Momento que o 737-800 da Ukraine International é atingido por um dos mísseis iranianos.

Um novo vídeo mostra que dois mísseis atingiram o voo 752 da Ukraine International Airlines, que caiu pouco depois de decolar do aeroporto de Teerã na quarta-feira passada.

O vídeo parece ser de uma câmera de segurança no telhado de um prédio perto de onde o avião foi atingido. O vídeo, que foi enviado ao YouTube por um usuário iraniano no início da terça-feira, foi confirmado como autêntico por uma equipe de investigação do New York Times.

O vídeo mostra um míssil atingindo o avião, o que parecia resultar em uma pequena explosão, seguido pelo segundo ataque de míssil cerca de 20 segundos depois.

Nenhum dos mísseis derrubou o avião imediatamente, que continuou a voar por vários minutos e tentou retornar ao aeroporto. No novo vídeo, o avião parece estar pegando fogo logo após o segundo míssil atingir.

Um vídeo que surgiu na semana passada mostrou o impacto de um dos mísseis. Todas as 176 pessoas no avião, um Boeing 737-800 com destino a Kiev, morreram.

O NY Times disse que o novo vídeo poderia ajudar a explicar por que o transponder do avião parou de transmitir antes do acidente, sugerindo que ele foi desativado após o impacto primeiro míssil.

O acidente ocorreu horas depois que o Irã disparou vários mísseis em duas bases militares no Iraque, que abrigavam as forças americanas e aliadas. As autoridades iranianas inicialmente negaram o avião foi derrubado, mudando o depoimento e confirmando que disparou por engano o sistema de defesa aérea, culpando um erro humano, já que os militares estavam em alerta máximo no caso de ataques de retaliação.

Autoridades iranianas disseram que o avião estava muito perto de um local militar, mas uma análise dos dados do transponder de voos anteriores para Kiev e outros vôos na manhã de quarta-feira mostrou que o voo 752 não se desviou de sua rota normal ou variou significativamente de outros vôos civis aquele dia.

A trajetória do 737 ucraniano foi a mesma que de outros voos no mesmo dia. (Foto: FlightRadar24)

O ataque com mísseis do Irã, que não matou ou feriu tropas americanas nas bases iraquianas, era uma retaliação por um ataque americano que matou o general militar mais proeminente do país, Qassem Soleimani.

Uma equipe de especialistas canadenses que ingressou na investigação visitou o local do acidente nesta terça, informou uma agência de notícias iraniana. Além disso, o premiê canadense, Justin Trudeau, pediu a ajuda de Kiev para conversar com o Irã sobre a identificação dos corpos dos cidadãos canadenses que foram mortos.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS