Em 2020 uma nova tecnologia conectará simuladores de F-35 em todo o mundo.

No próximo ano, os pilotos do F-35 da Força Aérea dos EUA poderão entrar em um simulador e praticar ataques coordenados em larga escala com outros usuários do F-35A em simuladores ao redor do mundo“, disse o chefe de treinamento do F-35 da Lockheed Martin.

A capacidade, chamada de Distributed Mission Training (DMT), permitirá que um número ilimitado de simuladores de F-35 sejam conectados em rede, possibilitando o treinamento de ponta, disse Chauncey McIntosh, vice-presidente da Lockheed para treinamento e logística do F-35.

Atualmente, as bases do F-35 podem vincular apenas quantos simuladores tiverem no local – geralmente até quatro. No entanto, o DMT permitirá que todas as bases da Força Aérea dos EUA conectem até quatro de seus próprios simuladores F-35 com os de qualquer outra base da Força Aérea. Em algum momento, os simuladores do F-35A também poderão se conectar regularmente a qualquer outro simulador de aeronave que possa ser suportado na mesma rede.

Aqui em Orlando, em nossos laboratórios, já conectamos o F-22, o F-16, bem como o E-3 AWACS“, disse McIntosh. “Quase toda semana estamos escrevendo cenários de teste com plataformas adicionais“.

A Lockheed possui contrato para fornecer DMT à Força Aérea, Marinha e Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, bem como ao Reino Unido. “No entanto, como todas essas entidades executam seus simuladores F-35 em redes diferentes, ainda não é possível conectar os pilotos da Força Aérea com os pilotos dos Fuzileiros“, disse McIntosh.

Embora o programada DMT esteja programado para dar início do próximo ano, o  JPO (joint program office – escritório  conjunto para o programa F-35) e a Lockheed ainda estão discutindo o cronograma.


Com informações de Defense News

Anúncios

7 COMENTÁRIOS