Saab

Inicio Tags China

Tag: China

China Southern adquire 20 aeronaves Airbus A320

0
Airbus A320 da China Southern Airlines

A China Southern Airlines fechou um contrato de aquisição para 20 novas aeronaves Airbus A320, para entregas entre os anos 2011 e 2013. A companhia aérea baseada na província de Guangzhou ainda não informou sua escolha pelos motores. Sua atual frota de jatos possuem ambas opções usadas nos A320: CFM International CFM56 e International Aero Engines V2500. O negócio está avaliado em US$ 1,54 bilhão, de acordo com os valores de tabela do Airbus A320.

A China Southern informou que a aquisição aumentará a capacidade da empresa em 4,5% comparado com o transportado no final de 2009. A empresa ainda aguarda os resultados financeiros de 2009, o que segundo a companhia aérea deve ter mostrado lucro no período, um dos motivos que levou a compra de mais aeronaves.

A China Southern informou que o preço de tabela da aeronave A320 está em US$76,9 milhões cada, e que o atual valor é significativamente baixo devido as concessões garantidas pela fabricante. Essas concessões voltam na forma de crédito o qual pode ser usado para compra de peças sobressalentes ou outros serviços da Airbus. Essas concessões podem ser parcialmente pagas em dinheiro, e a compra das aeronaves poderá ser parcialmente financiada com bancos.

Atualmente a China Southern possui uma frota de 248 aeronaves, as quais 76 são aeronaves A320.

Fonte: Airbus – Tradução e Adaptação do Texto: Cavok

Anúncios

China compra motores a jato da Rússia para seu caça FC-1

1
Caça FC-1 da China

A China, como não encontrou um fornecedor ocidental para motores a jato, decidiu comprar motores russos para equipar seu caça multimissão FC (Fighter China)-1 Xiaolong, um rival comercial do MiG-29 da Rússia nos países em desenvolvimento.

No final de dezembro de 2009, o exportador de armas da Rússia, a Rosoboronexport, assinou um contrato com a China para fornecer 43 motores RD-93, uma modificação dos motores RD-33 que equipam os caças MiG-29.

Motor a jato Klimov RD-93 fabricado na Rússia

A Aviaport, uma agência de notícias da indústria aeronáutica da Rússia, divulgou na segunda-feira, dia 11, que a China deveria receber seus motores no final do ano e que os primeiros 25 motores foram fabricados na empresa de engenharia mecânica de Chernyshev, em Moscou. A agência disse que outro contrato poderá ser assinado em maio para mais 100 motores do mesmo modelo.

Um gerente de uma das fabricantes dos motores a jato da Rússia disse em dezembro que o contrato está avaliado em US$160 milhões.

Os motores serão montados nos caças FC-1, os quais a China está fabricando para exportação. Ela assinou o primeiro contrato para 150 aeronaves do tipo para o Paquistão, onde o jato está sendo montado.

JF-17 Thunder, versão do FC-1 no Paquistão

Um mais complicado e caro caça projetado para Força Aérea da China nas últimas duas décadas, o J-10, também possui um motor russo, o AL-31FN. O último contrato para entrega de 122 motores desse tipo, avaliado em aproximadamente US$500 milhões, foi assinado em janeiro de 2009.

O caça FC-1 é o maior rival comercial do caça russo MiG-29 Fulcrum nos países em desenvolvimento. Todavia, o caça russo venceu a primeira competição direta na Birmânia, a qual decidiu comprar 20 caças MiG-29 por US$ 572 milhões em dezembro de 2009 mesmo após a China ter oferecido melhores termos para uma entrega mista de caças FC-1 e J-10. Essa venda para Birmânia foi divulgada aqui no Cavok.

O FC-1 (Fighter China-1) Xiaolong é o resultado de um trabalho conjunto entre a China e o Paquistão num programa de desenvolvimento que iniciou em 1999, com cada país contribuíndo com 50% dos custos do desenvolvimento.

Lao Airlines adquire dois ARJ21 da China

0
Comac ARJ21

A Lao Airlines assinou um acordo com a Commercial Aircraft Corporation da China (Comac) para aquisição de duas aeronaves ARJ21-700, se tornando o primeiro cliente de exportação do jato narrowbody chinês.

O acordo foi assinado no dia 8 de janeiro em Vientiane, numa cerimônia com a presença de oficiais do Governo do Laos, informou a Comac.

Não foi informado quando as duas aeronaves serão entregues. A Comac não estava disponível para comentar o assunto.

A Lao Airlines opera uma frota de turbohélices ATR 72 e aeronaves MA60 fabricadas na China.

Possui serviços domésticos e internacionais para os destinos de Siem Reap, Bangkok e Kunming na China, além de outros.

A empresa chinesa Kunpeng Airlines deverá ser o cliente lançador do ARJ21 e deverá receber suaprimeira aeronave em 2010.

A aeronave ARJ21 tem seu projeto desenvolvido em cima do McDonnell Douglas MD90, que havia sido construído sob licença na China.

Fonte: Flight Global – Tradução e Adaptação do Texto: Cavok

China Eastern Airlines adquire 16 novas aeronaves Airbus A330

0
Airbus A330 da China Eastern Airlines (Foto: Airbus)

A China Eastern Airlines informou no dia 28 de dezembro que adquiriu junto a fabricante Airbus 16 novos aviões A330, aumentando a presença da companhia chinesa na região após as companhias europeias informarem seus planos de crescimento no mercado asiático.

A China Eastern Airlines informou num comunicado que o negócio está avaliado em cerca de US$ 2,6 bilhões, de acordo com o preço de tabela da aeronave em 2007. O dinheiro para a compras das aeronaves deverá vir de bancos nacionais chineses, através de empréstimos. As aeronaves deverão ser entregues entre os anos de 2011 e 2014.

As novas aeronaves da China Eastern serão usadas para voos internacionais de médio e longo alcance, para Austrália e para as Américas. Após a entrega de todas aeronaves, a empresa aérea chinesa aumentará em mais de 15% sua capacidade de transporte de passageiros.

Ambas as empresas, a Airbus  e sua rival norte americana Boeing, vem trabalhando duro para manter os pedidos de novas aeronaves na China, onde a demanda por aeronaves continua aumentando e a economia do país continua crescendo.

Airbus China entrega 11 aeronaves da família A320 em 2009

0
A319 da Deer Air, montado na China
A319 da Deer Air, montado na China

A família de aviões Airbus A320 montados pela linha de produção da China (FALC) atingiu a meta de 2009 com a 11ª aeronave A320 sendo montada pela FALC e entregue na quinta-feira, dia 17, para Deer Air, uma companhia aérea do Grupo HNA, em Tianji

O primeiroA320 montado pela FALC foi entregue para Sichuan Airlines via Dragon Aviation Leasing no dia 23 de junho de 2009. Desde então, um total de seis A320 e cinco A319 foram montados pela FALC e foram entregues  e estão agora em operação com as empresas: Sichuan Airlines, Deer Air, Shenzhen Airlines e China Eastern Airlines.

Até o final de novembro de 2009, 442 aeronaves da família do A320 estavam em operação com 12 empresas da China. As companhias aérea chinesas encomendaram perto de 600 aeronaves da família A320 no total.

Fonte: Airbus China – Tradução: Cavok

VÍDEO: passageiro de um avião comercial filma lançamento de foguete chinês

0
Esta foi a visão de um passageiro de um avião comercial ao ver um míssil chinês sendo lançado
Esta foi a visão de um passageiro de um avião comercial ao ver um foguete chinês sendo lançado

Um dos passageiros de um voo comercial na China filmou o momento que um foguete chinês era lançado. Acho que os chineses não entendem muito a palavra perímetro, ou se entendem acham que as aeronaves voando no espaço aéreo onde será feito o lançamento não vão atrapalhar em nada e nem afetar a segurança.

Nos EUA, sempre que um foguete ou uma Space Shuttle é lançada, a Força Aérea do EUA cria um perímetro proibindo os voos comerciais ao redor da área de lançamento. A NASA delimita uma área de 25 km de raio do local do lançamento.

E para garantir a segurança não se preocupem que mandam alguns caças para proteger o espaço aéreo. As vezes uns F-15, outras vezes F-16 e até o F-22 já foi utilizado nessa missão.

Notem no vídeo abaixo como a distância do avião comercial da área de lançamento da Space Shuttle é muito maior que a do avião chinês e seu “amigo” foguete.

Mas ainda estou preocupado com aquele foguete chinês acima…

Fonte: Gizmodo – Texto: Cavok

Guarda Costeira da China recebe dois helicópteros A109 ‘Grand’

0
AgustaWestland AW139
AgustaWestland A109 'Grand'

AgustaWestland, uma empresa Finmeccanica, anunciou ontem, dia 04, que a Administração de Segurança Marítima (MSA) da China recebeu dois helicópteros leves biturbinas A109 ‘Grand’ durante a cerimônia oficial na unidade da AgustaWestland, em Vergiate, Itália. A MSA é responsável por monitorar toda águas costeiras e a região litorânea, e esses dois helicópteros serão dedicados para controlar e lutar contra a poluição nas águas. As aeronaves também ficarão baseadas a bordo dos novos navios da MSA que efetuam missões na província de Guangdong, região sul da China. O contrato também inclui a opção para mais duas aeronaves que serão avaliadas no ano que vem.

O helicóptero ‘Grand’ foi selecionado após uma sequência de testes em resposta a uma competição internacional solicitada pelo Ministério das Telecomunicações da China, que controla as operações da MSA.

A AgustaWestland já vendeu quase 30 helicópteros na China e vê crescer as oportunidades de futuros negócios na região onde está se firmando como o mercado líder de helicópteros leves e médios biturbinas. Os pedidos do A109 ‘Grand’ chegam próximo a 280 helicópteros que estão distribuídos em mais de 150 clientes em cerca de 30 países pelo mundo para várias missões incluindo busca e salvamento, transporte off-shore, evacuação médica e transporte VIP/corporativo.

Fonte: AgustaWestland – Tradução: Cavok

Eurocopter entrega dois helicópteros EC-155 na China

0
Eurocopter EC155
Eurocopter EC155
Momento da entrega do EC155 para COHC.
Momento da entrega do EC155 para COHC.

A Eurocopter entregou os primeiros dois helicópteros EC-155B1 Dauphin para a Citic Off-shore Helicopter (COHC) em Shenzhen, na China. A entrega é parte de um contrato assinado em outubro de 2008 para um total de dez helicópteros do tipo. A cerimônia de recebimento contou com a presença do Gerente Geral da COHC, Tang Wanyuan, o CEO da Eurocpoter China, Bruno Boulnois, o Consul Geral da França, Jean Raphael Peytregnet, e o representante dos negócios da França para o Sul da China, Alain Berder.

Os oito helicópteros remanescentes deverão ser entregues entre 2010 e 2013. Esses EC-155 irão aumentar a frota da COHC a qual já possui 21 helicópteros da marca Eurocopter, principalmente dos modelos Super Puma e Dauphin. A COHC é um dos maiores operadores de helicópteros civis da China, bem como uma das maiores companhias de gás e petróleo da Ásia. Os novos helicópteros serão usados para missões de transporte off-shore no país.

Desde que o modelo de helicóptero EC-155 Dauphin chegou no mercado em 2001, estabeleceu-se no mercado de petróleo e gás. Até o final de 2008, mais de 130 aeronaves Dauphin estão em operação no segmento offshore.

Fonte: EADS China – Tradução: Cavok

Aviação Militar da Venezuela receberá 6 K-8 da China em janeiro de 2010

0
Treinador K-8, nas cores do Sri Lanka
Treinador K-8, nas cores do Sri Lanka

A Aviação Militar da Venezuela receberá no final de janeiro de 2010 os seis primeiros aviões AVIC K-8 de treinamento e ataque adquiridos da China. A informação foi dada pelo comandante geral da força aérea, Majora General Jorge Arévalo Oropeza Pernalete, que presidiu a cerimônia de graduação dos novos oficiais aviadores da Aviação Militar, que ocorreu na Base Aérea de Mariscal Sucre.

Pernalete disse que serão três entregas feitas pela China, totalizando 18 aeronaves, mais equipamentos de radares.

Os treinadores K-8 são aviões de dois lugares que atingem uma altitude de 40.000 pés e foram desenvolvidos em conjunto entre o Paquistão e a China, para treinamento básico dos pilotos, mas que podem utilizar armamentos para combate ao solo no apoio as tropas terrestres. Dentre os armamentos disponíveis estão bombas leves, foguetes e canhões acoplados em suportes sob as asas.

Recentemente, a Venezuela também adquiriu 24 caças Sukhoi Su-30 de fabricação russa.

Para a Escola de Aviação Militar serão adquiridos também dois ultraleves, que servirão para formação dos cadetes, que com preparação e disciplina formarão os futuros pilotos da Aviação Militar da Venezuela.

O comandante geral da Aviação Militar informou ainda que serão contratados serviços para modernização de 15 helicópteros Cougar.

MD-11F recém entregue para Avient Aviation cai em Shangai após a decolagem

1
MD-11F (Z-BAV) da Avient Airlines (Foto: Kok Chwee (K.C.) Sim)
MD-11F (Z-BAV) da Avient Aviation (Foto: Kok Chwee (K.C.) Sim)

O recém recebido (apenas 8 dias atrás) MD-11F, fotografado acima em Miami, ainda com prefixo N408SH antes de ser entregue para Avient e adotar o prefixo Z-BAV, no dia 20 de novembro de 2009, acidentou-se hoje, em Shangai, vindo a bater no solo, logo após a decolagem.

avient

Local do acidente do MD-11F em Shangai
Local do acidente do MD-11F em Shangai (Imagem: Google Earth)

O McDonnell Douglas MD-11F (Freighter), de prefixo Z-BAV, efetuando o voo Z3-324 de Shangai Pudong (China) para Bishkek (Kyrgyzstan) com 7 tripulantes, não conseguiu decolar da pista 35R (4.000 metros/13.123 pés), vindo a bater no sistema de iluminação na cabeceira da pista, e na sequência, as 08:12 hora loca (22:12 horário de Brasília), vindo a explodir. Todos ocupantes que se feriram receberam pronto atendimento médico e foram transferidos para hospitais locais. Quatro tripulantes ficaram gravemente feridos, mas outros três ocupantes vieram a falecer no acidente.

A Avient Aviation está registrada na cidade de Harare, no Zimbabwe. O Z-BAV (msn: 48408) era registrado anteriormente como N408SH, PR-LGD (Varig Logística) e HL7372 (Korean Air).

A companhia aérea emitiu um comunicado oficial que pode ser visto aqui.

O que são caças de quarta-geração para China?

0
Chengdu J-10 modificado, quarta-geração de caça na China
Chengdu J-10 modificado, quarta-geração de caça na China

De acordo com um comunicado oficial da Força Aérea da China, a quarta-geração de caças refere-se a uma série de modificações nos caças J-10 chineses, conforme enviado a imprensa no dia 23 de novembro de 2009.

O sistema de classificação de gerações de caças militares no mundo são variados. Os EUA definem os caças F-15 e F-16 com características de velocidade transônica em médias e baixas altitudes como caças de terceira-geração, e os caças F-22 e F-35 com boa capacidade stealth, velocidade de super cruzeiro e super manobrabilidade como caças de quarta-geração.

A Rússia define o caça MiG-29 e os Su-27/30 como de terceira-geração e defineo o Sukhoi Su-35, um modificado caça de terceira-geração como de quarta-geração. As novas gerações de caças, como o projeto PAK-FA, com boa capacidade stealth, velocidade de super cruzeiro e super manobrabilidade são definidas como de quita-geração.

Diferenças entre as versões J-10 e J-10B da China
Diferenças entre as versões J-10 e J-10B da China

Um oficial da China disse que as categorias de caças chineses, de acordo com gerações, foram independentemente criadas com base na introduções e imitações dos equipamentos de origem russas, e a quarta-geração de caças refere-se aos modificados caças Chengdu J-10.

FOTO: Primeiro caça Xiaolong feito no Paquistão

0
Primeiro caça JF-17 Thunder fabricado no Paquistão
Primeiro caça JF-17 Thunder fabricado no Paquistão

Um JF-17 Thunder, também conhecido como caça Xiaolong, é visto na imagem dentro do complexo da Pakistan Aeronautical em Kamra, no Paquistão, no dia 23 de novembro de 2009.

Esse é o primeiro JF-17 Thunder feito inteiramente no Paquistão, visto durante a cerimônia de apresentação dele, na segunda-feira, conforme informado aqui pelo site Cavok. O JF-17 Thunder é uma caça multi-missão leve, fabricado numa parceria entre a China e o Paquistão.

Paquistão apresenta o caça que será produzido no país com assistência da China

0
JF-17 Thunder, do Paquistão
JF-17 Thunder, do Paquistão

O Paquistão, na segunda-feira, dia 23, celebrou o rollout do caça multi-role construído no próprio país numa joint venture com a China.

O primeiro JF-17 Thunder fabricando no Paquistão fez seu debut no complexo da Pakistan Aeronautical, em Kamra, uma pequena comunidade 65 km ao noroeste de Islamabad.

O Primeiro Ministro Yousaf Raza Gilani descreveu o lançamento como uma marca que colocou o Paquistão entre o clube de nações que constroem aeronaves de caça.

O Paquistão assinou um contrato de desenvolvimento com a empresa chinesa Chengdu Aircraft Industries Corporation em junho de 1999, e a aeronave da produção conjunta fez seu voo inaugural na China, em setembro de 2003.

“É a garantia de um marco alcançado, com significativos triunfos para nossa nação,” disse num comunicado o Marechal do Ar da Força Aérea do Paquistão, Rao Qamar Suleman.

Suleman disse que o projeto do JF-17 Thunder não ficou limitado somente na produção para os dois países vizinhos, que esperam vender o novo caça para outros países, que poderá gerar substanciais benefícios financeiros num futuro próximo.

“O caça que opera em qualquer condição é equipado com avançados aviônicos e sistemas de armas, e pode alcançar velocidades supersônicas de Mach 1,6. Possui um raio de combate de 1.350 km, mas também pode ser reabastecido no ar.

O caça JF-17 Thunder está programado para substituir a frota antiga do Paquistão, de caças Mirage, de construção francesa, e dos F-7 e A-5, de fabricação chinesa.

A China é o principal país fornecedor de armas para o Paquistão e vem assessorando o país, único país islâmico com capacidade bélica nuclear, em outros grandes projetos, incluindo usinas de energia nucleares, portos e rodovias.

Ambos países já possuem um projeto de desenvolvimento e produção da aeronave de treinamento Karakoram 8.

O site Cavok havia informado sobre esse evento aqui.

Fonte: DPA

A China planeja uma nova fábrica de aviões

1
Maquete do jato chinês Comac C919
Maquete do jato chinês Comac C919

A China revelou planos para construir uma nova linha de produção de aviões para seu projeto nacional de jato comercial, o C919, em Shangai, sendo o último passo do país que ambiciona se tornar líder na aviação mundial

A companhia estatal chinesa Commercial Aircraft of China (Comac) anunciou o projeto após uma cerimônia de assinatura do contrato, com a presença de autoridades do distrito de Pudong, onde a fábrica será localizada.

A China está desenvolvendo sua aeronave comercial narrow-body, com um único corredor central, C919 – O mais novo e maior jato comercial feito na China – para competir com os aviões semelhantes do Ocidente nos mercados de aviação comercial.

A construção da fábrica é prevista para começar logo, e terá a capacidade de construir 20 C919 e 50 ARJ 21 (jato regional) até 2016, disse a empresa num comunicado.

Primeiro caça JF-17 fabricado no Paquistão está pronto para decolar

0
PAC JF-17 Thunder
PAC JF-17 Thunder

O primeiro caça multi-role desenvolvido e fabricado no Paquistão, numa parceria com a China, o JF-17 Thunder, será apresentado ao público na próxima segunda-feira, dia 23, na fábrica Pakistan Aeronautical Complex (PAC).

Isso iniciará uma nova era nas relações entre o Paquistão e a China, e na indústria de aviação. Tanto a Força Aérea da China como a Força Aérea do Paquistão estão dando muita importância para esse projeto que está sendo materializado após esforços de pesquisa e estudos por quase uma década.

O fabricante PAC ficará encarregada de gerar toda capacidade de produzir a aeronave localmente para as primeiras entregas para Força Aérea do Paquistão, além dos futuros pedidos para países estrangeiros.

O JF-17 Thunder é uma nova geração de caça leve multifunção, podendo operar em qualquer condição.

Força Aérea da Indonésia comprará nova aeronave treinadora e de ataque da Rússia e China

0
Yak-130, da Rússia
Yak-130, da Rússia
FTC-2000 Mountain Eagle, da China
FTC-2000 Mountain Eagle, da China

A Indonésia comprará uma nova aeronave de treinamento/ataque leve da Rússia e China, como parte de revitalizar seu sistema primário de defesa.

Os novos jatos, serão compostos de jatos Yak-130 da Russia e de FTC-2000 Mountain Eagle da China, que substituirão os esquadrões hoje compostos por jatos britânicos Hawk Mk-53 e dos norte-americanos OV-10 Bronco.

A Força Aérea da Indonésia possui 20 Hawk Mk-53, e oito turboélices OV-10 Bronco que já estão próximos dos 30 anos de vida.

Esta será a primeira vez que a Indonésia comprará aeronaves militares da China e a segunda vez da Rússia, após o embargo feito pelos Estados Unidos, para o estoque de peças sobressalentes dos caças F-5E Tiger II e F-16 Fighting Falcon e da aeronave de transporte C-130 Hercules, em 1999, devido ao abuso dos direitos humanos principalmente no Timor Leste.

Essa aquisição segue uma proposta dos chefes da Força Aérea de reduzir significativamente os acidentes durante o período de treinamento e das operações conduzidas pela Força Aérea.

Existe também um plano de trocar todos antigos caças F-5E  Tiger II, mas que essa troca está sendo planejada para 2013.

A Indonésia adquiriu em fevereiro desse ano três caças Sukhoi para aumentar a capacidade de defesa aérea, depois de uma série de acidentes causados por aeronaves militares defasadas. Atualmente a Indonésia possui sete caças Sukhoi (versões Su-27 e Su-30), que foram adquiridos da Rússia. Outros três são aguardados, conforme divulgado no site Cavok.

Fonte: The Jakarta Post

A China está perto de testar o novo caça de 5ª geração

0
Suposto projeto do novo caça chinês, o J-XX ou J-14
Suposto projeto do novo caça chinês, o J-XX ou J-14

A China está desenvolvendo um caça com a mesma tecnologia da geração do caça Lockheed Martin F-22 deverá entrar na fase de testes, enquanto um cargueiro estratégico, maior que o Airbus A400M deverá ser revelado no final desse ano.

Especialistas de aviação militar acreditam que um caça de 5ª geração, com características similares ao F-22 Raptor deverá estar sendo produzido pela China. No entanto, oficiais da Inteligência norte-americana dizem que antes de 2020 essa aeronave não deve decolar. A China vem desenvolvendo uma ampla gama de aeronaves militares, desde caças de combate até treinadores avançados, buscando aumentar as exportões de aeronaves para países da região. A terminação J-XX já vem sendo ouvida pelo setor aeronáutico a tempo, e nos últimos dias aumentaram os rumores de uma nova aeronave de caça com tecnologia stealth na China.

Durante uma entrevista para um canal de televisão chinês, o General He Weirong disse que uma nova aeronave de caça estaria em desenvolvimento e preparada para começar os teste de voo num período bem curto de tempo. Mas os oficiais dos EUA acreditam que demorem mais 10 anos para colocar a aeronave em serviço.

Suposta maquete do novo caça chinês de 5ª geração
Suposta maquete do novo caça chinês de 5ª geração com um motor

Não foram dados muitos detalhes sobre a aeronave, mas certamente será projetada para voar com supercruzeiro, voo supersônico sem necessidade de pós-combustão, conforme necessidade das forças armadas da China. Outros detalhes são a baixa detecção radar e o uso de mísseis em compartimentos para diminuir a emissão radar, como utilizado pelo caça F-22.

A China classifica como de 4ª geração aeronaves como o F-22, apesar de ser considerado pelo Ocidente como de 5ª geração. O caça J-10 fabricado na China é considerado como de 3ª geração, comparado ao caça Lockheed Martin F-16 em desempenho, segundo os padrões chineses.

Se a China conseguir colocar em seviço essa nova aeronave conforme dizem, conseguirá passar a frente de muitos países ocidentais, como os países europeus, que estudam a anos veículos não tripulados com tecnologia stealth para substituir os atuais caças em operação.

A tecnologia usada na F-22 logo se tornará a padrão nos caças que estão sendo projetados. É lógico que essa tecnologia não demoraria muito para começar a ser utilizada pelos países com orçamentos elevados na área militar como China e Rússia.

Além disso a China poderá estar desenvolvendo duas versões desse novo caça stealth. Uma segunda versão poderá ser equipada apenas com uma turbina, para competir no mercado externo com o F-35 que está em testes pela Lockheed. Na verdade seria apenas uma versão encolhida do novo stealt chinês, buscando um mercado militar em crescimento na região oriental.

Imagem digital da proposta de atualização do J-10, o Super J-10 ou J-12 (versão biplace)
Imagem digital da proposta de atualização do J-10, o Super J-10 ou J-12 (versão biplace)

Existe ainda a possibilidade de um desenvolvimento do caça atual, o J-10, que está sendo chamado de Super J-10 ou J-12 por alguns especialistas.

O novo caça chinês poderá ser fabricado nas plantas da AVIC Defense em Chengdu ou Shenyang.

Nova aeronave de transporte estratégico da China

Nova aeronave de transporte militar da China
Nova aeronave de transporte militar da China

A existência de uma nova aeronave de transporte é conhecida a anos, por causa de várias imagens que foram apresentadas pelo fabricante AVIC.

Conforme esperado, será a maior aeronave já fabricada pela AVIC Aircraft, através de sua subsidiária Xi’an Aircraft.

O Gerente Geral da AVIC Aircraft, Hu Xiaofeng, disse que o cargueiro será maior que um A400M e que será apresentada no final desse anos.

Seu projeto já foi mostrado em fotos (acima), e mostra que terá quatro motores, adotando uma asa alta, cauda no formato em ‘T’. A asa será montada no todo da fuselagem com formato circular, permitirndo o melhor aproveitamento do espaço interno. A similaridade com seus semelhantes, A400M,  Ilyushin Il-76 e Kawasaki C-X é bem visível, mas diferente do C-17 que possui uma área frontal menor.

newlifter2_500O trem de pouso principal da aeronave chinesa é guardado dentro de protuberâncias laterais, semelhante ao projeto do C-17.

A cabine deverá ter cinco telas multinfunção de tamanho médio e manches comuns em aeronaves de transporte. Os motores ainda não são conhecidos, mas deverão ser importados da Rússia. Um modelo de teste em túnel de vento mostra que os motores ficarão enclausurados em longas naceles, como os motores Perm PS-90 da Rússia.

O motor PS-90 possui uma potência máxima padrão de 35.300 lb de empuxo na última versão. O C-17, com peso máximo de 265 toneladas, possui quatro motores Pratt & Whitney F117 de 40.400 lb. de empuxo.

A fuselagem do cargueiro deverá ser de metal de construção e será significativamente mais larga que o A400M.

42039338-imaged-picture_500Alguns dados sobre o novo avião que estão em vários fóruns militares na web:

Tripulação: 3
Comprimento: 49 m
Envergadura: 50 m
Altura: 15 m
Área alar: 310 m2
Capacidade de Carga: 60-65 ton
Peso vazio: 100 ton
Peso máximo de decolagem: 220 ton
Propulsão: 4 × turbofans (modelo indefinido)
Velocidade máxima: 750-800 km/h
Alcance: (com carga máxima) 4,400 km
Teto de serviço: 13.000 m

O cargueiro deverá ser construído e desenvolvido totalmente na China, pois a AVIC já possui um histórico de longa cooperação com a Antonov, da Ucrânia, no desenvolvimento de aeronaves de transporte pesado.

“J-10 on A Mission” chega nos cinemas da China

0
J-10 da China
J-10 da China

O filme “J-10 on A Mission”, é estrelado pelo caça da chinês J-10, e está pronto para ir para as telas de cinema. O tema militar do filme foi mantido durante as filmagens. Mas o filme no momento está limitado apenas para especialistas de aviação e alguns jornalistas.

O caça J-10 fabricado na China fez sua primeira aparição pública nas celebrações de 60 anos da Força Aérea da China, em outubro, sob os céus de Beijing. A estória do “J-10 numa Missão” foca nos pilotos – mas o jato chinês é que chama mais a atenção. O ator principal Wang Ban está orgulhoso de ser o piloto nos controles do J-10 do filme.

O ator Wang Ban disse, “Dois andares mais alto, é mais agradável que dirigir qualquer carro, assim. Como eu disse na cerimônia de estréia, o caça é a atração principal. Agora vocês comprovam o que eu disse. O resultado é muito acima das minhas espectativas. ”

O filme mostra muitas cenas de combate do J-10 em voo solo e em missões com o esquadrão. O público será agraciado com cenas do J-10 em todas as missões que o jato é capaz de operar, como decolagem curtas, combates aéreo, reabastecimento aéreo e ataques a alvos no solo.

As cenas mais excitantes são os combates aéreos (dogfights) envolvendo os J-10, os russos MiG-29 e os caças F-16 da USAF – alguns dos melhores jatos de combate do mundo.

Fonte: CCTV

Treinador L-15 chinês faz sua aparição no deserto

0
Hangdou L-15 Falcon
Hongdu L-15 Falcon

dubai_airshow MAIN_100O último candidato para exportação da China – o jato treinador avançado L-15 Falcon – ficará em demonstração no Dubai Airshow 2009, uma rara oportunidade de ver a aeronave supersônica fora do território de seu país fabricante.

O L-15, um produto da Hongdu Aviation e muito parecido com o Yakovlev Yak-130, está participando de um dos maiores shows do mundo, procurando seu primeiro cliente para exportação. Sua aparição em Dubai, vem após sua primeira aparição no MAKS, show aéreo em Moscou, realizado três meses atrás.

Três vistas do L-15 da China
Três vistas do L-15 da China

Desde que entrou na fase de testes de voo em 2006 , o L-15 tem sido um motivo de discussões na China, Rússia e Venezuela. O Oriente Médio poderá provar se é um mercado potencial para compra desse jato. A Jordânia, em particular, está procurando por um novo treinador avançado desde que recebeu seus caças F-16. Os caças F-16, recentemente comprados pela Jordânia, e as solicitações de novos caças no Iraque, Kuwait e no Catar também poderão atrair o interesse do treinador chinês L-15.

O L-15 que estará se demonstrando em voo no Dubai Airshow é um dos três primeiros protótipos com motores ZMKB Progress DV-2. A empresa Hongdu selecionou os motores, Ivchenko-Progress AI-222-25F, da Ucrânia, para suas versões de produção.

Enquanto a Hongdu viaja para o Oriente Médio em busca de clientes, o programa L-15 para as forças armadas da China ainda permanece como incerto.

O L-15 está competindo com o Jl-9 da Guizhou Aircraft Industry para vencer um contrato de um jato de treinamento avançado para Força Aérea da China.

Fonte: Hongdu Aircraft

Paquistão adquire 36 jatos de combate J-10 da China

0
Montagem do J-10 com as cores da Força Aérea do Paquistão
Montagem do J-10 com as cores da Força Aérea do Paquistão

A China fez um acordo para vender para o Paquistão pelo menos 36 caças avançados J-10, num negócio avaliado em mais de US$1,4 bilhão, de acordo com oficiais paquistaneses e orientais.

Inicialmente serão enviados dois esquadrões de jatos J-10, num acordo preliminar que poderá posterioremente prosseguir com mais entregas. O Paquistão poderá comprar um “grande número” de aeronaves de combate multitarefa no futuro, mas negou a informação que o país já tenha adquirido mais de 150 caças de combate.

Especialistas de defesa descrevem o acordo com a China como um evento marcante nas relações com a defesa do Paquistão, no campo do poder militar. A transição dos fabricantes da China, de jatos de combate básicos, para modelos avançados, equivalentes aos modelos existentes no ocidente, é uma evidência do aumento do nível militar estratégico na região da Ásia.

“A China está desenvolvendo uma real capacidade de produzir e exportar armas. Até o momento, os chineses ainda estão dependentes das tecnologias russas, mas obviamente a China teve significativos avanços nos últimos dias,” disse Marika Vicziany, Professor de estudos Asiáticos da Monash University em Melbourne.

A China vem fornecendo ao Paquistão caças de combate por mais de três décadas. Mas dessa vez, as vendas foram de caças avançados. O Paquistão já havia escolhido os caças Mirage, da França, nos anos 70 e os caças F-16, dos EUA, na década de 80.

O Paquistão possui uma frota de 45 aeronaves F-16 construídas pela Lockheed Martin. Esses caças são utilizados nas missões de combate contra militantes do South Waziristan.

Os Estados Unidos concordaram em vender para o Paquistão outros 18 novos caças F-16 e oficiais paquistaneses também aguardam que os EUA forneça mais uma dúzia de versões antigas da mesma aeronave.

Na última década, a China e o Paquistão tem colaborado para construir seu primeiro caça avançado de combate, conhecido como JF-17, ou “Thunder”. O Paquistão espera que a primeira aeronave construída no país do Thunder seja apresentada nas próximas semanas.

JF-17 'Thunder'
JF-17 'Thunder'

A Força Aérea do Paquistão planeja adquirir pelo menos 250 caças Thunder nos próximos quatro ou cinco anos.

Especialistas acreditam que o foco do Paquistão na China é uma evidência que os chineses estão tentando expandir seu poder militar.

Cavok nas redes sociais

62,406FãsCurtir
340Inscritos+1
6,414SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,780InscritosInscrever
Anúncios