A empresa de tecnologia L3 entregou a terceira e última aeronave RC-135V/W Rivet Joint para a Real Força Aérea Britânica.

A L3 Technologies anunciou hoje que entregou o terceiro e último avião de inteligência de sinais (SIGINT) RC-135V/W Rivet Joint para Real Força Aérea Britânica (RAF), uma etapa que marcou a conclusão do histórico programa Airseeker entre a Força Aérea dos EUA (USAF) e o Ministério da Defesa do Reino Unido.

As três aeronaves Rivet Joint destinadas para o Reino Unido formam a espinha dorsal da capacidade Airseeker britânica, fornecendo recursos novos e colaborativos de inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR) em apoio a missões de segurança globais. Após o pouso na Base da RAF de Waddington, Lincolnshire, no Reino Unido, a aeronave foi formalmente transferida para a RAF, completando as entregas de hardware no âmbito do contrato de vendas militares estrangeiras (FMS) avaliado em aproximadamente US$ 1 bilhão.

Em conjunto, as aeronaves Rivet Joint da RAF e da USAF formam uma frota combinada de 20 aeronaves, e a L3 realizará futuras atualizações na linha de base e manutenção periódica em nível de depósito na frota. A L3 também entregou uma estação para apoiar operações terrestres e sistemas de treinamento para treinar operadores e mantenedores.

“Este acordo revolucionário dá ao Reino Unido o acesso a tecnologia inovadora e futura, apresentando um alto nível de interoperabilidade com os principais parceiros da coalizão”, disse Christopher E. Kubasik, presidente e diretor de operações da L3. “Esta parceria forneceu aos nossos aliados do Reino Unido uma plataforma de coleta de informações que suporte capacidades de coleta, análise e disseminação das cenas em tempo real”.

“Os analistas aclamaram este programa entre os dois países como o mais alto nível de cooperação de inteligência entre os EUA e o Reino Unido desde a Segunda Guerra Mundial”, disse Mark Von Schwarz, vice-presidente sênior da L3 e presidente do segmento de negócios de Sistemas Aeroespaciais. “Os EUA e o Reino Unido estarão envolvidos de perto no futuro amadurecimento do sistema de armas Rivet Joint durante pelo menos os próximos 25 anos”.

Sob o acordo, o Reino Unido comprou três aeronaves Rivet Joint para posterior conversão pela L3 a partir de aeronaves KC-135R para a configuração RC-135W. As primeiras duas aeronaves foram entregues em 2013 e 2015, respectivamente, e após receberam seus registros de aeronavegabilidade.

Chegada da primeira aeronave RC-135 na Base da RAF de Waddington. (Foto: SAC Blake Carruthers / Crown / UK MoD)

“A cooperação entre a L3, a USAF e o Ministério de Defesa do Reino Unido em todo o programa Airseeker tem sido a chave para entregar aeronaves com antecedência e colocando a capacidade antes do cronograma original”, disse Bill Chrispin, gerente de entrega do programa Airseeker junto ao Ministério de Defesa do Reino Unido.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Detalhe: essas células são mais velhas que os Nimrods R1 que vieram substituir.

  2. Este é um dos aviões que a L3 fornece e atualiza o recheio, mas ja indicou que não vale mais a pena investir nos 707, a L3 afirma que deveriam passar o recheio aos B767, sejam novos ou usados, e que o investimento seria amortizado pela manutenção mais barata em poucos anos.

    • E haviam Boeings 767 disponíveis na frota da British Airways (os únicos equipados com motores RR RB 211). Outra saída seria comprar mais três A-330 MRTT e passar para eles o recheio, com a vantagem que ainda conservariam alguma capacidade de REVO.

Comments are closed.