde se pode operar sem problemas.

      • Quente, morna ou fria, é zona de guerra. O que eu pretendia fazer entender, é que, se isso ocorre em um conflito relativamente seguro, poderia ocorrer em uma zona quente, o que traria enormes problemas a uma operação naval, por isso o alto comando deve reavaliar essa concepção de uso de força naval.
        Saudações.

  13. Su-33 and MiG-29 c Russian heavy aircraft carrier "Admiral Kuznetsov" to land at the airbase of aerospace forces of Russia Hmeymim in Syria. This was reported on Saturday, November 26 "Interfax" with reference to an informed source.

    "The pilots gained experience taking off from the deck, landing on" Hmeymime "and return to the cruiser" Admiral Kuznetsov ". Especially actively such flights took place in the beginning, during the study of the theater of military operations ", – he told the agency.

    Now the aircraft on an aircraft carrier
    _________

    Su-33 e MiG-29 c russo porta-aviões pesado "Almirante Kuznetsov" para pousar na base aérea de forças aeroespaciais da Rússia Hmeymim na Síria. Isto foi relatado no sábado, 26 nov "Interfax", com referência a uma fonte informada.

    "Os pilotos ganhou experiência decolando a partir do convés, o desembarque em" Hmeymime "e retornar para o cruzador" Admiral Kuznetsov ". Especialmente activamente esses voos tiveram lugar no início, durante o estudo do teatro das operações militares ", – disse a agência.

    • Adestramento, adestramento e mais adestramento de suas forças, este é o motivo de tantas táticas divergentes empregadas pela Rússia, desde o início do conflito.

      Grande Rustam,
      Sempre nos trazendo boas informações, parabéns !

Comments are closed.