O Grupo Lufthansa concordou em comprar as principais partes da falida Air Berlin, incluindo a subsidiária austríaca Niki, a unidade regional Luftverkehrsgesellschaft Walter (LGW), juntamente com mais 20 aeronaves.

De acordo com a Air Berlin, a compra de € 210 milhões garante a preservação de todos os empregos na Niki e da LGW e abre a perspectiva de emprego para “milhares” de funcionários da Air Berlin. O acordo continua sujeito à aprovação do comitê de credores da Air Berlin, do administrador no processo de falência e da Autoridade da Concorrência Européia em Bruxelas.

Se o acordo obtiver todas as aprovações necessárias, a Lufthansa assumirá mais de 81 aeronaves da frota Air Berlin, incluindo 17 Bombardier Q400 da LGW e 20 Airbus A320 e 20 A320 da Niki. A subsidiária do Grupo Lufthansa, a Eurowings, assumirá os demais aviões da Air Berlin e expandirá sua frota de 160 para 210 com a compra de aeronaves adicionais. Como resultado, a Lufthansa espera gerar, além dos 7 mil empregos atuais, mais 3 mil postos de trabalho.

O anúncio ocorreu apenas dois dias depois que a Air Berlin notificou seus clientes que cessaria as operações no dia 28 de outubro.

Enquanto isso, as negociações para outras partes da Air Berlin continuam com a EasyJet. A operadora de baixas tarifas do Reino Unido apresentou uma oferta, abrindo a possibilidade de mais empregos para os funcionários da empresa alemã.

A Air Berlin declarou insolvência no dia 15 de agosto, depois de não convencer seu principal acionista minoritário (29%), a Etihad Airways, a manter a companhia alemã com novos financiamentos. Em abril passado, a Etihad injetou € 250 milhões na Air Berlin. No entanto, o negócio da Air Berlin se deteriorou a um ritmo sem precedentes, impedindo que ela superasse seus desafios significativos e implementar soluções estratégicas alternativas.


FONTE: AINonline

Anúncios