Saab

Inicio Tags Operações Aéreas

Tag: Operações Aéreas

IMAGENS: EUA, França e Emirados Árabes Unidos realizam exercício conjunto

1
Um F-16 Desert Falcon dos Emirados Árabes Unidos se prepara para se conectar com um KC-10 Extender designado do 908º Esquadrão de Reabastecimento Aéreo Expedicionário da Base Aérea de Al Dhafra, Emirados Árabes Unidos, em 28 de agosto de 2019. (Foto: U.S. Air Force / Staff Sgt. Chris Drzazgowski)

A coalizão da Força Aérea dos EUA, França e Emirados Unidos colaborou em um exercício de força de dois dias que começou no dia 27 de agosto nos Emirados Árabes Unidos.

Anúncios

FAB: Operação Sabre reúne militares de esquadrões de caça para treinamento

1
Anápolis sedia operação para combate de guerra eletrônica. (Foto: FAE III)
Anápolis sedia operação para combate de guerra eletrônica. (Foto: FAE III)

A Base Aérea de Anápolis (BAAN) sedia, até o dia 30 de junho, a Operação Sabre, com a participação dos esquadrões de F-5M, A-1, E-99 e R-99. Cerca de 560 militares estão envolvidos em missões de defesa aérea, ataque ao solo e reconhecimento dentro de um contexto fictício de conflito. O treinamento, organizado pela Terceira Força Aérea (III FAE), visa capacitar as equipes de combate para atuar em cenários de conflitos simulados.

OPERAÇÃO ÁGATA 3: Reabastecimento em voo de jatos A-1 por aeronave KC-130

12

Caças A-1 do Esquadrão Adelphi, sobrevoam o Rio de Janeiro, durante a Operação Ágata 3. (Foto: FAB)
Imagine uma rodovia longa e sem nenhum posto de combustível. O motorista teria que sair da pista principal e seguir num sinuoso caminho até a cidade mais próxima para poder abastecer. Agora imagine se o caminhão de combustível pudesse emparelhar com o carro e abastecê-lo, sem que ele precisasse parar, bastando apenas reduzir um pouco a velocidade. Mal comparando, é mais ou menos isso que o reabastecimento em voo proporciona às aeronaves de caça.

Durante a missão fora usadas aeronaves A-1 e KC-130. (Foto: FAB)
Durante a Operação Ágata 3, as aeronaves de caça da FAB utilizam o recurso do reabastecimento em voo para permanecer mais tempo cumprindo suas missões. O caça bombardeiro A-1 AMX poderia decolar da Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, e seguir sem escalas até Fortaleza (CE). Com o reabastecimento em pleno voo, pode alcançar qualquer ponto da América do Sul, por exemplo. “A nossa aeronave já tem uma autonomia muito boa, mas com o reabastecimento em voo o limite passa a ser as condições fisiológicas do piloto”, revela o Tenente Coronel Denison Ferreira, Comandante do Esquadrão Adelphi, uma das unidades de A-1 da FAB.

As aeronaves A-1 voaram do Rio de Janeiro até Fortaleza sem escalas, graças ao REVO. (Foto: FAB)
Para realizar o procedimento, uma aeronave reabastecedora sobrevoa uma área programada até que os caças se aproximam. O avião “tanque” libera uma mangueira que se estende por cerca de 12 metros. Os caças se aproximam com uma velocidade um pouco menor até que probe (uma espécie de haste que fica do lado superior direito do piloto de caça), se conecte à mangueira. O combustível é transferido por essa conexão.

Uma aeronave KC-130 utilizada na Operação Ágata 3. (Foto: FAB)
A Operação Ágata 3 conta com aeronaves KC-130 que são responsáveis por prover o reabastecimento em voo das aeronaves de caça.

Fonte: Agência Força Aérea

Gripens e Saab 340 AEW da Tailândia vão realizar exerício militar com marinha tailandêsa

8
Um dos sete caças Gripen recebidos recentemente pela Real Força Aérea da Tailândia.

O encontro de dois dias da Comissão Conjunta de Fronteira Tailândia-Cambodja terminou no Palácio Bogor, em java, com nada resolvido sobre as negociações dos dois países com a Indonésia relavio a fronteira. “Esse assunto [disputa da fronteira] não pode ser resolvido com apenas um encontro,” disse o Ministro das Relações exteriores Marty Natalegawa.

 

Marty disse que poderão haver encontros informais com os ministros da defesa da Tailândia e Cambodja para discutir o problema, o qual ele disse ser complexo.

Enquanto isso, a Marinha Real da Tailândia conduzirá um exercício naval anual como parte dos preparativos de segurnaça para qualquer possível disputa marítima com o Cambodja, com os novos caças Gripen recém recebidos Gripen.

A marinha lançará um exercício naval com a Real Força Aérea da Tailândia no Golfo da Tailândia, próximo a Sattahip em Chon Buri, nos dias 21 e 22 de abril.

Uma fonte militar disse que o exercício faz parte de medidas para prevenir qualquer conflito territorial marítimo com o Cambodja.

Uma aeronave Saab 340 AEW da Força Aérea Tailandesa. (Foto: Saab Group)

Os caças Gripen e a aeronave Saab340 AEW também participarão de escolta da frota e operações de interceptação aérea. Essa será a primeira missão dos caças Gripen que foram adquiridos pelo governo tailandês.

Fonte: Bangkok Post – Tradução: Cavok

A aeronave de reabastecimento aéreo Il-78P do Paquistão durante o exercício High Mark 2010

0
A aeronave Il-78 Midas, de reabastceimento aéreo da Força Aérea dp Paquistão.

A aeronave de reabastecimento aéreo Ilyushin IL-78 Midas, matrícula, R09-001, da Força Aérea do Paquistão participou da primeira fase do exercício militar High Mark 2010, juntamente com os caças Mirage III recentemente equipados com novos probes de reabastecimento. A entrega das três remanescentes aeronaves de reabastecimento Il-78 deverá ocorrer ainda em 2010.

O Exércício High Mark 2010 foi o primeiro exercício militar que a nova aeronave Il-78 Midas da Força Aérea do Paquistão foi utilizado.

A Força Aérea do Paquistão adquiriu um total de 4 aeronaves reabastecedoras Il-78P Midas da Ucrânia. Essas aeronaves estão equipadas com pods de transferência de combustível UPAZ projetados na Rússia, enquanto que os kits de reabastecimento aéreo Rose-I dos caças Mirage III vieram da África do Sul.

Um dos caças Mirage III do Paquistão, que recentemente recebeu a adaptação de um probe de reabastecimento aéreo, também pode ser testado no High Mark 2010, juntamente com as aeronaves de reabastceimento aéreo Il-78 Midas.

Num primeiro estágio, a Força Aérea do Paquistão anunciou que 30 caças Mirage III serão equipados com os probes de reabastecimento em voo Rose-I.

A Força Aérea do Paquistão receberá 4 unidades das aeronaves Il-78 Midas, para função de reabastecimento em voo.

As aeronaves Il-78 estão oferecendo para Força Aérea do Paquistão sua primeira oportunidade de poder reabastecer em voo somente com suas aeronaves. Eles ajudarão a treinar as tripulações paquistanesas nas técnicas de reabastecimento aéreo, e uma vez operacional eles serão usados para reabastecer os caças Mirage III, e posteriormente os caças JF-17 Thunder e FC-20 (J-10B).

Caças Eurofighter da Itália demonstram excepcional disponibilidade operacional

0
Caças Eurofighter Typhoon do 4° Stormo, da Força Aérea da Itália, baseado em Grosseto. (Foto: Eurofighter)

Os caças Eurofighter Typhoon da Força Aérea da Itália demonstraram uma excepcional disponibilidade operacional durante um recente deslocamento, para uma campanha de Instrumentação Autônoma de manobra de combate aéreo (AACMI), para Decimomannu, na Sardenha.

O 4° Stormo (Esquadrão) da Base Aérea de Grosseto – com seu IX Gruppo, 20° Gruppo (Unidade de Conversão Operacional) e o 904° GEA, Gruppo Efficienza Velivoli (Esquadrão Logístico) e o 36° Stormo (Esquadrão) da Base Aérea de Gioia Del Colle, enviaram um total de 12 aeronaves para o exercício, atingindo os excelentes resultados durante o deslocamento na base da Sardenha.

Um Eurofighter Typhoon do 4° Stormo, da Força Aérea da Itália, chega para pouso em Decimomannu, na Sardenha.

Em duas semanas de atividade, 112 missões foram completadas, das 114 planejadas, com uma disponibilidade operacional de 98,3%. Esse resultado único foi possível graças as capacidades otimizadas de preparação da equipe técnica do 4° Stormo ae pela rápida predisposição do departamento de logística, o qual forneceu constante ajuda e finalizava as missões qualquer que fossem os problemas que houvessem.

Sobretudo, a presença em Decimomannu de representantes de toda comunidade italiana do Eurofighter ajudou a melhorar a padronização do processo entre os grupos. Adicionalmente,o sistema  AACMI permitiu aprimorar os debriefings os quais ajudaram as tripulações a analisar as táticas adotadas e os resultados alcançados nas duas missões lançadas diariamente durante o deslocamento.

A primeira semana na Sardenha foi caracterizada pelos 10 caças Eurofighter Typhoons divididos entre “Forças Azuis” (defesa) e “Forças Vermelhas” (simulando possíveis ameaças). A segunda semana, com 12 aeronaves, foi dedicada para continuação do treinamento com a adição do Curso de Operações Aéreas Compostas, COMAO, missões as quais as aeronaves Tornado da Luftwaffe (Força Aérea Alemã) também estavam incluidos, num cenário compreendendo 16 aeronaves, 12 das quais eram Eurofighters. Durante a segunda semana, os Eurofighter da Itália também executaram um exercício em “Mar Aberto”, voando em missões de escolta e de ataque junto com os caças Harrier e unidades navais da Marinha da Itália, bem como com aeronaves MB.339 e Tornado da Força Aérea Italiana.

Fonte: Eurofighter – Tradução: Cavok

VÍDEO: Força Aérea do Paquistão utiliza rodovias para operar seus caças no exercício High Mark 2010

0
Caça Chengdu F-7 da Força Aérea do Paquistão pousando em uma rodovia durante o exercício Hogh Mark 2010.

Aeronaves de caça Mirage III e F-7 da Força Aérea do Paquistão utilizaram rodovias como pistas de emergência para pousos e decolagens durante o exercício militar High Mark 2010. Veja o video a seguir.

Durante o exercício militar High Mark 2010, o Comandante de Ala Atta-ur-Rehman voava um caça Mirage III e o líder do Esquadrão Nadeem Iqbal voava um F-7P, e ambos efetuaram pousos em um trecho em linha reta de 3 km de extensão por 31 metros de largura da rodovia Islamabad-Lahore, que foi usada como pista improvisada. Nas três horas seguidas de exercícios, os caças da Força Aérea do Paquistão praticaram o reabastecimento e rearmamento. Após os pousos, as aeronaves eram reabastecidas, rearmadas e decolavam novamente.

O procedimento de toque e arremetida em rodovias vinha sendo praticado durante os dois exercícios anteriores, onde os exercícios de pouso na rodovia do High Mark 2010 utilizou como base aérea de emergência.

O exercício High Mark-2010, iniciado no dia 15 de março, é o maior exercício de guerra simulada da Força Aérea do Paquistão em cinco anos e cobre toda extensão do país.

Força Aérea da Índia realizará exercício conjunto com a França e o Reino Unido em 2010

0
Um caça Su-30MKI da Força Aérea da Índia voa em formação com um Eurofighter Typhoon e um Tornado F3 da Royal Air Force (RAF).

A Força Aérea da Índia (IAF) participará de um exercício militar ar-ar com a França e com o Reino Unido nos próximos meses.

A Índia participará no exercício Garud com a Força Aérea da França em junho.

A Força Aérea da Índia deslocará seus caças Su-30, seu mais avançado caça, uma aeronave Il-76 e uma aeronave de reabastecimento aéreo Il-78 Midas para o exercício.

A França por sua vez participará do exercício com seus modernos caças Rafale e os Mirage 2000-5.

Os exercícios com a Royal Air Force (RAF) do Reino Unido serão realizados na Base Aérea de Kalaikunda, em Bengal Oeste, no mês de outubro como parte do exercício Indrahanush.

A RAF participará do exercício com os caças Eurofighter Typhoon e Tornado F3.

A finalidade principal dos exercícios conjuntos será de melhorar as técnicas de combate da Força Aérea da Índia em simulações de combate contra caças avançados ocidentais.

Força Aérea do Paquistão testa sua aeronave de reabastecimento aéreo Il-78

0
Aeronave de reabastecimento em voo Ilyushi Il-78 Midas, da Força Aérea do Paquistão.

A Força Aérea do Paquistão (PAF) efetuou com sucesso testes com a aeronave de reabastecimento em voo Il-78, que recebeu no mês de dezembro de 2009, durante o exercício High Mark 2010.

Durante o exercício militar a aeronave Il-78 reabasteceu dois caças ao mesmo tempo, de acordo com o site dailytimes.com.

A entrega de três aeronaves similares de reabastecimento aéreo estão sendo aguardadas para junho desse ano. A aeronave il-78 aumentará a efetividade e a capacidade da Força Aérea na defesa do espaço aéreo do Paquistão.

O High Mark 2010 ocorreu em todas bases pelo país, desde Skardu no norte, até o Mar Arábico no sul.

O exercício foi realizado com a inclusão de manobras conjuntas com o exército e a marinha, com o intuito de aumentar a capacidade de operações integradas com as três forças.

O Ilyuhin Il-78 Midas possui quatro motores Aviadvigatel PS-90, e tem seu projeto baseado na aeronave de transporte Il-76 Candid.

IMAGENS: Ala de Helicópteros das Forças Armadas da Suécia treina pousos em navio “quebra-gelo”

0
Um helicóptero AW109 (Hkp 15) das Forças Armadas da Suécia prepara-se para pouso no navio quebra-gelo Atle. (Foto: Christer Nordqvist/Luftstridsskolan/Försvarsmakten)

“Vento relativo de 20 graus, quinze nós. Pronto para pouso!” O mestre do navio quebra-gelo Atle dá autorização para o helicóptero K39 enquanto o Atle preocupa-se em quebrar as placas de gelo para liberar o caminho para um navio de carga que partiu da Letônia. A unidade de desenvolvimento das tripulações dos helicópteros das Forças Armadas da Suécia está efetuando uma avaliação operacional dos AgustaWestland AW109, designados na Suécia de Hkp 15. O trabalho preparará as aeronaves não apenas para pouso no convés dos navios militares bem como dos navios comerciais também.

A visão do piloto do helicóptero AW109 (Hkp 15) das Forças Armadas da Suécia antes do pouso no navio quebra-gelo Atle. (Foto: Christer Nordqvist/Luftstridsskolan/Försvarsmakten)

“Pousar em navios civis difere do pouso em navios de guerra e quando introduzido qualquer novo tipo de embarcação, nós precisamos explorar as possibilidades do pouso. Navios de guerra normalmente são certificados e auditados para operações sem obstáculo e turbulência,” disse o Capitão Kenneth Olsson, da Ala de Helicópteros da Suécia.

O helicóptero "K39" a bordo do navio quebra-gelo Atle, durante missão no Mar Báltico. (Foto: Christer Nordqvist/Luftstridsskolan/Försvarsmakten)

A Escola de Aviação de Combate Aéreo da Suécia está conduzindo as missões Opeval com a Ala de Helicópteros, a qual auxilia com os helicópteros e pessoal de apoio. A atividade é coordenada pela divisão de desenvolvimento de táticas do esquadrão baseado em Linköping. Os pilotos que serão destacados na próxima operação ME-02 no Golfo de Aden estão participando dos testes e puderam efetuar vários pousos em diversos tipos de embarcações.

O mestre de operações do navio quebra-gelo Atle autoriza o pouso do helicóptero AW109 das Forças Armadas da Suécia. (Foto: Christer Nordqvist/Luftstridsskolan/Försvarsmakten)

A tripulação do navio Atle gentilmente preparou o navio, apesar da situação complicada no Mar Báltico. O navio estava contornando uma área cheia de blocos de gelo no Golfo de Bothnia para auxiliar os navios que ficaram presos com a formação de gelo. Foi efetuado um treinamento preparatório para as tripulações dos helicópteros utilizarem qualquer sistema para localizar o Atle antes de cada voo.

A próxima etapa dos testes envolverá pousos no navio HMS Visby da Marinha da Suécia.

Fonte: Press Release das Forças Armadas da Suécia – Tradução: Cavok

Começa esse mês o exercíco High Mark 2010, o maior já realizado pelo Paquistão

0
Caças F-16 da Força Aérea do Paquistão são preparados para mais uma missão de treinamento. (Foto: Emin Findikli)

A Força Aérea do Paquistão realizará seu maior exercício militar na semana que vem. Os exercícios cobrirão toda extensão do país, desde Skardu no norte até o Mar Arábico no sul, e servirá para testar as capacidades técnicas e profissionais dos diversos esquadrões das forças paquistanesas.

Um caça Chengdu F-7PG dispara uma rajada com seus canhões de 30mm durante um exercício de tiro real no Paquistão.

Fontes militares informaram na sexta-feira que o exercício militar High Mark 2010 será diferente em relação aos exercícios anteriores porque ele também terá a participação das forças do exército e da marinha. Esse tipo de exercício é realizado a cada cinco anos e envolve todas unidades aérea da fronteira e bases pelo país, incluindo as mais recentes armas de guerra do país.

A mais recente introdução da Força Aérea do Paquistão, o caça JF-17 Thunder, enquanto um Mirage 5 taxia em frente.

O recente esquadrão de caças JF-17 Thunder, os recentes caças F-16C/D recebidos dos Estados Unidos, e todos os outros modelos de caças da força aérea participarão dos jogos de guerra. Estarão incluídos também nos exercícios as novas aquisições, incluindo a nova aeronave Saab 2000 AEW&C (Airborne Early Warning and Control) e aeronaves de reabastecimento aéreo Il-78 Midas.

O exercício militar High Mark 2010 servirá também para aproximar as forças armadas do Paquistão e deverá ter uma duração de 40 dias.

IMAGENS: Aeronaves A-10 Thunderbolt II da USAF participam do exercício Cope Tiger

0

O A-10 Thunderbolt II 80-0239 taxia na pista da Base Aérea de Udon Thani, Tailândia, no dia 4 de março de 2010, durante o Cope Tiger 2010. A aeronave está equipada com um sistema de Aviso de Mísseis AN/AAR-47. (Foto: Capt. Genieve David / U.S. Air Force)

A Força Aérea dos Estados Unidos está conduzindo uma missão com quatro aviões de combate A-10 Thunderbolt II durante o exercício multilateral Cope Tiger 2010, na Tailândia.

Pilotos do 25º Esquadrão de Caça da Base Aérea de Osan, Coreia do Sul, caminham para suas aeronaves na Base Aérea de Udon Thani, Tailândia, no dia 4 de março de 2010, antes de conduzirem a primeira de várias missões planejadas no exercício Cope Tiger 2010. (Foto: Capt. Genieve David / U.S. Air Force)
O Capitão Matthew Lackey coloca seu capacete momentos antes de acionar seu A-10 Thunderbolt II na primeira missão no exercício Cope Tiger 2010, na Base Aérea de Udon Thani, Tailândia. (Foto: Capt. Genieve David / U.S. Air Force)

As quatro aeronaves A-10, da Base Aérea de Osan, Coreia do Sul, efetuam missões básicas de ataque ao solo com armas simuladas na Área de Nam Phong, na Tailândia.

Membros da 25ª Unidade de Manutenção de Aeronave da Base Aérea de Osan, Coreia do Sul, removem os calços "remove before flight" como preparação para um A-10 Thunderbolt II poder partir para uma missão na Base Aérea de Udon Thani, Tailândia. (Foto: Capt. Genieve David / U.S. Air Force)

O exercício Cope Tiger 2010 inclui a participação da Força Aérea dos Estados Unidos (SAF), da Real Força Aérea e Exército da Tailândia, e da Força Aérea da República de Singapura.

O membro da tripulação no solo Graeme Clark prepara o cockpit de um A-10 Thunderbolt II para os pilotos participantes do exercício Cope Tiger 2010 na Base Aérea de Udon Thani, Tailândia. (Foto: Capt. Genieve David / U.S. Air Force)

A participação dos Estados Unidos é liderada pela 13ª Força Aérea Conjunta da Base de Pearl Harbor, Havaí, subordinada a Força Aérea do Pacífico.

Um avião A-10 Thunderbolt II (80-0253) retorna de uma missão durante o Cope Tiger 2010 na Base Aérea de Udon Thani, Tailândia, no dia 5 de março de 2010. (Foto: Tech. Sgt. Cohen A. Young / U.S. Air Force)
As tripulações de solo dos aviões A-10 Thunderbolt II e os técnicos em armas preparam os jatos para o desligamento após eles terem retornado de uma missão de treinamento no Cope Tiger 2010 na Base Aérea de Udon Thani, Tailândia, no dia 5 de março de 2010. A aeronave em primeiro plano é o A-10C (80-0245) com um pod de mira AN/AAQ-28 LITENING AT. Um sistema de aviso de mísseis AN/AAR-47 também está instalado. A aeronave ao fundo é o A-10 (81-0971). (Foto: Tech. Sgt. Cohen A. Young / U.S. Air Force)

O exercício está sendo realizado nas bases de Korat e Udon Thani da Real Força Aérea da Tailândia até o dia 12 de março de 2010.

Fonte: USAF – Texto: Cavok

IMAGENS: PASSEX 2010, exércicio conjunto da Marinha Brasileira com a U.S. Navy

1
Militares brasileiros a bordo do USS Carl Vinson (CVN 70) observam a plataforma de sinalização para pouso no convés de voo, enquanto uma aeronave A-4 (AF-1) da Marinha do Brasil efetua uma passagem sobre o porta-aviões. (Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Adrian White / U.S. Navy)

Na última sexta-feira de fevereiro, dia 26, o porta-aviões USS Carl Vinson (CVN70) chegou ao Rio de Janeiro durante sua viagem ao redor da América do Sul. O porta-aviões norte americano havia partido do Haiti, onde estava participando da missão de apoio às vítimas do terremoto que sacudiu o país caribenho no mês de janeiro, e durante sua passagem pelo Brasil participou juntamente com um parte da esquadra da Marinha do Brasil do exercício Passex 2010, onde caças F/A-18 Super Hornet voaram junto dos aviões A-4 (AF-1) Skyhawk do esquadrão VF-1 da Marinha do Brasil.

Um caça F/A-18E Super Hornet é preparado para o lançamento a bordo do USS Carl Vinson (CVN 70) como parte da demonstração para convidados brasileiros durante o exercício Passex 2010 com a Marinha do Brasil. (Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Ashley Van Dien / U.S. Navy)

Os exercícios com as aeronaves brasileiras estava marcado para segunda-feira, dia 1°, mas devido às más condições do tempo, o exercício foi transferido para terça-feira, dia 2, onde a tarde as aeronaves efetuaram diversas passagens baixas sobre o porta-aviões norte americano.

Um caça F/A-18F Super Hornet efetua uma passagem baixa próximo ao USS Carl Vinson durante a visita da imprensa brasileira. (Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Adrian White / U.S Navy)
Um F/A-18F durante a passagem baixa cria uma nuvem de condensação sobre as suas asas. (Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Adrian White / U.S. Navy)

Durante o exercício, dois “Falcões” brasileiros fizeram várias aproximações e arremetidas, sem tocar no convés de voo do porta-aviões USS Carl Vinson, e a imprensa foi convidada para participar de um dia de operações em mar aberto, onde os caças F/A-18E/F Super Hornet que concorrem no programa F-X2 da FAB foram amplamente demonstrados.

Dois caças Super Hornet demonstram a capacidade de reabastecimento aéreo feito entre as duas aeronaves como parte da demonstração para os convidados brasileiros a bordo do USS Carl Vinson (CVN 70). (Foto: Communication Specialist 2nd Class Ashley Van Dien / U.S. Navy)
Os convidados da imprensa brasileira fotografam o pouso de um F/A-18 Super Hornet a bordo do USS Carl Vinson (CVN 70). (Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Adrian White / U.S. Navy)

Numa clara mostra de que os EUA vieram apresentar suas armas para competição que irá escolher o novo vetor de caça da Força Aérea Brasileira, a U.S. Navy fez questão de demonstrar todas qualidades do caça Super Hornet, demonstrando até mesmo um processo de reabastecimento aéreo feito através de um F/A-18 preparado para tal procedimento.

Um helicópteros SH-3 Sea King da Marinha do Brasil prepara-se para pousar no Cruzador USS Bunker Hill (CG 52), que acompanhava a esquadra com o USS Carl vinson (CVN 70) pela passagem no Brasil. (Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Daniel Barker / U.S. Navy)

Helicópteros Sea King e navios brasileiros também participaram do exercício que terminou na sexta-feira, dia 5.

O porta-aviões nuclear norte americano USS Carl Vinson (ao centro) e o cruzador USS Bunker Hill (CG 52) a direita dele, navegam em formação com os navios Independência, Constituição e Niterói da Marinha Brasileira. (Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Michael C. Barton / U.S. Navy)

Os dois navios norte-americanos, o porta-aviões USS Carl Vinson (CVN 70) e o cruzador USS Bunker Hill (CG 52), partiram para o Uruguai, onde a partir de hoje começa mais um exercício militar, o Southern Seas 2010, juntamente com a Marinha Uruguaia.

Está em andamento o Exercício Militar ‘Pirate Rock’ da RAF em Gibraltar

0
Uma aeronave Hawk do Esquadrão nº 100 da RAF vom em formação com um Tornado GR4 do Esquadrão nº II da RAF sobre Gibraltar durante o exercício Pirate Rock 2010. (Foto: Cpl Ralph Merry ABIPP RAF / MoD UK)

Cinco aeronaves BAe Hawk e cerca de 50 pessoas do Esquadrão nº 100 da RAF, da base da RAF de Leeming, em North Yorkshire, Reino Unido, chegaram no aeroporto de Gibraltar para o início do exercício de treinamento de combate ‘Pirate Rock’ que durará uma semana.

O esquadrão é especializado em treinamento com jatos armados e fará o exercício juntamente com aeronaves Tornado GR4s do Esquadrão Nº II(AC), da Base da RAF de Marham, em Norfolk. A ala de Marham atualmente está efetuando as operações de Apoio Aéreo Aproximado na Operação ‘Herrick’ no Afeganistão.

Um BAe Hawk do Esquadrão nº 100 da RAF pousa em Gibraltar após uma missão de treinamento durante o exercício Pirate Rock. (Foto: Cpl Ralph Merry ABIPP RAF / MoD UK)

A insígnia do Esquadrão nº 100 mostra uma caveira com dois ossos cruzados e por isso o nome do exercício “Pirate Rock”.

As decolagens e pousos das aeronaves estão sendo planejadas para não ocorrerem nos horários de maior movimento da Avenida Winston Churchill, que cruza no meio da pista de operação do aeroporto, e estão sendo feitos todos esforços para manter o tráfego de veículos fluindo normalmente a maior parte do tempo.

A 5ª Ala de Bombardeiros da USAF efetuou o exercício Prairie Knight 10-1

0
Um bombardeiro B-52 aguarda a preparação para mais um voo na Base Aérea de Minot, Dakota do Norte. (Foto: Airman 1st Class Christopher Boitz / U.S. Air Force)

A Ala de Bombardeiros da Força Aérea dos Estados Unidos, na Base Aérea de Minot, Dakota do Norte, lançou no dia 9 de fevereiro um exercício militar chamado de Prairie Knight 10-1 para os esquadrões da ala de bombardeiros estarem preparados para uma inspeção convencional de prontidão operacional a ser realizada em agosto.

O exercício de 48 horas de duração foi usado para testar a 5ª Ala de Bombardeiro em preparação para inspeção que será feita para verificar a segurança, a credibilidade e a confiança dos esquadrões.

O Vice-Comandante da Ala, na Base Aérea de Minot, o Coronel Julian Tolbert, disse que os dois dias do evento Prairie Knight 10-1 mediram a habilidade da Ala de sobreviver e operar num ambiente de contingência, e incluiram 24 sortidas de aeronaves B-52 para prática de bombardeio ao alvo.

Os cenários de treinamento incluiu uma simulação interna feita numa ambiente preparado, com o pessoal utilizando roupas especiais simulando como se o aeródromo tivesse sido atacado com armas químicas.

O exercício teve o objetivo de medir os tempos no procedimentos de reação no caso de ameaças químicas e biológicas.

IMAGENS: Exércicio militar de Voo Tático para os aviões Hercules da Nova Zelândia

1
O Líder do Esquadrão Andy Scott (esquerda) e o Tenente Aaron Lloyd navegam o C-130 a baixa altitude durante um voo tático.

Os voos a baixa altitude das aeronaves de transporte C-130H Hercules da Royal New Zealand Air Force, do Esquadrão N° 40, estão ocorrendo na parte norte da South Island entre os dias 15 e 24 de fevereiro como parte da qualificação para combate do exercício TACEX (Treinamento Tático de Conversão) que ocorre a cada dois anos.

Um C-130H Hercules numvoo baixo sobre as colinas no sul da Nova Zelândia.

O exercício serve para treinar as tripulações do C-130 na operações táticas e incluem voos em formação, operações de lançamento de cargas envolvendo equipamento pesado e sistemas de entrega de containers, além de procedimentos de descarregamento de combate.

Momento que a carga acerta o alvo demarcado durante um lançamento de pacotes a baixa altitude.

Com os voos ocorrendo próximo a Base Aérea de Woodbourne, a luz do dia irá orientar claramente as áreas edificadas. Os locais de lançamentos serão nas regiões de Grassmere, Lake Station, Seddon, Te Rou e Wairau.

O Líder do Esquadrão de C-130 Hercules, Capitão Andy Scott, disse que o tipo de voo feito durante o TACEX é para garantir que as tripulações se familiarizem com os tipos de operações que eles terão contato durante os destacamentos internacionais.

“Voar a 250 pés sobre o solo significa apenas um dos desafios que as tripulações enfrentarão quando em voo tático. Com o treinamento durante os exercícios como o TACEX, isso significa que as tripulações estarão aptas para efetuar com confiança quando estiverem voando em situações de combate ou de ajuda humanitária.”

As aeronaves C-130H Hercules do Esquadrão N°40, da Força Aérea da Nova Zelândia

O Esquadrão N°40  está localizado na Base Aérea de Whenuapai, e opera cinco C-130H Hercules e dois Boeing 757-200.

Fonte: RNZAF – Tradução e Adaptação do texto: Cavok

Aeronaves e helicópteros se reúnem no Mediterrâneo para o exercício militar “Noble Manta 2010”

0
Agusta/Bell 212 da Marinha da Itália

Dez nações da OTAN estão reunidas com sete submarinos, 18 aeronaves (incluindo helicópteros embarcados) e oito navios para participarem do exercício militar conjunto Noble Manta 2010, o maior encontro anual da OTAN para exercícios de Guerra Anti-Submarina (ASW), entre os dias 10 e 24 de fevereiro.

O exercício está ocorrendo no Mar Jônico, no sudeste da Sicília. As forças que estão participando são dos países Canadá, França, Alemanha, Grécia, Itália, Noruega, Espanha, Turquia, Reino Unido e os Estados Unidos.

Sete submarinos, um de cada da França, Alemanha, Grécia, Itália e Espanha, e dois da Turquia estão programados para juntarem-se ao exercício. Cada submarino terá aoportunidade de ser um caçador e também a presa.

Breguet Atlantique Mk1 da Marinha da Itália

As aeronaves da força marítima que participam são as seguintes:

Nações Aeronaves
CANADÁ 1 P-3 Orion
FRANÇA 2 Atlantique 2
ALEMANHA 1 P-3C Orion
ITÁLIA 1 Atlantique 1

2 EH-101

REINO UNIDO 1 Ninrod
ESTADOS UNIDOS 3 P-3C Orion
NORUEGA 1 P-3C Orion
TOTAL 10 Aeronaves de Patrulha

2 Helicópteros

Das forças terrestres e embarcadas são essas: helicópteros Agusta/Bell AB212 da Grécia, Espanha, Itália, Turquia; e helicópteros Westland Lynx da França.

As aeronaves de patrulha marítima e os helicópteros de combate anti-submarino operam a partir de bases aéreas na Sicília. Mais de 100 missões aéreas estão planejadas as quais em média resultarão em um briefieng a cada três horas, durante o dia e noite, durante o exercício.

O exercício está sendo controlado a partir de locações em bases multinacionais pelo Almirante John M. Richardson, Commandante dos Submarinos das Forças Navais dos Aliados do Sul e pelo Almirante David Mercer, Commandante Marítimo e Aéreo de Nápoles, Itália

Maiores informações podem ser encontradas no site da operação: Noble Manta.

Fonte: OTAN – Tradução e Adaptação do texto: Cavok

IMAGENS: Caças japoneses chegam na Base Aérea de Andersen, Guam, para o exercício conjunto Cope North 10-1

0
Um caça Mitsubishi F-2, da Força de Auto Defesa Aérea do Japão, chega à Base Aérea de Andersen, Guam, para participar do Cope North 10-1. (Foto: Airman 1st Class Julian North / U.S. Air Force)

Vinte e uma aeronaves de mais de seis unidades militares através da região do Pacífico chegaram na Base Aérea de Andersen, na ilha de Guam, no dia 7 de fevereiro para o Cope North 10-1, um exercício bilateral de duas semanas entre as Forças Armadas dos Estados Unidos e a Força de Auto Defesa Aérea do Japão, que chegaram com as aeronaves Mitsubishi F-2.

Quatro aeronaves Mitsubishi F-2 da Força de Auto Defesa Aérea do Japão preparam-se para pousar na Base Aérea de Andersen, Guam, para participar do exercício Cope North 10-1. (Foto: Airman 1st Class Julian North / U.S. Air Force)

Essa é a 11ª vez que o Cope North está sendo realizado na Ilha de Guam. Os oficiais dos Estados Unidos e do Japão vem conduzindo os exercícios Cope North desde 1978.

Cerca de 24 aeronaves estão operando em conjunto com dois bombardeiros B-52H Stratofortresses, atualmente deslocados em Guam para apoiar as missões de presença contínua de bombardeiros na região.

O exercício Cope North é desenvolvido para estreitar as relações militares entre os dois países bem como melhorar as operações de defesa aérea do Japão feita por aeronaves norte americanas e japonesas.

Para maiores informações, veja outro artigo publicado aqui no Cavok.

Fonte: U.S. Air Force – Tradução e Adaptação do texto: Cavok

Força Aérea Portuguesa realiza o exercício Real Thaw 2010

0
Lockheed F-16A Fighting Falcon da Força Aérea de Portugal

A Força Aérea Portuguesa realiza entre os dias 25 de janeiro e 04 de fevereiro o exercício militar Real Thaw 10, que conta com a presença de outras forças aéreas aliadas, e que procura manter a capacidade operacional dos participantes nas missões de Apoio Aéreo Próximo a forças, ou populações, na região. A Força Aérea de Portugal, participa do exercício juntamente com as forças aéreas da Bélgica, da Dinamarca, da Espanha e dos Estados Unidos. As atividades aéreas serão variadas e, na sua maioria, executadas a partir da Base Aérea de Monte Real.

Lockheed F-16AM Fighting Falcon da Força Aérea da Bélgica

Participam no Real Thaw 10 cerca de 1000 militares e 50 aeronaves das Forças Aéreas de Portugal, Bélgica, Espanha, Dinamarca e Estados Unidos, assim como um avião de vigilância radar E-3A Sentry da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e um pequeno destacamento de Paraquedistas e Operações Especiais, do Exército Português.

Lockheed F-16 Fighting Falcon da Força Aérea da Dinamarca

O REAL THAW 2010 é um exercício planejado e conduzido pela Força Aérea Portuguesa. De Portugal participam as aeronaves F-16, das Esquadras 201 e 301, C130 Hercules da Esquadra 501, o C-295 da Esquadra 502, o Alouette III da Esquadra 552, o EH101 Merlin, da Esquadra 751 e ainda militares do Exército Português, das forças de Operações Especiais e Pára-quedistas.

Boeing F/A-18 Hornet, da Força Aérea da Espanha

As aeronaves dos países estrangeiros que participam do exercício são: caças F-16 da Bélgica e da Dinamarca e F-18 da Espanha, além da presença do avião-radar AWACS E-3A da OTAN.

Lockheed C-130 Hercules da Força Aérea de Portugal

O centro de operações deste exercício será a Esquadra 301 na Base Aérea n.º 5 (BA5), em Monte Real e as ações desenvolvem-se, na sua maioria, nesta Unidade da Força Aérea e no Aeródromo da Covilhã, onde será também instalada uma “Base Aérea Tática”, para operar helicópteros Alouette III, local onde também estarão instalados os militares do Exército Português que participam neste exercício. Além da Base Aérea de Monte Real e o Aeródromo da Covilhã, estarão envolvidos o Comando Aéreo e as Bases Aéreas de Beja e do Montijo.

O “Real Thaw” é um exercício criado para possibilitar o treino de várias missões como: a Escolta de Alvos Lentos (Helicópteros); Escolta de Colunas de Viaturas Terrestres de Ajuda Humanitária; Apoio Aéreo a Forças Terrestres em Ambiente Urbano; Operações Compostas de Ataque Aéreo (COMAO – multiplicidade de aeronaves numa mesma missão); Extracção de Elementos Militares e Não-militares, com e sem Ameaça Aérea; Apoio Aéreo a Operações Especiais; Lançamento de Carga Aérea e de Pára-quedistas; Busca e Salvamento; Operações Aéreas em Ambiente Marítimo; Assalto e Protecção de Aeródromos; Trabalho com Controladores Aéreos Tácticos (TACPs).

O exercício que teve início hoje, dia 25, e terminará no dia 4 de fevereiro, não terá atividade prevista para os finais-de-semana, num esforço causar o menor transtorno possível às populações que rodeiam as áreas abrangidas pelo Exercício.

Em cada um dos dias do Exercício terá lugar um conjunto de operações, inseridas num cenário que será diferente de dia para dia, de modo a serem atingidos todos os objetivos de treino do Real Thaw.

Fonte: Força Aérea de Portugal

Escola de Armamentos da USAF completa o MAFEX, grande exercício de transporte militar

0
Onze aeronaves C-130 Hercules da USAF durante o exercício MAFEX
Onze aeronaves C-130 Hercules da USAF durante o exercício MAFEX (Foto: Airman 1st Class Stephanie Rubi)

Pilotos de dois esquadrões da Escola de Armamento (Weapons School) da U.S. Air Force e suas tripulações voaram cerca de 40 aeronaves de transporte pesado durante o MAFEX 2009 (Mobility Air Forces Exercise) sobre o Estado de Nevada, na Test and Training Range até o dia 18 de novembro.

“Este é essencialmente o ponto principal do treinamento dos nossos instrutores do curso de armamentos, ajudando-os a aprender como planejar, programar e executar largas escalas operacionais com não apenas as muitas unidades da Força Aérea do EUA, mas com as unidades do Exército dos EUA também,” disse o Capitão Daniel Hilferty, um dos estudantes da Weapons School.

O exercício MAFEX é projetado para culminar os meses de treinamento que os estudantes recebem e os desafios deles em planejamento e execução das operações de assalto embarcado em missões conjuntas, integrando as forças militares.

Esta é a quinta vez que o exercício bi-anual é realizado, tendo essa interação envolvido mais de 50 aeronaves e 1.500 membros em serviço, incluindo até 400 soldados do 82º Airborne. As aeronaves presentes vão dos caças F-15E Strike Eagles e HH-60 Pave Hawk até os C-130 Hercules e MQ-9 Reapers.

Na foto acima, pode-se ver um alinhamento de 11 aeronaves de transporte C-130 Hercules taxiando durante o exercício MAFEX, no dia 18 de novembro de 2009, na Base Aérea da USAF de Nellis, Nevada.

Aproximadamente 40 aeronaves C-17 Globemaster III e C-130 das bases da Força Aérea dos EUA dentro do continente americano voaram sobre o complexo de treinamento de Nevada.

Fonte: U.S. Air Force

Cavok nas redes sociais

62,322FãsCurtir
340Inscritos+1
6,379SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,560InscritosInscrever
Anúncios