Airbus A340-600 da South African Airways.

A companhia aérea sul-africana South African Airways (SAA) colocou à venda nove aviões de longo curso, que se tornaram desnecessários na sua frota após a chegada no final do ano passado de quatro novas aeronaves Airbus A350-900, embora a maioria ainda esteja sendo usada regularmente em voos para os principais destinos do mundo.

A licitação da frota que a SAA considera excedente – cinco aviões Airbus A340-300 e quatro A340-600, que são acompanhados por mais 15 motores sobressalentes e duas unidades de potência auxiliar (APUs) – está sendo vendida através do site da companhia. As propostas poderão ser apresentadas até às 11h00 locais da África do Sul (09h00 UTC) do dia 30 de janeiro.

Quatro dos aviões são da variante A340-600, que entrou em serviço pela primeira vez em 2001 e pode transportar 317 passageiros, conforme configurado pela SAA. Os outros cinco são A340-300, voados comercialmente pela primeira vez em 1993, e com uma capacidade para 251 pessoas.

“Depois que recebemos os quatro novos Airbus A350-900, tornou-se necessário vender os nossos aviões mais antigos para acomodar os novos modelos com recursos superiores, como a cabina mais silenciosa, o ambiente de voo relaxante e mais assentos com espaço extra para as pernas na Classe Económica e poltronas-cama na Classe Executiva”, justifica Zuks Ramasia, presidente executiva em exercício da SAA, em um comunicado distribuído na quinta-feira, dia 16 de janeiro, pela companhia.

Zuks Ramasia esclarece ainda que a venda das aeronaves nada tem a ver com a situação económica-financeira difícil que a companhia vive, pois desde antes do início do processo de recuperação da empresa já estava prevista a venda dos nove aviões e dos motores sobressalentes.

“Quando recebemos os cinco aviões A330-300 em 2017 e em 2018, já tínhamos planejado vender cinco A340, mas devido a termos parte da frota operacional em manutenção, a retirada das aeronaves foi adiada. Agora é a hora de vender”, disse Ramasia.

A SAA entrou no resgate de empresas em dezembro, no que o ministro das empresas públicas Pravin Gordhan descreveu como “o mecanismo ideal para restaurar a confiança na SAA e salvaguardar os bons ativos da SAA e ajudar a reestruturar e reposicionar a entidade em uma que seja mais forte, mais sustentável e capaz, crescer e atrair um parceiro de capital”.

Todos os aviões, exceto um, parecem estar em uso, de acordo com uma verificação dos registros de voo feita pelo site SimplyFlying.

Três dos A340-600s são usados ??na rota para o Aeroporto Internacional John F. Kennedy, em Nova York. O outro é usado para voar para Frankfurt.

Um dos A340-300s parece não estar em serviço no momento. Nos outros três, um foi flagrado servindo a rota de Joanesburgo para a Cidade do Cabo, um voando para Munique e outro para Perth.

Os quatro novos Airbus A350-900 começarão a operar na próxima semana nas rotas internacionais da SAA, acompanhando os cinco A330-300, confirma a companhia de bandeira sul-africana.

Estes são os aviões à venda.

A340-600s:

ZS-SNC
ZS-SND
ZS-SNF
ZS-SNG

 

A340-300s:

ZS-SXD
ZS-SXE
ZS-SXF
ZS-SXG
ZS-SXH

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Forma um pouco diferente de se vender aviões.
    Possivelmente, alguma empresa menor na África ou Ásia se interesse.

  2. Taí uma oportunidade interessante para a FAB, apesar dos KC-390 estarem chegando.

    • Interessante pra que? Para levar autoridades em suas viagens custosas e desnecessárias? Substituir os "sucatões" por novos "sucatões?

Comments are closed.