Aeronave de alerta aéreo antecipado A-50 Mainstay em foto de arquivo.

Vários caças sul-coreanos foram acionados para interceptar seis aviões russos que invadiram a Zona de Identificação de Defesa Aérea da Coreia (KADIZ) na terça-feira (22/10).

Uma aeronave de alerta aéreo antecipado A-50, três caças Su-27 e dois bombardeiros Tu-95 entraram na KADIZ quatro vezes sem aviso prévio. Seul enviou cerca de 10 caças, incluindo jatos F-15K e KF-16 para rastrear e enviar mensagens de aviso para forçá-los a sair, informou a agência de notícias Yonhap na terça-feira.

As aeronaves ficaram na zona por cerca de quatro horas no total antes de partir, disse o Junta do Estado Maior.

Caças F-15K foram acionados para interceptações.

Os aviões de guerra violaram a KADIZ sobre as águas ao redor da Península Coreana, incluindo as ilhotas mais a leste do país, de Dokdo e a ilha de Ulleung, no Mar Oriental; acima da cidade de Pohang, no sul, e da ilha de Jeju e áreas no mar Amarelo.

No gráfico abaixo, representação das incursões russas na KADIZ. A legenda do gráfico é esta: 9h23 às 9h30 o avião militar russo A-50 entra na KADIZ. Sai e reentra às 10h06 e depois sai novamente às 10h13 na mesma rota; Às 14h41 entram dois Tu-95 e um Su-27, com o Su-27 virando para leste e deixando a KADIZ às 11h09, com os dois Tu-95 voando para o sul e deixando a KADIZ às 11h10; às 11h58 os dois Tu-95 entram novamente na KADIZ pelo lado sul da Ilha de Jeju, deixando a KADIZ às 12h58 em Tai’an West; os dois Tu-95 reentram ao oeste da ilha remota, voando no sentido inverso, às 01h40; às 2h44 duas aeronaves Su=27 entram na KADIZ e se encontram com os dois Tu-95 indo para o norte às 3h01, todas deixando a KADIZ às 3h13.

Mas nenhuma das aeronaves violou o espaço aéreo territorial da Coreia do Sul, disse a junta.

No início deste mês, os relatórios sugeriam que a Coreia do Sul estava planejando assinar um acordo para estabelecer uma linha direta militar direta com a Rússia, a fim de compartilhar informações sobre voos militares e impedir qualquer violação acidental do espaço aéreo até o final do mês.

A violação mais recente elevou o número total de entradas de aeronaves russas na KADIZ até agora este ano para 20.

Após o incidente, o Ministério da Defesa Sul-Coreano apresentou uma queixa forte à Rússia e instou a Rússia a propor medidas para evitar recorrências, segundo funcionários do ministério.

Anúncios