Helicóptero Sikorsky S-61 Nuri da Real Força Aérea da Malásia.

Os antigos helicópteros Sikorsky S-61 A-4 “Nuri” da Malásia serão desativados, sobrando apenas uma dúzia de helicópteros franceses Eurocopter EC725 Cougars para atender os militares do país.

“A decisão difícil foi tomada após deliberações nas últimas duas décadas. A Força Aérea Real da Malásia (RMAF) recomendou fortemente que esses helicópteros Nuri fossem descomissionados”, disse o chefe da RMAF, general Datuk Seri Ackbal Abdul Samad, segundo o New Straits Times na quarta-feira. .

Ele disse que o Ministério da Defesa está preparando os documentos para aprovação do gabinete.

“O desgaste, após voar laboriosamente por 52 anos, está além da imaginação, com custos exorbitantes para sua manutenção, que incluem manutenção, serviços, reparos e peças. Sinceramente, eles chegaram ao fim, especialmente devido a dificuldades logísticas e demoradas em adquirir peças de reposição”, explicou o chefe da RMAF.

A RMAF operou recentemente menos de 20 helicópteros Nuri no Esquadrão Nº 3 em Butterworth e Esquadrão Nº 7 em Kuching.

Em março de 2015, a RMAF entregou 14 helicópteros Nuri de sua frota de 38 para a ala aérea do exército. Além dos helicópteros Nuri e dos Cougars, a Malásia opera quatro Sikorsky S-70A Blackhawks em configuração VIP a partir de sua base em Subang.

Ackbal disse que a RMAF encaminhou suas recomendações ao Ministério da Defesa para alugar ou adquirir novos helicópteros.

“Depende muito da disponibilidade de fundos, que é o cerne da questão. Felizmente, uma decisão firme pode ser tomada no 12º Plano da Malásia (2021-2025)”, afirmou.

Os helicópteros Nuri foram aterrados após um acidente quase fatal no campo militar de Gubir, em Kedah, em 2 de agosto do ano passado. A helicóptero sofreu uma falha mecânica.

A Malásia anteriormente planejava eliminar gradualmente os helicópteros até 2012, depois que mais de 80 pessoas morreram em mais de 20 acidentes desde que foram introduzidos pela primeira vez em 1967.

Os helicópteros foram posteriormente submetidos a atualizações de fuselagem e aviônica por extensão de vida em Subang. Suas pás e caixas de engrenagens do rotor principal e de cauda foram aprimoradas e equipadas com datalinks digitais, equipamento de autoproteção, proteção blindada e metralhadoras montadas nas portas de carga.

No ano passado, o então chefe da RMAF, Affendi, revelou que 40% dos ativos da RMAF precisavam ser atualizados. Ele disse que as atualizações do sistema são necessárias para garantir que operem em um nível ideal e tenham menos gastos com manutenção.

Anúncios