A Ala 4 em Santa Maria recebeu mais uma vez o Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), conhecido como Esquadrilha da Fumaça, para abrilhantar a Expoaer. (Foto: Fernando Valduga / Cavok)

A Ala 4 (anteriormente conhecida como Base Aérea de Santa Maria), no Rio Grande do Sul, realizou novamente a EXPOAER 2017, onde a sociedade local pode conhecer o trabalho de seus militares e suas instalações. O destaque ficou por conta da demonstração da Esquadrilha da Fumaça. O evento gratuito aconteceu na tarde do dia 8 de outubro para um público de mais de dez mil pessoas.

O Comandante da Ala 4, Coronel Clauco Fernando Vieira Rossetto, comparou a Esquadrilha da Fumaça com o povo brasileiro. “A Fumaça representa a alegria e é igual ao brasileiro que tem esse espírito feliz, comunicativo e integrador. E a Esquadrilha faz exatamente isso, a integração e a união de toda a comunidade em um momento emocionante para todos”. O Coronel Rossetto também explicou sobre as atrações do evento. “Os trabalhos para que a EXPOAER ficasse pronta para a população iniciaram há um ano. Fizemos um evento para que todos pudessem conhecer os segmentos da Força Aérea Brasileira, como os Esquadrões que aqui se localizam, o controle de voo, o comando de preparo. Enfim, um panorama amplo da FAB, mostrando a defesa e a integração do nosso país”.

Além da Esquadrilha da Fumaça, a Expoaer 2017 em Santa Maria contou com várias passagens baixas de aeronaves A-1 (AMX) dos esquadrões Poker (1°/10º GAV) e Centauro (3º/10º GAV) e também voos com helicópteros H-60 Black Hawk do Esquadrão Pantera (5º/8º GAV). Aeronaves de apoio C-98 Caravan, C-130 Hercules e C-105 Amazonas ficaram na exposição estática.

No final de 2016, a Base Aérea de Santa Maria foi desativada e passou a ser conhecida como Ala 4. A ala também é sede do Esquadrão Hórus (1º/12º GAV) que opera as aeronaves não tripuladas Hermes RQ-450 e RQ-900, as quais possuem grande alcance e autonomia, permitindo vigilância contínua e discreta sobre objetivos de interesse.

A apresentação da Esquadrilha da Fumaça começou pontualmente as 16h00 horário local, e foi realizada com precisão, apesar do forte vento na cidade, que antecedeu uma forte chuva que chegou no dia seguinte atrapalhando outras demonstrações do EDA na região Sul.

A organização do evento foi impecável, com diversos food trucks para alimentação, local para crianças, exposição de blindados e tanques do exército, visitação as aeronaves A-1 e H-60, e um apoio excelente para imprensa.

A equipe do Cavok Brasil gostaria de expressar os parabéns para toda equipe da Ala 4, pelo empenho, profissionalismo e simpatia com que nos recebeu. Deixamos aqui um agradecimento especial para o pessoal do Serviço de Comunicação Social da Ala 4, em especial a 1ª Ten AV Betina Rauh e a 2ª Ten REP Charlene Dalcol, e ao Major Alexandre do SIPAA, que deram um apoio especial para realização dessa cobertura.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de pedir aos editores que tem acesso ao pessoal certo para saber se vai haver os portões abertos em Canoas pois no dia 12 não conseguimos nem sair de casa com tanta chuva e não tenho notícias se houve ou não o evento, se puderem obter informações se vai haver ou não e quando provavelmente vai haver eu agradeceria muito pois meu guri (6 anos) não para de me perguntar quando vamos ver os aviões, abraços a todos.

    • O evento em Canoas foi mantido, mesmo com a torrencial chuva que caiu nos últimos três dias. Agora só em 2018. Não houve voos, só a tradicional exposição estática e os eventos dentro dos hangares. Pelo que sei, o público foi baixíssimo.

      • Obrigado Giordani infelizmente perdemos este ano então pois foi muito forte a chuva aqui e não era seguro sair para ir até Canoas, abraços.

  2. A Ala 4 tornou-se o lar de todos os A-1 da FAB. Alguém tem ideia do número de aeronaves que estão estacionadas em Santa Maria?

Comments are closed.