Aeronave C-130BZ da SAAF ficou bastante danificada após um pouso mal sucedido.

A Força Nacional de Defesa da África do Sul (SANDF) confirmou que um dos seus aviões militares Lockheed C-130BZ Hercules, ao serviço da Missão de Estabilização da Organização das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUSCO), saiu de pista após um pouso mal sucedido no Aeroporto de Goma, na República Democrática do Congo, na tarde do dia 9 de janeiro.

O C-130 da Força Aérea da Sul-Africana (SAAF), matrícula 403, estava regressando à Base Aérea de Goma, depois de uma missão de reabastecimento à população de Beni, no nordeste do Congo. A bordo estavam 59 militares do contingente sul-africano no Congo e mais oito tripulantes, que não sofreram ferimentos.

Após sair da pista, um dos motores da aeronave teve um princípio de incêndio que foi controlado pelos bombeiros da MONUSCO que estão de serviço no aeroporto.

Relatos iniciais dizem que uma falha mecânica durante a fase de frenagem foi responsável pelo acidente.

Um oficial das Nações Unidas disse que a aeronave quebrou a asa esquerda e apresenta diversas avarias na estrutura e nos trens de pouso, além do motor danificado pelo fogo. O avião tem 57 anos de serviço (foi construído em 1963 e tem o número de série 3750), pelo que o mais provável é que seja desmontado. Este C-130 pertencia à frota do 28º Esquadrão da SAAF, baseado em Waterkloof, onde cinco aeronaves estão em operação.

A Força Aérea Sul-Africana anunciou que vai nomear uma comissão para investigar o que ocorreu e recusou-se a comentar sobre a extensão dos estragos na aeronave acidentada. Algumas testemunhas disseram ter visto chamas no motor logo que o C-130 tocou na pista da base de Goma.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Mais um C-130 antigo. Sei que a Lockheed produz o J ainda. E que existem muitas boas opções no deserto americano, mas a Embraer deve intensificar o marketing em cima desses possíveis clientes, que sofrem perdas e que operam modelos mais antigos.