O acordo assinado entre os governos da Guatemala e Argentina indica que a primeira contribuição, de US$ 11 milhões e 196 mil, deve ser finalizada nos primeiros 15 dias de fevereiro de 2020.

A iniciativa enviada no dia 28 de novembro pelo Executivo ao Congresso da República da Guatemala e registrada com o número 5665 pela Diretoria Legislativa inclui a compra de duas aeronaves IA-63 Pampa III – produzidas pela fábrica de aeronaves argentina – FAdeA -, peças de reposição, equipamentos de apoio, sistema de apoio logístico, documentação técnica e treinamento para pilotos e mecânicos da Força Aérea da Guatemala por US$ 27 milhões e 990 mil.

Alfredo Brito, secretário de Comunicação Social da Presidência da República, confirmou o novo acordo assinado com o governo da República da Argentina. “A aprovação do acordo em questão é submetida à consideração do Congresso da República, para que, de acordo com as disposições da Constituição Política da República, o suprimento de defesa possa ser adquirido, desde que aprovado por esse órgão” ele indicou.

O novo acordo estabelece o modo de financiamento do sistema de defesa aérea que a Argentina forneceria. A primeira parcela será de 40% do valor (US$ 11 milhões 196 mil) e deverá ser paga nos primeiros 15 dias de fevereiro de 2020.

A segunda parcela, 25% – US$ 6,997,500 -, será feita dentro de 15 dias corridos a partir da conclusão da fabricação da primeira aeronave – quando estiver em condições de iniciar testes funcionais do sistema.

A terceira parcela, da mesma quantia que a segunda, será feita dentro de 15 dias corridos a partir da conclusão da fabricação da segunda aeronave – quando estiver em condições de iniciar testes funcionais do sistema.

A quarta parcela, de 5% – US$ 1,399,500, dentro de 15 dias corridos a partir do primeiro voo na Guatemala da primeira aeronave.

E a quinta parcela, 5%, dentro de 15 dias corridos a partir do primeiro voo na Guatemala da segunda aeronave.

As transferências de capital serão feitas para as contas da FAdeA determinadas no contrato.

FONTE: Prensa Libre

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Estranho
    No governo Macri cancelaram rápido. Mudou de governo e a propina deve ter saído mais rápido no governo atual da Argentina e assinaram rapidinho.
    Claro que não tô nem aí para o dinheiro do contribuinte da Guatemala mas sabemos que não é um país muito sério.

Comments are closed.