A China vai atualizar os caças JF-17 da Força Aérea do Paquistão com um sistema de radar que irá melhorar substancialmente a capacidade de combate da aeronave.

Hu Mingchun, chefe do Instituto Nanjing de Pesquisa de Tecnologia Eletrônica de, disse que o radar de varredura eletrônica ativa (Active Electronically Scanned Array – AESA) de fabricação chinesa KLJ-7A dará ao JF-17 Thunder muitas vantagens em um combate aéreo.

Nosso produto aumentará tremendamente o alcance de detecção do jato, dando-lhe uma visão muito mais longa que ajudará a detectar as aeronaves inimigas muito antes e isso é muito importante porque em combate real, se você enxergar primeiro, você atira primeiro“. disse. “O radar é capaz de rastrear dezenas de alvos e engajar vários deles simultaneamente. Ele também tem boa resistência a interferência eletrônica do inimigo.

“O radar KLJ-7A pode ser montado em jatos de combate leves ou médios. É um dos melhores do mundo em termos de tecnologia e capacidade”, disse Hu.

O Instituto de Pesquisa, parte da gigante de defesa estatal China Electronics Technology Corp, é a maior e mais forte desenvolvedora de radares militares do país. Seus produtos foram vendidos para mais de 20 nações na África e na Ásia.

O JF-17, conhecido como o FC-1 na China, é um jato de combate leve multifuncional desenvolvido pela Aviation Industry Corp. da China e pelo Complexo Aeronáutico do Paquistão. O avião é amplamente utilizado pela Força Aérea do Paquistão e alguns supostamente foram comprados pela Força Aérea de Mianmar. Enquanto isso, a China e o Paquistão não poupam esforços para encontrar novos compradores.

Wu Peixin, analista do setor de aviação em Pequim, disse que a atualização com um tipo de radar de ponta irá, sem dúvida, melhorar o conceito do JF-17/FC-1 para potenciais compradores de países em desenvolvimento.

O KLJ-7A permitirá que o JF-17 e suas variantes tenham uma capacidade de combate mais forte a um custo razoável, permitindo que a aeronave faça frente a jatos caros do Ocidente ou russos“, disse ele.

Hu sugeriu que a China encoraje e dê mais apoio aos esforços dos fabricantes chineses de armas para exportar, pois ao fazê-lo, as tecnologias e produtos de defesa do país terão mais oportunidades de mostrar suas vantagens aos compradores.

O instituto de pesquisa tem promovido uma série de radares de nova geração capazes de detectar aeronaves furtivas, como o F-22 Raptor.

Esses novos tipos de radar, como o YLC-8B, SLC-7 e SLC-12, integram o tradicional método de detecção de varredura mecânica com a tecnologia bidimensional de fase ativo, para que eles possam lidar não apenas com caças stealth mas também aeronaves não tripuladas e até mísseis balísticos ou de cruzeiro, de acordo com o instituto.

Hu disse que o instituto não apenas vende seu radar, mas também fornecer pacotes de solução de defesa aérea aos clientes e ajuda para construir suas próprias capacidades de pesquisa e desenvolvimento.

No passado, nosso radar estava atrasado, então tivemos que seguir as regras dos outros tanto no mercado quanto no campo de batalha. Agora, começamos a nos tornar líderes nessa esfera. Portanto, estamos nos tornando criadores de regras e fazendo outros seguirem nossas regras“, disse Hu.


FONTE: ECNS

Anúncios

20 COMENTÁRIOS

  1. O problema que vai custar o mesmo que um Gripens C/D novos de fábrica
    Nada contra o JF-17, mas eu iria de Gripens C/D ou pelo menos Mig35 novo

    • 12 Gripen C/D foram ofertados ao Brasil e Croácia por cerca de novecentos e poucos milhões de dólares, um pacote com 12 JF-17 não custaria tudo isso.

  2. visual interesante ele tem e com radar AESA pode sim se ruma boa opção para paises sem muito dim dim

    • Respeitosamente, o quê você acha bom nesse avião?

      Ele é menos capaz que os outros em tudo, é pouco mais que um treinador avançado no ocidente.

      • E o que você acha ruim nesse avião? É uma aeronave com (supostamente) um excelente custo-benefício, ainda mais agora recebendo um radar AESA. E em comparação a qual caça exatamente ele seria inferior?

        Digo, você não pode por exemplo comparar o JF-17 com o F-16, F-15, MiG-35, ou talvez até mesmo o Gripen (C), afinal são categorias diferentes. Deve-se comparar ele com caças da mesma categoria e mercado, como talvez o FA-50, FTC-2000 e F-CK-1, e nesse caso eu creio que o JF-17 tenha muitas vantagens.

        • Não acho ruim.
          Só perguntei por que ele acha tão bom um avião chinês não comprovado e de qualidade desconhecida.

          • Não é porque tem todos os opcionais que necessariamente é algo bom…

            Além disto bom é um conceito subjetivo..

            É bom comparado a o que ?

        • É isso mesmo, nobre Ufric. E já foram construídos mais de 100 JF-17. Já é um low bem interessante.

          • O Mig21, foram construídos mais que isto.

            Não é por isto deixou de ser limitado e ainda por cima mal projetado.

            • Categorias diferentes. Brinca com a inteligência. Você já leu a respeito do JF-17? Eu acho que você deve informar-se melhor. E sair do anacronismo de equipe.

              • Só pelo preço se entende que é limitado..

                Por mais mão de obra escrava que exista nestes fins de mundo que você idolatra não existe magia…

                Tecnologia custa dinheiro.

        • Quais são as muitas vantagens que ele tem sobre o FA-50 e o F-CK-1 ? É tremendamente inferior a estes em todos os aspectos. O JF-17 é um fusca melhorado, simples, barato e confiável para algumas tarefas, mais ainda um fusca.

            • Sim, tem razão, o FA-50 é uma versão armada do treinador T-50, não pode ser comparado com o JF-17.

              • Creio que a KAI considera o FA-50 como um caça multi-missão, enquanto o TA-50 seria a versão armada do T-50.

          • Tremendamente inferior em todos os aspectos? O FA-50 nem tem BVR ainda (supostamente o AMRAAM será integrado no futuro, mas não sei como isso anda). Na verdade ele também não tem mísseis anti-navio, anti-radiação ou de cruzeiro, diferentemente do JF-17. São capacidades simplesmente não presentes no FA-50, que talvez nem deveria estar sendo comparado.

            Quanto ao F-CK-1, as única desvantagem em relação ao JF-17 que consigo pensar seria a falta de capacidade de reabastecimento aéreo, apesar que agora os JF-17 vão receber um AESA, o que já é uma grande vantagem.

            Você poderia citar quais são as tremendas desvantagens que o JF-17 tem relação ao FA-50 e F-CK-1?

    • para a Argentina estaria de bom tamanho, mas o Macri se afastou dos russos e chineses. Acho que vão acabar comornado uns M2000 usados.

Comments are closed.