No dia 20 de dezembro, dois conselhos da Suíça aprovaram a compra de novos aviões de combate por até US$ 6,1 bilhões.

A votação final foi de 123 a 68 com 5 abstenções no Conselho Nacional e 33 a 10 com uma abstenção no Conselho dos Estados.

O Conselho Nacional e o Conselho de Estados tiveram que esclarecer a última diferença em relação à aquisição de novos aviões de combate na quinta-feira. Após a conferência de unificação, o projeto prevê compensações de 60% e a possibilidade de um referendo.

Das compensações, 20% devem ser fornecidas através de compensações diretas e 40% através de compensações indiretas na área de base tecnológica e de indústria relacionada à segurança, como nos seguintes outros setores industriais: indústria de máquinas; indústria de metal; indústria eletrônica e eletrotécnica; indústria ótica; indústria de relógios; Indústria de construção de veículos / construção de vagões; Produtos de borracha e plástico; produtos químicos; Aeroespacial; Indústria de TI / engenharia de software; Cooperação com universidades e instituições de pesquisa.

O Conselho de Estados aprovou esse compromisso por 41 votos a favor, com 3 abstenções, e o Conselho Nacional, por 122 votos a favor, 66 contra e 4 abstenções.

O modelo ajustado se desvia do esboço do Conselho Federal em outro ponto: os dois conselhos desejam ancorar uma chave de distribuição na decisão de planejamento. De acordo com isso, 65% dos negócios na Suíça de língua alemã seriam compensados, 30% no oeste da Suíça e 5% na Suíça de língua italiana. O Conselho Federal também menciona esses valores orientadores em sua mensagem sobre a decisão de planejamento.

A votação do referendo está prevista para 27 de setembro de 2020. No início de 2021, será feita a escolha do tipo para novas aeronaves de combate e para um novo sistema de defesa aérea terrestre com maior alcance. Este sistema deve ser adquirido no máximo por US$ 2 bilhões, de acordo com o procedimento usual.

Mesmo se as pessoas aprovarem a decisão de planejamento para o novo avião de combate, o Conselho Federal enviará a aquisição específica de aeronaves ao Parlamento como parte de uma mensagem do exército. Isso está previsto com a Proposta do Exército de 2022.

Na primavera passada, quatro fabricantes testaram suas máquinas no espaço aéreo suíço. São as aeronaves: Lockheed Martin F-35 Lightning II, Boeing F/A-18 Super Hornet, Dassault Rafale e Airbus Eurofighter Typhoon. O relatório de avaliação deve estar disponível no segundo semestre de 2020.

A partir de 2025, os primeiros jatos deverão subir ao céu com as cores da Força Aérea Suíça, e as entregas deverão estar concluídas em 2030. Paralelamente, os F/A-18 e os últimos F-5E Tiger II serão desativados. Como a decisão de tipo ainda não foi tomada, o preço exato por peça e, portanto, o tamanho da frota não é claro.

Segundo um grupo de especialistas, o preço médio por aeronave, incluindo armamento, logística, sistemas, atualizações e outros custos, é de cerca de US$ 204 milhões. Trinta novos caças poderiam ser comprados com US$ 6,1 bilhões.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

Comments are closed.