O Kowsar-88 Yasin, apresentado no dia 17 de outubro de 2019 pelo Irã. (Foto: Press TV / IRNA)

A República Islâmica do Irã apresentou oficialmente na quinta-feira um treinador de jatos de combate de última geração Kowsar-88, apelidado de “Yasin”, que foi completamente projetado e fabricado por especialistas militares nacionais, quando na ocasião o jato realizou seu primeiro voo.

A aeronave foi revelada durante uma cerimônia na base aérea Shahid Noje, na província ocidental de Hamedan, com a presença de oficiais de alto escalão, incluindo o ministro da Defesa iraniano General Amir Hatami, vice-presidente de Assuntos de Ciência e Tecnologia Sorena Sattari e pelo comandante da Força Aérea do Irã, Brigadeiro-General Aziz Nasirzadeh.

O treinador a jato foi projetado e construído por especialistas das Forças Armadas Iranianas e destina-se ao treinamento de pilotos de caça.

De acordo com o Departamento de Relações Públicas do Exército Iraniano, a aeronave fez seu primeiro voo oficial sobre a Base Aérea Shahid na manhã de quinta-feira (17/10), a pedido do comandante da Força Aérea.

O jato de treinamento Yasin tem 12 metros de comprimento e quatro de altura e pesa 5,5 toneladas. Utiliza dois motores a jato J90s, melhor conhecida como General Electric J85s, de 7.000 libras de empuxo, as mesmas usadas nos caças F-5.

O assento de ejeção da aeronave é capaz de trabalhar em velocidade zero e sob quaisquer circunstâncias, ejetando os pilotos para fora do avião de combate em uma fração de segundo a uma altura de até 100 metros.

Nos últimos anos, especialistas e técnicos militares iranianos fizeram grandes avanços na fabricação de uma ampla gama de equipamentos nacionais, tornando as forças armadas auto-suficientes na esfera das armas.

As autoridades iranianas enfatizaram repetidamente que o país não hesitará em fortalecer suas capacidades militares, incluindo seu poder de mísseis, que é inteiramente destinado à defesa, e que as capacidades de defesa do Irã nunca estarão sujeitas a negociações.

Em fevereiro de 2018, o líder da Revolução Islâmica, o aiatolá Seyed Ali Khamenei, pediu esforços para manter e aumentar as capacidades de defesa do Irã, atacando os inimigos por afetar o programa de mísseis do país.

“Sem um momento de hesitação, o país deve avançar para adquirir o que for necessário para a defesa, mesmo que o mundo inteiro se oponha a isso”, disse o aiatolá Khamenei na época.

A República Islâmica do Irã disse que seu poder militar é apenas para fins defensivos e não representa nenhuma ameaça para outros países.

Anúncios