Boeing 787-9 Dreamliner - LATAM
Boeing 787-9 Dreamliner, LATAM / © Daniel Gorun, em caráter ilustrativo

O grupo LATAM, resultado da fusão das companhias aéreas LAN (Chile) e TAM (Brasil), anunciou nesta segunda-feira (30) que suspenderá “temporariamente e por tempo indeterminado” seus voos para Caracas.

Segundo a empresa, a decisão foi tomada frente ao “complexo cenário macroeconômico atual que enfrenta a região”. A LATAM Brasil já cancelou no último sábado (28) seus voos entre Caracas e São Paulo (Guarulhos).

Com a medida, a LATAM – hoje maior companhia aérea da América Latina – se soma à Gol, à Air Canada, à Alitalia e, mais recentemente, à alemã Lufthansa, que também suspenderam suas operações na Venezuela por não conseguirem repatriar bilhões de dólares bloqueados no país.

O problema decorre do complexo sistema de câmbio em vigor no país. As empresas aéreas são obrigadas a vender passagens em bolívar (moeda venezuelana) e parte deste dinheiro é usado para gastos locais, como salário de funcionários e pagamentos de taxas. O excedente, porém, precisa ser transformado em dólar para ser repatriado ao país de origem das companhias aéreas.

Em 2012, as empresas podiam repatriar o dinheiro a uma taxa preferencial de 4,3 bolívares por US$ 1. Em 2015, o índice de conversão já havia subido para 12 bolívares por US$ 1.

Em fevereiro, quando a Gol suspendeu seus voos para Caracas, a empresa tinha R$ 351 milhões bloqueados no país. Na mesma época, a TAM tinha R$ 161 milhões retidos na Venezuela.

“As suspensões, que serão feitas de forma gradual, serão concluídas em 1º de agosto deste ano”, disse a LATAM, em nota. O grupo anunciou que, no final de julho, a LATAM Airlines Peru suspenderá os voos entre Lima e a capital venezuelana, e a LATAM Airlines, os trechos entre Santiago, Guayaquil e Caracas.

Segundo o grupo, os passageiros com reservas para as rotas que serão suspensas vão poder remarcar as viagens ou solicitar o reembolso da passagem sem a cobrança de taxas.

“As empresas do Grupo LATAM consideram a Venezuela um mercado relevante e, por isso, trabalharão para a retomada dessas operações brevemente e assim que as condições globais a permitam”, diz a nota divulgada pelo grupo.

No último domingo, a alemã Lufthansa havia anunciado a suspensão de voos para a Venezuela, a partir de Frankfurt.

A Venezuela tem as maiores reservas de petróleo do mundo, mas atualmente é afetada pela queda dos preços da commodity. O governo tomou várias medidas de restrição de movimento de capitais.

Boeing 767-316ER - LATAM
Boeing 767-316/ER, LATAM / © Mark Szemberski, em caráter ilustrativo

divider 1

FONTE: Folha de S. Paulo

EDIÇÃO: Cavok

NOTA DO EDITOR: E a Venezuela caminha a passos largos para se tornar uma Coreia do Norte.

“¡Chávez vive, la Patria sigue! Independencia y Patria Socialista. Viviremos y Venceremos”.

Anúncios

11 COMENTÁRIOS

    • Estão a beira de uma crise alimentar. A ONU se mantem em silêncio já que a agência para alimentação é comandada por um petista,

      • Já estão em uma crise alimentar, nossa mídia progressista omite, mas ontem saiu uma matéria mostrando venezuelanos indo procurar restos de alimentos nos aterros sanitários.

        Sem contar o aumento exponencial de furtos de animais de estimação nos centros urbanos para consumo!

  1. Em 2005 no finado Orkut eu participava de algumas comunidades de discussão politica.
    Lá tinha a LNVAS a galera toda progressista "passava um pano" para o Chavito.
    Na época eu já dizia que a Venezuela estava fadada ao abismo, e o pessoal tirava a maior onda…rs
    Eu sou profeta?
    -Não
    Os tontos que não aprendem com historia, só isso…

    • Na verdade, durou muito graças ao preço do barril. Agora, explicar que o valor do barril oscila aos socialistas é impossível. Preferem acreditar em uma conspiração marciana.

  2. Respeitosamente vou discordar do Editor , os venezuelanos não estão isolados do mundo como estão os norte coreanos . Eles podem ver todos os vizinhos abastecidos e vivendo dentro de uma certa "normalidade" enquanto eles se afundam , anotem minhas palavras…. "teremos violencia em larga escala e em breve"

  3. Essa esquerda caviar tem que aprender as regras de mercado, seja em qualquer lugar. Querem socializar tudo, mas quem paga a conta?. A Venefavela é o exemplo de caminho a NÃO ser seguido. O setor aéreo no mundo vem obtendo algum lucro, ao contrário do mercado nacional, mas a 'lambança' ocorrida no país vizinho extrapolou. Mais uma vez quem 'paga o pato' é o consumidor.

Comments are closed.