O primeiro Beechcraft T-6C Texan da empresa Affinity Flight Training Services durante o primeiro voo. (Foto: Affinity)

Na semana passada, o primeiro Beechcraft T-6C Texan, totalmente construído para a empresa Affinity Flight Training Services, realizou seu primeiro voo, com o avião já na pintura no padrão militar britânico. A aeronave realizou testes de todas as superfícies de controle e sistemas a bordo para garantir que ele esteja preparado e pronto para a exigente tarefa de treinamento de voo militar.

Iain Chalmers, diretor-gerente da Affinity, disse: “O voo de nosso primeiro Texan é um marco significativo em nosso programa, com as três nossas novas aeronaves agora já realizado voos, e a organização agora está trabalhando para a entrega dos serviços em julho deste ano. Estamos ansiosos para ver todas as nossas novas aeronaves voando juntas pela primeira vez no RIAT (Royal International Air Tattoo) em apenas algumas semanas, e incentivar os visitantes do show a vir e ver nossa exposição estática”.

O T-6C da Affinity após o primeiro voo.

A Affinity apoia a capacidade aérea militar do Reino Unido, desempenhando um papel fundamental na progressão contínua dos pilotos através do treinamento de voo. Sob um contrato de programa de parceria com o Ministério da Defesa, a Affinity fornece e apoia três frotas de aeronaves (Grob 120TP, Beechcraft T-6C e Embraer Phenom 100) dentro do Sistema de Treinamento de Voo Militar (MFTS) do Reino Unido.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Ele vai substituir o Short Tucano, o Tucano construido sob licença na Irlanda, uma versão melhorada com motor Garrett TPE331-12B de 1100 shp do nosso Tucano T-27 que usa o P&WC de 750 shp.
    Hoje a tradicional fábrica irlandesa Short Brothers que ja fabricou inúmeros modelos de aviões é da Bombardier, é atualmente a maior indústria da Irlanda e fabrica componentes para a Bombardier, Boeing, Rolls Royce, Pratt Whitney e GE.
    Esta terceirização da instrução desagradou muita gente que defendia a modernização do Short Tucano que ainda tinha muitas horas disponíveis.
    . https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/th
    .
    . https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:A

  2. Este programa de privatização das aeronaves de instrução tambem vai usar o Grob G120 e aposentou o Grob G115 conhecido como Tutor na RAF e na Marinha.
    O G115 é uma boa aeronave de fibra de carbono com 180 hp e trem de pouso fixo para instrução primária e básica, com muitas horas pa voar ainda, o único problema que teve foi a fadiga na hélice que resultou na recertificação em 2013 para novo modelo de hélice.
    O nosso T-25 também teve problema de fadiga na hélice, a solução usada para corrigir foi cortar um palmo de cada pá, segundo engenheiros aeronauticos do CTA ao cortar um pedaço da hélice vc muda totalmente seu comportamento e cria um novo ponto de fadiga, o que permite seu uso por mais uns anos, clarro que isso não pode ser feito por qualquer um, no caso da Fab foi uma solução de engenheiros e executada por mecânicos especializados em hélice.
    O Tutor é outro avião que não deveria ser aposentado.
    . https://www.raf.mod.uk/downloads/wallpapers/tutor
    .
    . https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:A
    .
    Para mostrar que em uma privatização da instrução não é obrigatória a troca das aeronaves existentes, está o caso da RAAF onde foi mantido o CT-4A pela BAe Systems, que só adquiriu depois mais uns CT-4B para complementar a frota.
    . https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:A

  3. O outro avião substituido nesta privatização foi o Beech Super King Air 200, os da RAF só tem 13 anos de uso, muito pouco, é uma aeronave ideal para este tipo de instrução multimotor. Vai entrar no seu lugar o Phenom 100.
    Os King Air e Super King Air são usados para formação de pilotos militares de transporte na US Navy(pilotos da Marinha e Força Aérea), US Army, Marinha do Japão, Austrália, Israel, Alemanha e outros.
    . https://www.raf.mod.uk/equipment/kingair.cfm

Comments are closed.