Saab

Inicio Tags Aviação Comercial

Tag: Aviação Comercial

BRASIL: ANAC defende abertura total da aviação do país ao capital estrangeiro

9
Aviation
Organismo deu exemplos internacionais de sucesso na área do turismo e aviação de países que trabalham com capital aberto ou com pouca restrição.

A ANAC defende elevar de 20% para 49% a fatia que uma empresa estrangeira pode ter em uma companhia de transporte aéreo brasileira, podendo esse teto ir até 100% caso haja acordos de reciprocidade. A medida é defendida como sendo uma saída para enfrentar o desafio de crescimento que o setor enfrenta.

Anúncios

CityJet, da Irlanda, recebe seu primeiro Sukhoi Superjet 100, tornando-se o primeiro operador europeu da aeronave

22
CityJet - Sukhoi SuperJet 100 (1)
Sukhoi Superjet 100 (SSJ100), CityJet / © SuperJet International

Sukhoi Civil Aircraft Company e a SuperJet International (uma joint venture entre a Leonardo-Finmeccanica, da Itália, e a Sukhoi Holding, da Rússia) comemoraram hoje (24) a entrega do primeiro jato Sukhoi Superjet 100 (SSJ100) para CityJet, uma cia aérea da Irlanda, que se torna o primeiro operador europeu da aeronave.

Encontrados destroços do Airbus A320 da EgyptAir

0
su-gcc-egyptair-airbus-a320-232_Mehmet Mustafa CELIK
Aeronave acidentada: EgyptAir, Airbus A320-232, registro SU-GCC / © Mehmet Mustafa CELIK, em caráter ilustrativo

O ministro grego da defesa confirmou que destroços, pertences e até pedaços de corpos de passageiros do voo 804 da EgyptAir, que desapareceu na quinta-feira (19), foram encontrados no Mediterrâneo nesta sexta-feira (20), segundo a BBC. O avião, que partiu de Paris em direção ao Cairo, transportava 66 pessoas.

Airbus A320 da EgyptAir cai no mar em rota entre Paris e Cairo, diz França

4
su-gcc-egyptair-airbus-a320-232_András Soós
Aeronave acidentada: EgyptAir, Airbus A320-232, registro SU-GCC / © András Soós, em caráter ilustrativo

Um voo da EgyptAir que ia de Paris para o Cairo com 66 pessoas a bordo caiu no mar Mediterrâneo na madrugada desta quinta-feira, informou o presidente da França, François Hollande.

Em entrevista coletiva em Paris, Hollande disse que toda a informação reunida até agora indica que o voo MS804 caiu – mas nenhuma hipótese para a causa do acidente foi descartada, afirmou o presidente.

“A informação que reunimos – ministros, membros do governo e, claro, autoridades egípcias – confiram, infelizmente, que ele (avião) caiu. Ele está perdido”, declarou o mandatário francês.

Segundo o Ministério da Aviação Civil do Egito, o Airbus A320 perdeu contato com o radar quando voava a 11,3 mil metros de altitude sobre o mar Mediterrâneo, às 21h30 de Brasília (2h30 do Cairo) e cerca de meia hora antes do pouso previsto na capital egípcia.

Equipes de resgate egípcias e gregas foram enviadas para a última posição conhecida da aeronave, ao sul da área entre as ilhas de Creta e do Chipre.

O voo MS804 levava 56 passageiros – entre eles três crianças -, sete tripulantes e três seguranças, segundo a companhia aérea. Havia entrado 16 km dentro do espaço aéreo egípcio quando perdeu contato com os radares.

Nas 24 horas anteriores ao acidente, a aeronave havia passado pela Eritréia, na África, pela Tunísia e pelo Egito.

_89738296_egyptair_previousflights_624map_portuguese_v2-2
Percurso da aeronave nas 24 horas anteriores ao acidente

Segundo o Departamento de Meteorologia da BBC, o tempo na região era bom no momento do desaparecimento, sem registro de tempestades.

Entre os passageiros havia 30 egípcios, 15 franceses, dois iraquianos e um britânico, além de cidadãos da Bélgica, Kuwait, Arábia Saudita, Argélia, Sudão, Chade e Portugal.

O Ministério das Relações Exteriores do Egito divulgou nota em que fez referência à “queda” do avião. O comunicado diz que os chanceleres do Egito e da França trocaram condolências e acordaram trabalhar em conjunto na apuração do caso.

Mais cedo, uma declaração da fabricante Airbus havia feito referência à “perda” do avião.

_89737082_ms804
Imagem do site Flightradar24 mostra a rota percorrida pelo voo MS804 antes do desaparecimento

O governo francês convocou uma reunião para discutir a crise.

O primeiro-ministro do Egito, Sherif Ismail, foi até o aeroporto do Cairo para se encontrar com famílias de passageiros, informou a TV estatal do Egito Nile News. Em Paris, parentes de passageiros esperam notícias em um hotel próximo ao aeroporto Charles de Gaulle.

O especialista em aviação Alex Macheras disse à BBC que o Airbus A320 é uma aeronave “incrivelmente segura” e regularmente usada para voos de curta duração.

Espectro do terrorismo

Em março, um avião da EgyptAir foi sequestrado e desviado até o Chipre. O sequestrador se entregou e todos os passageiros foram liberados.

Em outubro de 2015, um avião de passageiros russo que decolara do balneário egípcio de Sharm el-Sheikh caiu sobre a península do Sinai, matando as 224 pessoas a bordo.

Autoridades em Moscou e no Egito concluíram depois que a aeronave fora derrubada por um artefato explosivo. O grupo extremista autodenominado Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque.

Para o correspondente de segurança da BBC, Frank Gardner, o “espectro do terrorismo” inevitavelmente ronda esse episódio.

“Embora ainda não haja evidência que indiquem um ataque malicioso, faz apenas sete meses que o grupo autodenominado Estado Islâmico colocou uma bomba que derrubou um avião de passageiros russo sobre o Sinai”, disse Gardner, lembrando que o EI prometera continuar alvejando o Estado egípcio e ocidentais que visitam o Egito.

su-gcc-egyptair-airbus-a320-232_Kevin Cleynhens
Aeronave acidentada: EgyptAir, Airbus A320-232, registro SU-GCC / © Kevin Cleynhens, em caráter ilustrativo

divider 1

FONTE: BBC

EDIÇÃO: Cavok

NOTA DO EDITOR: A aeronave acidentada foi fabricada em 2003 e tinha 48 mil horas de voo. Assim que surgirem informações adicionais, informaremos através do site.

Itamaraty examina com Embraer como reagir a novos subsídios do Canadá

2
Embraer
© Embraer

O Itamaraty acompanha atentamente o anúncio de aportes de capital que o governo do Canadá fará na Bombardier para o desenvolvimento de seu modelo C Series, que compete contra os E-Jets da Embraer e afetará as condições de concorrência no mercado de jatos regionais.

American Airlines vai retirar da frota 20 aeronaves Embraer E190 até 2019

1
Embraer 190AR (ERJ-190-100IGW) - American Airlines
Embraer 190AR (ERJ-190-100IGW) – American Airlines / © Chris Gimmillaro, em caráter ilustrativo

A American Airlines, maior companhia aérea dos Estados Unidos, vai retirar até 2019 as 20 aeronaves Embraer E190 que a companhia tem em sua frota. O plano faz parte de um programa que inclui também a retirada de operação de modelos Airbus A330-300 e Boeing 767.

CEO da Embraer acusa Bombardier de receber US$ 2 bilhões em subsídios e “distorcer mercado”

7
c-ffco-bombardier-bombardier-cseries-cs100-bd-500-1a10_Bombardier
Bombardier CSeries CS100 / © Bombardier

Uma nova polêmica acaba de surgir no mercado mundial de aviação. O Presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial, Paulo Cesar Silva, afirmou nesta sexta-feira (13), que a fabricante canadense Bombardier só “ganhou” a disputa pela ordem firme de encomendas da Delta Air Lines, devido a subsídios impróprios fornecidos pelo próprio governo do Canadá. “É claro que por vezes ganhamos, por vezes perdemos os negócios neste mercado. Minha acusação, porém, provém da maneira que perdemos esta negociação”, disse.

Airbus registra 85 encomendas e 52 entregas em abril

2

Airbus_formation_flight_A320_A330_A350_XWB_A380 (1)

A Airbus registrou em abril encomendas de 85 aeronaves em todas as linhas de produtos. Já as entregas somaram 52 unidades no período. As entregas feitas pela Airbus no mês passado foram compostas por 41 aviões da família A320, seis modelos A330, duas unidades do A350 XWB e três A380s.

Considerando as entregas de abril, o total de aeronaves da família A320 entregues para clientes de todo o mundo já ultrapassa a marca de sete mil unidades.

No mês passado, a Airbus continuou a expandir o livro de encomendas para a aeronaves da família A320, com contratos para 44 unidades. Liderando as vendas, a encomenda feita pela Delta Airlines para 37 modelos A321neo (atual opção de motor) elevou a base de operadores do A321 nos Estados Unidos para 82 pedidos.

Segundo a Airbus, uma das maiores encomendas em abril foi feita pela China Eastern Airlines, que firmou um acordo para a compra de 20 modelos A350-900. O mais novo jato da fabricante se junta a uma frota de quase 300 aeronaves da companhia, que já conta com modelos das famílias A320 e A330 — fazendo da companhia uma das maiores operadas Airbus no mundo.

Levando em conta os cancelamentos e conversões, as encomendas brutas registradas pela Airbus em 2016, até o dia 30 de abril, totalizaram 92 aviões.

A carteira de pedidos firmes a entregar (“backlog”) da Airbus até o dia 30 de abril alcançou 6.746 aeronaves.

As ações da empresa negociadas na bolsa de Paris fecharam o pregão desta terça-feira em alta de 2,15%, cotadas a 55,55 euros.

Durante o dia, o Goldman Sachs elevou de 63 para 69 euros o preço-alvo para os papéis da Airbus. A recomendação passou de neutra para compra.

divider 1

FONTE: Valor Econômico

EDIÇÃO: Cavok

 

ANAC sobe de 21ª a 5ª em ranking mundial de segurança na aviação

1

anac_bas_horz_esp-corA Organização de Aviação Civil Internacional (OACI) deu ao Brasil o percentual de 95,07% de conformidade no Universal Safety Oversight Audit Programme – Continuous Monitoring Approach (USOAP CMA), programa lançado em resposta às preocupações sobre a adequação da vigilância da segurança operacional da aviação civil em todo o mundo, disse a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que recebeu o relatório nesta semana.

O resultado coloca o Brasil entre os cinco países com melhores indicadores relacionados à segurança operacional, atrás somente do Canadá, Singapura, Coreia do Sul e Emirados Árabes Unidos.

Na avaliação anterior da OACI, realizada em 2009, a Agência ocupava apenas a 21ª posição nessa avaliação, com nota de 87,6%. A próxima auditoria da OACI no Brasil deverá ocorrer até 2018.

A avaliação da OACI foi feita após auditoria presencial realizada entre os dias 9 e 13 de novembro de 2015 na sede da Anac, em Brasília.

divider 1

FONTE: Valor Econômico

EDIÇÃO: Cavok

Delta encomenda 75 aeronaves CSeries 100 da canadense Bombardier e 37 aeronaves A321 da europeia Airbus

7
Concepção artística do Bombardier CSeries CS100 nas cores da Delta
Concepção artística do Bombardier CSeries CS100 nas cores da Delta / © Bombardier

A Delta Air Lines, segunda maior companhia aérea dos Estados Unidos, anunciou no dia 28 de abril a encomenda de 75 aviões CSeries CS100 da Bombardier no valor de 5,6 bilhões de dólares, dando fôlego ao novo programa de aeronaves da canadense, que está anos atrasado e bilhões de dólares acima do orçamento. Já no dia 29 de abril, foi anunciada a encomenda de 37 aeronaves A321 fabricadas pela Airbus, em um negócio que pode atingir US$ 4,3 bilhões a preço de tabela.

Com a encomenda da CSeries, a Delta disse que não vai introduzir o E190 da brasileira Embraer à frota como planejado. A Delta tinha dito que adicionaria até 20 aviões E190 da Embraer e 20 novos jatos 737-900ER, da Boeing, à frota.

A esperada encomenda marca um ponto de virada para a Bombardier, conforme a empresa realiza grandes esforços para entrar nas frotas das principais aéreas globais e atender o mercado de nicho para aviões de 100 assentos que as rivais maiores Boeing e Airbus negligenciaram.

A Bombardier disse separadamente nesta quinta-feira que o acordo inclui uma opção para que a Delta compre 50 aeronaves CS100 adicionais.

Para a Delta, o acordo permite a retirada da frota de jatos de 50 assentos usados por aéreas regionais contratadas para realizar voos sob sua marca Delta Connection.

c-ffco-bombardier-bombardier-cseries-cs100-bd-500-1a10_Bombardier
Bombardier CSeries CS100 / © Bombardier

Com relação à encomenda junto à Airbus, os A321 adicionais serão entregues até o final de 2019, e irão se juntar a 126 aviões do modelo A320 que já estão operando na frota da companhia. A empresa recebeu o primeiro A321 em março, e o voo inaugural está previsto para decolar no dia 2 de maio, segunda-feira, entre Atlanta e Orlando, na Flórida. Esta é a terceira encomenda feita pela Delta para o A321 em três anos.

primeiro A321 da Delta
Primeiro Airbus A321 da Delta Air Lines / © Benjamin Bearup

Essa compra é parte dos planos da Delta de renovar a frota de aviões menores, de um corredor, substituindo os jatos mais antigos que a companhia possui, como os modelos McDonnell Douglas MD-88.

A Delta Air Lines, principal sócia minoritária no Brasil da Gol, está renovando toda a fatia de modelos McDonnell Douglas da companhia — 116 MD-88 e 65 MD-90 — numa frota total do grupo que é composta por 809 aviões.

“A encomenda dos A321 é uma operação oportuna que nos permite produzir sólidos retornos e acelerar economicamente a aposentadoria das 116 aeronaves MD-88 da Delta em uma forma eficiente de capital”, disse o presidente da Delta, Ed Bastian.

Os Airbus A321 adicionais, que estão sendo adquiridos próximos ao fim do ciclo de produção do modelo, aumentam a frota de A321 da Delta para 82 e é consistente com o plano de frota doméstica anunciado anteriormente pela companhia aérea.

Segundo a Delta, essas encomendas são parte da estratégia da empresa de atualizar 20% da frota de aviões de um corredor em cinco anos. Esse é um dos instrumentos usados para alcançar os objetivos financeiros de longo prazo, incluindo a meta de 15% de crescimento do lucro líquido por ação e geração de US$ 4 bilhões a US$ 5 bilhões em fluxo de caixa livre anualmente.

d-ayap-delta-air-lines-airbus-a321-211wl_Andreas Fietz
O segundo Airbus A321 da Delta Air Lines visto no dia 16 de abril durante a realização de ensaios de voo em Bremen, na Alemanha / © Andreas Fietz

divider 1

FONTE: Reuters, Valor Econômico, Bombardier, Airbus

EDIÇÃO: Cavok

Boeing 737 MAX faz primeira viagem internacional em voo de teste

1
737-Teste-Bolivia_960x639
Teste em La Paz valida capacidades de alta altitude da aeronave / © Boeing

O Boeing 737 MAX 8 alcançou uma grande conquista ao completar os voo de teste de alta altitude em La Paz, na Bolívia. Essa é a primeira viagem internacional realizada pela aeronave dentro do programa de testes do 737 MAX.

A uma altitude de 4.050 metros de altura (13.300 pés), o teste realizado visava atestar a capacidade do MAX em voos e decolagens em altas altitudes, condição que pode afetar os motores e o desempenho geral da aeronave.

“Sob condições extremas, os motores e outros sistemas testados tiveram desempenho acima da média, conforme esperado. Isso é exatamente o que queríamos ver”, disse Keith Leverkühn, vice-presidente e gerente geral do programa 737 MAX.

Os voos de teste para o 737 MAX estão dentro do cronograma, com três aviões de teste tendo completado mais de 100 voos combinados até agora. O quarto e último avião de teste deverá fazer seu primeiro voo nas próximas semanas. O programa continua com o seu cronograma em andamento, com a primeira entrega prevista para o terceiro trimestre de 2017.

737-Teste-Bolivia-2_960x639
Teste em La Paz valida capacidades de alta altitude da aeronave / © Boeing

divider 1

FONTE: Boeing

EDIÇÃO: Cavok

BRASIL: Após dez anos, transporte aéreo de passageiros deve encolher em 2016

3

poaEm 2015, movimento caiu em seis dos dez maiores aeroportos brasileiros. Empresas aéreas cortam custos e oferta de vôos. Recuperação do setor só em 2017, preveem.

Problemas no sistema hidráulico do Airbus A320neo

1
A320neo_first_flight_take_off_2_F-WNEO
A320neo / © Airbus, em caráter ilustrativo

A Airbus está enfrentando um novo conjunto de problemas técnicos com algumas de suas novas aeronaves A320neo, além das falhas de motor já reportadas anteriormente, que causaram atrasos de entregas, disseram fontes do setor na segunda-feira.

Os problemas são relacionados aos sistemas hidráulicos e particularmente um barulho alto quando a aeronave está taxiando, disseram, acrescentando que alguns estão exibindo excesso nas temperaturas hidráulicas, o que pode ser um incômodo em climas quentes.

Falando separadamente em Dubai, o presidente-executivo da Qatar Airways, Akbar Al Baker, disse que a aeronave apresentava problemas “com o sistema hidráulico e o software”.

A Airbus reiterou que quaisquer falhas seriam solucionadas até julho.

FAA determina reparo ou substituição de motores GE tipo GEnx-1B PIP2 nos Boeing 787 Dreamliners

2
K65952_960x639
© Boeing, em caráter ilustrativo

A agência de aviação civil dos Estados Unidos — a Federal Aviation Administration (FAA) — determinou que as companhias aéreas americanas que possuem aviões Boeing 787 de modelos equipados com a mais recente versão dos motores fabricados pela General Electric (GE) devem reparar ou trocar esses propulsores por causa do risco de congelamento de partes desses equipamentos em voos.

Segundo a FAA, as companhias aéreas têm até 150 dias para fazer o reparo ou a troca do motor, do tipo GEnx-1B PIP2, porque esses equipamentos representam um risco à segurança devido à acumulação de gelo — detectada recentemente num incidente a baixa altitude, inferior a 20 mil pés — que pode levar à interrupção dos dois motores de forma simultânea.

O Boeing 787 é usado atualmente por 59 companhias aéreas no mundo, segundo a fabricante americana de aviões, somando 383 aeronaves desse modelo em operação. Desse universo, 176 são unidades equipadas com a versão GEnx-1B PIP2 da GE.

Na América Latina, duas companhias aéreas operam modelos Boeing 787 — Avianca e Latam —, mas ambas usam motores da Rolls-Royce, concorrente da GE.

A Avianca Holdings, com sede na Colômbia, tem sete Boeings 787 e vai receber mais oito nos próximos anos. A Latam tem 15 aeronaves desse tipo, com plano de receber mais 11 aeronaves até 2019.

boeing-building-1
© Boeing, em caráter ilustrativo

divider 1

FONTE: Valor Econômico, Federal Register

EDIÇÃO: Cavok

Airbus A320 da British Airways com 132 passageiros acerta drone antes de pouso em Londres

4
Airbus A320-232 - British Airways (G-EUUN)
Choque ocorreu na parte dianteira de um Airbus A320 da British Airways, idêntico ao da fito acima / © Eluveitie, em caráter ilustrativo

Um Airbus A320-200, registro G-EUYP, em aproximação para pouso no aeroporto de Heathrow, em Londres, se chocou com o que parecia ser um drone pouco antes da aterrissagem, segundo informações da Polícia Metropolitana da capital britânica.

O voo da British Airways vindo de Genebra se aproximava ontem (17) do aeroporto londrino por volta das 12h50 (horário local, 8h50 horário de Brasília) com 132 passageiros e cinco tripulantes.

Depois do pouso o piloto relatou que um objeto, que acredita-se ser um drone, tinha atingido a frente da aeronave.

A delegacia de polícia especializada em aviação baseada em Heathrow deu início a uma investigação sobre incidente, mas não foram feitas prisões até a noite deste domingo.

“Nossa aeronave pousou em segurança, foi totalmente examinada por nossos engenheiros e liberada para ser usada no próximo voo”, informou um porta-voz da British Airways.

A companhia também informou que dará à polícia “toda assistência” à investigação.

No começo de 2016 a Associação Internacional de Transporte Aéreo fez um alerta de que drones operados pelo público em geral são uma “ameaça crescente e real” à aviação civil.

Tony Tyler, diretor-geral da associação, pediu regulamentação ao uso de drones antes que um acidente mais grave ocorra.

Em janeiro a organização UK Air Proximity Board, que investiga incidentes nos quais aviões foram quase atingidos por objetos, afirmou que ocorreram diversos episódios graves do tipo em aeroportos da Grã-Bretanha no ano passado.

divider 1

FONTE: G1

EDIÇÃO: Cavok

Embraer entrega 21 jatos comerciais e 23 executivos no 1º trimestre de 2016

2
Embraer
© Embraer

São José dos Campos – SP, 14 de abril de 2016 – A Embraer entregou 21 jatos para o mercado de aviação comercial e 23 para o de aviação executiva ao longo do primeiro trimestre de 2016 (1T16). O total de 44 aeronaves representa aumento de 37,5% em relação ao ano anterior, quando 32 aeronaves (sendo 20 aeronaves comerciais e 12 jatos executivos) foram entregues.

Ao todo, foram entregues:

  • Embraer 175 (E175): 19
  • Embraer 195 (E195): 2
  • Embraer Phenom 100E: 1
  • Embraer Phenom 300: 11
  • Embraer Legacy 500: 5
  • Embraer Legacy 650: 6

No segmento de aviação executiva foram entregues 12 jatos leves e 11 jatos grandes no 1T16, ante 10 jatos leves e dois jatos grandes nos primeiros três meses do ano passado.

Clique aqui para acessar o arquivo em PDF.

divider 1

FONTE: Embraer

EDIÇÃO: Cavok

Embraer transfere fuselagem do E190-E2 para teste em São José, SP

0
Embraer transfere fuselagem do E190-E2 para teste em São José, SP (1)
Fuselagem foi transportada em caminhão prancha em São José (Foto: Lucas Lacaz Ruiz/A13)

A Embraer transportou nesta quarta-feira (13) parte da fuselagem central de um jato E190-E2 entre as unidades Faria Lima e Eugênio de Melo, ambas em São José dos Campos, no interior de São Paulo. A estrutura vai ser usada em ensaios estruturais estáticos da aeronave na campanha de certificação do modelo, previsto para chegar ao mercado no 1º semestre de 2018.

A fuselagem, de 36,2 metros de comprimento, foi transportada em um caminhão e deixou a unidade Faria Lima às 10h. O trajeto foi pela Via Dutra.

O transporte, em velocidade máxima de 60 km/h, demorou cerca de 2h e chamou a atenção dos motoristas. De acordo com a concessionária Nova Dutra não houve necessidade de apoio no transporte da carga, pois o percurso no trecho foi percorrido em velocidade compatível para o horário.

Segundo a empresa, nas próximas semanas estão previstos também o transporte de outras partes da fuselagem do avião, como as asas.

O jato vai ser montado na planta de Eugênio de Melo para realização de testes de resistência e movimento.

Essa aeronave não vai ser comercializada, nem fazer testes de voo.

Embraer transfere fuselagem do E190-E2 para teste em São José, SP (2)
Veículo percorreu a Dutra por cerca de 2 horas (Foto: Lucas Lacaz Ruiz/A13)

E190-E2
A Embraer apresentou em fevereiro a nova geração do jato E190-E2. O modelo é a principal aposta da fabricante de aeronaves para se manter líder mundial no mercado de aviação regional.

A Embraer é a terceira maior fabricante de aeronaves no mundo e um dos maiores exportadores do país.

Apresentação do E190-E2, Foto - Marcos Junglas - Cavok Brasil (10)
Apresentação do E190-E2, em 25.02.2016 / © Marcos Junglas – Cavok Brasil

divider 1

FONTE: G1

EDIÇÃO: Cavok

Embraer e Horizon Air assinam contrato para 30 jatos E175

1
1_E175-wingtips
© Embraer

São José dos Campos – SP, 12 de abril de 2016 – A Embraer e a Horizon Air assinaram um pedido firme para 30 jatos E175. O acordo também inclui opções de compra para outras 33 aeronaves do mesmo modelo. O valor do contrato, que será incluído na carteira de pedidos da Embraer do segundo trimestre de 2016, é de USD 2,8 bilhões, com base em preços de lista, se todas as opções forem exercidas.

As entregas começarão no segundo trimestre de 2017 e as aeronaves vão voar exclusivamente para a Alaska Airlines. O E175 não é novo para os clientes da Alaska, que podem ter voado no avião em 16 mercados operados pela parceira SkyWest Airlines por meio de um Acordo de Compra de Capacidade (CPA, na sigla em inglês).

“Para a Embraer é um grande honra ser escolhida pela Horizon para expandir a frota com o E175, reconhecendo o excelente custo operacional que esta aeronave oferece,” disse Paulo Cesar Silva, Presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial. “A marca Alaska Airlines é reconhecida pelos altos padrões de atendimento, tendo recebido vários prêmios por seus serviços aos clientes, o que nos traz ainda mais responsabilidade de entregar um produto de última geração, com a melhor cabine de passageiros no segmento de jatos de 76 lugares.”

“O E175 posiciona a Horizon para o crescimento para além dos nossos atuais destinos da Costa Oeste, ao mesmo tempo em que oferece mais vantagens aos clientes na crescente rede da Alaska Airlines”, disse David Campbell, Presidente da Horizon Air. “O espaçoso E175 oferece uma experiência aos passageiros equivalente à encontrada em jatos muito maiores. Esta aeronave abre novas oportunidades enormes para voar para novos lugares para os quais não seria possível com nossas atuais aeronaves.”

Com este contrato, a Embraer já vendeu 332 jatos E175 para companhias aéreas na América do Norte desde janeiro de 2013, recebendo mais de 80% de todos os pedidos nesta categoria. O E175 para a Horizon Air contará com melhorias aerodinâmicas introduzidas pela Embraer em 2014, como novas pontas das asas e outras melhorias técnicas que reduzem o consumo de combustível. As aeronaves de 76 lugares serão configurados em três classes de serviço, sendo 12 assentos na primeira classe, 16 na classe premium e 48 na cabine principal.

Desde que entrou em serviço, em 2004, a família de E-Jets recebeu mais de 1.700 pedidos e mais de 1.200 jatos já foram entregues. As aeronaves estão voando em frotas de 70 clientes de 50 países. Esta versátil família de jatos de 70 a 130 assentos está voando com companhias aéreas de baixo custo, bem como com empresas regionais e de linha principal.

Sobre a Horizon Air

A Horizon Air é uma subsidiária da Alaska Air Group e voa para 39 cidades entre Estados Unidos e Canadá. Leia comunicado de imprensa da Horizon Air em alaskaair.com/newsroom.

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, acada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 130 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa

Embraer E175
© Embraer

divider 1

FONTE: Embraer

EDIÇÃO: Cavok

Embraer prepara novos investimentos em Portugal

0
E175-E2
Concepção artística do E175-E2 / © Embraer

O governo português anunciou, terça-feira (05), a aprovação de dois novos projetos da construtora aeronáutica brasileira Embraer nas fábricas de Évora, num investimento total elegível de 93,5 milhões de euros, que beneficia de 34,6 milhões de incentivos financeiros, informa a agência Lusa.

Saab levará os Sistemas de Multilateração de Grande Área para Cúcuta e Medellín na Colômbia

0
Screenshot_2016-03-28-21-09-25
© Akbarali Mastan, em caráter ilustrativo

A Saab, empresa de defesa e segurança, anuncia que foi selecionada para a instalação de sistemas de vigilância de Multilateração de Grande Área (WAM) nos arredores de Cúcuta e Medellín (Aeroporto Olaya Herrera), pela Aeronáutica Civil da Colômbia (Aerocivil).

Cavok nas redes sociais

62,402FãsCurtir
340Inscritos+1
6,410SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,780InscritosInscrever
Anúncios