Saab

Inicio Tags Raf

Tag: raf

Reino Unido conversa com a Boeing para mais um C-17

0
Boeing C-17 Globemaster III decolando de uma pista improvisada durante a MAFEX 2009. (Foto: Aviador de Primeira Classe Brett Clashman)
Boeing C-17 Globemaster III decolando de uma pista improvisada. (Foto: Aviador de Primeira Classe Brett Clashman)

Na imagem acima, um C-17 Globemaster III, da USAF, decola de uma pista de pouso improvisada em área de treinamento e teste próxima a Base da Força Aérea de Nellis durante o exercício de logística da USAF (MAFEX), no dia 18 de novembro de 2009. (U.S. Air Force photo/Airman 1st Class Brett Clashman)

Reino Unido negocia com a Boeing a aquisição de mais um C-17 Globemaster

O Reino Unido está negociando a compra de mais uma aeronave de transporte pesado Boeing C-17 Globemaster III para aumentar a capacidade da Royal Air Force no apoio as tropas que estão lutando contra a milícia Talibã no sudeste do Afeganistão. Até o final do ano, as negociações deverão estar finalizadas, de acordo com o Ministerio da Defesa do Reino Unido.

Se essa compra for aprovada, a frota de aeronaves C-17 da RAF subirá para sete unidades. A nova aeronave, se fechado o contrato de compra nesse mês, deverá ser entregue em dezembro de 2010 e entrará em serviço em março de 2011.

A Royal Air Force vem operando os C-17 desde 2001, quando fizeram leasing de quatro aeronaves, que posteriormente foram adquiridas pela RAF, que depois recebeu mais duas aeronaves no ano passado.

A RAF diz que a compra do C-17 adicional não está diretamente ligada aos atrasos no programa do Airbus A400M.

Anúncios

Novo BAe Hawk AJT começa a treinar pilotos da RAF em Valley

0
BAE Hawk AJT
BAe Hawk AJT

A BAe Systems inicia uma nova fase no programa de treinamento de combate do Ministério de Defesa (MoD) do Reino Unido, referente ao novo Jato de Treinamento Avançado (AJT) Hawk, que agora chega na base aérea Valley da RAF, em Anglesey, North Wales. Isso representa uma importante etapa no envolvimento da RAF junto a BAe Systems para o programa do novo modelo do Hawk.

Na chegada, cada Hawk AJT, conhecido na RAF como Hawk TMk2, começou a se encaixar no programa de treinamento, que ajudará a manter a transição dos pilotos da RAF dentro dos padrões para os atuais e os futuros caças como os Typhoon e os F-35 Lightning II. Com um contrato de US$ 744 milhões, um total de 28 aeronaves foram pedidas pelo MoD do Reino Unido.

A BAe Systems está envolvida nas operações da base aérea Valley da RAF desde 1997, quando a Unidade de Treinamento Sistético do Hawk (HSTF) foi aberta. Em 2001 a BAe recebeu um contrato assinado para efetuar todo programa da Ground School do treinamento técnico e de sobrevivência, e em junho de 2007 viu a introdução do programa de Apoio Operacional Integardo do Hawk (Hawk IOS), ser entregue para uma sub-contratada da empresa, a Babcock Defence Services. Isso envolveu o processo de manutenção das aeronaves antigas e futuras da frota de Hawk TMk1 presentes em Valley.

A Base Aérea de Valley é a instituição de treinamento da RAF, onde aeronaves Hawk preparam os pilotos de todos caças da Royal Air Force. A região onde os aviões efetuam o treinamento é muito apropriada para belas imagens, onde as aeronaves aparecem voando bem próximas ao solo, dentro do vale.

A região do treinamento de voo em baixa altitude na região de Wales é conhecida como LFA7 e consiste em vários vales, que unidos formam a região norte de Machalynyth – apelidada de Mach loop. Confiram algumas imagens dos Hawk voando na região do Mach loop:

Hawks-by-Mr-Barry-Price

Chris-Chambers-1

chris-chambers-2

Helicópteros Merlin da RAF começam as operações aéreas no Afeganistão

0
Tropas desembarcam de um helicóptero Merlin, no voo 1419 baseado no Campo Bastion, no Afeganistão. A primeira missão do Merlin feita no dia 27 de novembro, com a tripulação do Primeiro Tenente George Williams e o co-piloto Primeiro Tenente Peter Smiley. (Foto: Cpl Laura Bibby)
Tropas desembarcam de um helicóptero Merlin, no Voo 1419 baseado no Campo Bastion, no Afeganistão. A primeira missão do Merlin feita no dia 27 de novembro, com a tripulação do Primeiro Tenente George Williams e o co-piloto Primeiro Tenente Peter Smiley. (Foto: Cpl Laura Bibby)

O Ministro da Defesa (MoD) do Reino Unido confirmou que os helicópteros Merlin da RAF (Royal Air Force) começaram dia 27 as operações no Afeganistão, trazendo o aguardado suporte para as tropas no solo britânicas e da coalisão.

Os helicópteros Merlin e as tripulações do Esquadrão 78, normalmente baseado na base aérea da RAF de Benson, em Oxfordshire, formaram o Voo 1419, na pista do Campo Bastion e transportarão tropas numa ponte aérea entre o Campo Bastion e as Forward Operating Bases (FOB), reenviando suprimentos, armamentos, comida e equipamentos. A declaração da Capacidade Operacional Inicial (IOC) foi alcançada um mês antes do programado, informou o MoD.

Six Merlin helicopters are set to arrive in Afghanistan by the end of 2009. 1. Capable of air-to-air refuelling. 2. Particle separator protects engine in dusty environments. 3. Cabin holds 30 seated or 45 standing combat troops with full equipment, and can carry vehicles. Machine guns may be mounted from cabin. 4. Fuselage built to resist crash damage and small arms fire.
Seis helicópteros Merlin jé estão em operação no Afeganistão: 1). Capacidade de reabastecimento aéreo. 2). Separador de partículas protege o motor de ambientes com muita areia e pó. 3). Capacidade para 30 soldados sentados ou 45 soldados em pé, totalmente equipados, e possibilidade de transportar veículos leves. Metralhadoras podem ser montadas nas portas da cabine e na rampa traseira. 4). Fuselagem resistente a danos contra quedas e tiros de armas de fogo leves.

Fonte: Ministério da Defesa do Reino Unido

FOTO: Typhoon sobrevoa Dubai

1
Eurofighter Typhoon voando sobre Dubai
Eurofighter Typhoon voando sobre Dubai (Foto: MoD UK)

Na imagem acima divulgada pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, um caça Typhoon FGR4 da Royal Air Force sobrevoa Dubai, onde fez sua primeira apresentação no Dubai Airshow que ocorreu entre os dias 15 e 19 de novembro, voando todas as tardes durante a programação das apresentações aéreas.

A aparição foi a última vez que o Eurofighter do Líder do Esquadrão Scott Loughran se apresentou na temporada 2009, terminando um ano bem ocupado que começou em maio no Spring Airshow, de Duxford. O piloto Scott está começando um novo capítulo na carreira. Ele partirá da base da RAF de Coningsby para  a base onde ele ajudará na formação da próxima unidade de Typhoon da RAF, o Esquadrão 6, na base da RAF de Leuchars.

Abaixo um vídeo da apresentação do espetacular caça durante o Dubai Airshow 2009:

Fonte: Ministério da Defesa do Reino Unido

Vulcan XH558 depende de doações para permanecer voando em shows aéreos

0
Avro Vulcan XH558
Avro Vulcan XH558

vulcan50aniverAtualmente existe apenas um bombardeiro Avro Vulcan, da RAF (Royal Air Force), voando no mundo, o XH558, que completa no ano que vem 50 anos de voos, operando em guerras, missões de treinamento e atualmente em vários shows aéreos pela Europa.

Mas para manter essa relíquia voando é necessário muito empenho dos proprietários e também de doações dos milhares de fãs espalhados pelo mundo que ajudam a manter uma lenda da aviação da guerra fria em operação.

No último mês de outubro uma nova campanha de arrecadação foi lançada, visando o objetivo de 400 mil Libras (US$ 660 mil) até o final do ano, e 800 mil Libras (US$ 1,32 milhão) até o final de março de 2010, quando comemora-se os 50 anos do Vulcan XH558. O órgão criado para receber as doações, a Vulcan to the Sky Trust, atualizou as doações e disse que até o momento cerca de 1.000 doadores contribuiram com cerca de 30 mil Libras (US$ 50 mil).

Avro Vulcan XH558
Avro Vulcan XH558

Em 2009, o Vulcan se apresentou 21 vezes em 33 eventos pela Europa, onde foi visto por mais de 2,5 milhões de espectadores. Para continuar se apresentando, é necessário receber as doações, ou contar com a divulgação da campanha de arrecadação.

Quem tiver interesse em fazer uma doação, basta clicar no banner a seguir:

50th-banner-728x90http://www.vulcantothesky.org/

O Reino Unido deve adquirir mais 30 Chinook

0
Boeing Chinook, da RAF
Boeing Chinook, da RAF

Ministros governamentais do Reino Unido estão próximos de anunciar no final desse mês uma radical reforma na frota de helicópteros britânicos referente a requisições, organização e planos básico num novo conceito de aeronaves rotores chamado de ‘Vision 2020’, o qual pode significar o fim do desenvolvimento e da produção do AgustaWestland EH101 Merlin no Reino Unido.

A peça central desse novo plano é a derrubada no programa de US$ 4,1 bilhão do Futuro Helicóptero Médio de Suporte, o qual estava sendo aguardado o lançamento da competição para compra de 50 novos helicópteros NH90 ou Merlin. Os chefes militares do Reino Unido agora direcionam uma parte da verba para compra de mais de 30 helicópteros de carga Boeing CH-47 Chinook na metade da próxima década, para levar a frota de Chinook no Reino Unido para cerca de 70 aeronaves.

Os governantes reportaram que está adiantado o negócio da compra dos helicópteros Chinook, devendo ser investido cerca de US$ 990 milhões, devido a contínua falta de helicópteros no Afeganistão, tão cobrada pelas forças armadas. Junto com o quase fechado contrato dos Chinook, também vem uma proposta para aumentar a vida útil e operacional da frota de helicópteros Westland Sea King HC.4 o que permitirá manter algumas bases ainda operacionais.

Sobre o ‘Vision 2020’, uma das maiores mudanças na base de helicópteros do Reino Unido deverá ocorrer na Royal Air Force (RAF), onde os helicópteros de transporte AgustaWestland Merlin HC.3/3A serão todos transferidos para Royal Navy, a marinha britânica.

Fotos tiradas pela Royal Air Force são divulgadas pela primeira vez

0
A imagem tirada no momento da invasão aliada no Dia D, em 6 de junho de 1944.
A imagem tirada no momento da invasão aliada no Dia D, em 6 de junho de 1944.

Quatro mil fotos tiradas pela força aérea britânica (RAF) durante o século XX foram divulgadas pela primeira vez no site da Coleção Nacional de Fotografia Aérea do Reino Unido. Trata-se do primeiro passo para a publicação das 10 milhões de imagens arquivadas, que mostram, ainda prisioneiros de guerra realizando trabalhos forçados, forte bombardeios, imagens da Crise do Canal Suez em 1956, entre outros.

Imagem aérea de uma pequena parte da Operação Market Garden em Setembro de 1944. Vários planadores podem ser vistos no solo.
Imagem aérea de uma pequena parte da Operação Market Garden em Setembro de 1944. Vários planadores podem ser vistos no solo.

De Berlim, em 1941, e Amsterdã em 1942, a Roma, em 1944, os internautas terão acesso às impressionantes imagens aéreas das principais cidades europeias. Locais como o Portão de Brandembrugo e o Aeroporto de Tempelhof, ambos em Berlim, além da Torre Eiffel Tower, em Paris, e o Coliseu, em Roma, são claramente visíveis nas cópias digitais das fotos tiradas durante a guerra.

A coleção completa pode ser vista no site: http://aerial.rcahms.gov.uk/.

Fonte: O Globo

Primeiro helicóptero formado por tripulação toda feminina pronto para ação no Afeganistão

0

Merlin, da Royal Air Force, em ação no Afeganistão
Merlin, da Royal Air Force, em ação no Afeganistão

A RAF (Royal Air Force) está pronta para voar com um helicóptero de combate Merlin, formado por uma tripulação somente de mulheres, em ação na região sul do Afeganistão.

As quatro mulheres deverão voar um número de missões transportando tropas e suprimentos para a frente de batalha contra o Talibã, em Helmand. Elas também farão a evacuação de feridos para o hospital em Camp Bastion.

From left: Stephanie Cole, Michelle Goodman, Joanna Watkinson and Wendy Donald at their US training base
Da esquerda: Stephanie Cole, Michelle Goodman, Joanna Watkinson e Wendy Donald na base de treinamento de El Centro, nos EUA

A tripulação do Merlin, que inclui a Tenente de Voo Michelle Goodman, 32 anos, de Bristol, a primeira mulher a receber a medalha Distinguished Flying Cross. Ela e sua co-piloto, a Tenente de Voo Joanna Watkinson, 28 anos, de Reading, se prepararam na Califórnia para as dificuldades de voar no Afeganistão. A umidade relativa do ar, areia em excesso e altas altitudes são vários problemas para as operações com helicópteros.

As mestres de cargas, a Sargento Stephanie Cole, 24 anos, de Wiltshire, e a Sargento Wendy Donald, 31 anos, de Liverpool, também foram treinadas na base norte americana de El Centro. Além da principal missão de garantir que os suprimentos e o transporte de tropas seja adequadamente transportado a bordo, elas devem operar metralhadores de 7,62mm instaladas nas portas.

Todas as quatro esperavam que as atividades no Afegansitão entrariam nas suas carreiras em um determinado momento. Mas a coincidência foi que as quatro mulheres foram destacadas juntas para formar a tripulação de um helicóptero Merlin, pela primeira vez, em Helmand.

As pilotos Goodman e Watkinson estão sendo treinadas para manobras evasivas em voo para despistar mísseis do Talibã, enquanto Cole e Donald praticam suas habilidades com a metralhadora. Todas mulheres sabem do perigo de serem abatidas ou forçadas a pousar a aeronave em território hostil e devem estar preparadas para essa possibilidade.

Goodman, uma veterana de quatro operações no Iraque, disse: “Obviamente nós sempre pensamos que o pior pode acontecer quando estamos no meio de uma operação de risco, mas apenas queremos fazer no nosso melhor trabalho. Se pensarmos no perigo todo tempo, não vamo conseguir cumprir nossa missões com desempenho satisfatório”

Goodman recebeu sua medalha Distinguished Flying Cross em 2008, durante uma operação de resgate de soldados feridos por um morteiro no Iraque. Ela disse que estava esperando algumas brincadeiras da infantaria quando souberam que uma mulher iria buscá-los.

O marido de Watkinson é um navegador da RAF. Seu avô foi um piloto da RAF e sua avó foi uma das primeiras mulheres a ser integrada no exército.

Fonte: Times Online

Nota CavokBlog: a medalha Distinguished Flying Cross é uma condecoração militar outorgada para o pessoal da Royal Air Force, do Reino Unido, por atos de valor, coragem e devoção no cumprimento do dever quando voando em operações ativas contra o inimigo.

Piloto da RAF é o primeiro a atingir 1.000 horas de voo no Typhoon

0

Eurofighter Typhoon da RAF
Eurofighter Typhoon da RAF

Um tenente da Royal Air Force tornou-se o primeiro piloto do mundo a atingir 1.000 horas de voo no Eurofighter Typhoon.

Anthony 'Parky'
Antony 'Parky' Parkinson

Antony ‘Parky’ Parkinson, de 44 anos, pousou seu caça na base da RAF de Coningsby na manhã de sexta-feira, dia 20, e saiu do cockpit tendo alcançado a marca de 1.001 horas de voo no Typhoon, após um voo de treinamento de 90 minutos. Cumprimentado pelos colegas do esquadrão 29, da reserva, Parky disse “é um momento especial ser o primeiro do mundo, e uma histórica marca não só para mim, mas para o Typhoon. Foram cinco anos de voo para alcançar as 1.000 horas – quase exatos cinco anos nesse dia – e é um privilégio ser o primeiro piloto a conseguir isso”.

Parky alistou-se a RAF em 1983, quando tinha 18 anos, e nos últimos 25 anos teve uma sensacional carreira, a qual ele admite teve muita sorte. “Essa é a quarta vez que chego a 1.000 de voo numa mesma aeronave – Eu tinha 1.000 horas no Phantom, depois com o Tornado F3 antes de me unir aos Red Arrows, e completar 1.000 horas no Hawk.”

Ele veio direto do esquadrão Red Arrows para o Typhoon, e além disso, nos últimos 3 anos, voou Spitfires e Hurricanes nos voos do Memorial da Batalha da Inglaterra. “Eu tenho tido tanta sorte. Voar com o esquadrão Red Arrows foi provavelmente o trabalho final – looping e tounneau com nove aeronaves é muito diferente! Algumas coisas são as mesmas, a não ser quando eu estou reabastecendo no ar o Typhoon, ou quando pilotando o Spitfire em formação com um Lancaster – eu visualmente e manualmente tenho que voar as aeronaves – a perícia e o modo de voar são os mesmos para voar o Spitfire, para voar nos Red Arrows ou no Typhoon. Eu provavelmente tenho o melhor trabalho do mundo no momento, voando uma combinação de Typhoon e Spitfire!”

Parky seguiu os passos de seu avô, que voou junto a Royal Flying Corps, na Primeira Guerra Mundial e treinou outros pilotos após o nascimento da RAF em 1918. O dia de trabalho “normal” de Parky é como instrutor da Unidade de Conversão Operacional na base da RAF em Coningsby, ensinando pilotos a voar com o Typhoon. Ele também é um dos pilotos responsáveis da estação de Quick Reaction Alert (QRA), onde os pilotos precisam estar preparados para decolar num tempo mínimo quando dispara o alarme.

“Eu provavelmente não apenas voei com cada um dos mais de 100 pilotos do Typhoon da RAF, mas eu voei nas primeiras versões do caça, e vi a capacidade que foi rapidamente aumentanda nesses cinco anos que voei com esse jato. E foi bem interessante e empolgante ver como essa aeronave se tornou realmente uma plataforma multi-role. O padrão de desempenho do Typhoon é fenômenal, e a tecnologia melhorou demais desde o Spitfire – nós podemos subir a 55.000 pés, e puxar mais de 9 G – e ambos os caças atualmente são agradáveis de se voar, apesar que o Spitfire é mais difícil de se pousar!”

Então qual o próximo desafio para um experiente piloto de caça? “O primeiro piloto a alcançar as 1.000 horas de voo no Typhoon sempre serei eu, e eu estou muito orgulhoso de ter feito isso – por ter alcançado essa marca. A partir de agora, eu estou empolgado por estar voando com o Typhoon e ensinando a próxima geração de pilotos de caça da RAF”.

NOTA: O Typhoon FGR Mk 4 prove para RAF uma capacidade altamente confiável e extremamente ágil de aeronave de combate multi-role, capaz de ser destacada num amplo espectro de operações aéreas, incluindo patrulha aérea e suporte aéreo em áreas de conflito intenso. A produção inicial da aeronave Typhoon foi preparada principalmente como caça de superioridade aérea, mas rapidamente foi equipada com uma capacidade precisa para ataque ao solo. O piloto pode utilizar o recurso de acionar diversos recursos através do comando de voz ou através do sistema HOTAS (Hands-On Throttle and Stick). Combinado com o avançado cockpit e com óculos de visão norturna, o piloto está super equipado para todos aspectos de operações aérea.

Fonte: RAF

Helicópteros Merlin da RAF chegam ao Afeganistão

0
Merlin, da RAF
Merlin, da RAF

O primeiro helicóptero Merlin da RAF (Royal Air Force) chegou no dia 16 de novembro ao Afeganistão, como parte de uma movimentação para aumentar o suporte aéreo na frente de batalha, conforme anunciando pelo Ministério da Defesa do Reino Unido.

O destacamento completo de helicópteros Merlin para o Afeganistão terminará no final desse ano, provendo um aumento significativo de helicópteros militares do Reino Unido e também na quantidade de horas de voo disponíveis para os comandos no solo. Os Merlin da RAF irão atuar numa ampla gama de tarefas militares, trazendo um ativo importante para as forças militares da região.

Merlin da RAF sendo desembarcado de um C-17
Merlin da RAF sendo desembarcado de um C-17

Os helicópteros serão parcialmente desmontados e trazidos a bordo de aeronaves C-17 Globemaster III da RAF, a partir da base de Brize Norton e chegarão na base de Camp Bastion para remontagem e uma extensiva checagem antes de voar nos céus afegãos.

Os esquadrões de Merlin retornaram das operações no Iraque em agosto de 2009, e as tripulações desde então passaram por um intensivo treinamento antes do deslocamento, aguardando as aeronaves receberem significativas melhorias para estarem aptas no ambiente hostil do Afeganistão.

O site Cavok divulgou anteriormente a finalização do treinamento dos pilotos, no dia 08 de novembro. Você poderá ler a notícia aqui.

Fonte: Royal Air Force

Primeira mulher na equipe aérea Red Arrows

0
Tenente Kirsty Moore, do Esquadrão Red Arrows
Tenente Kirsty Moore, do Esquadrão Red Arrows

A primeira mulher no comando de um Hawk no esquadrão Red Arrows assumiu seu posto na nova formação 2010 na mundialmente renomada esquadrilha oficial da Royal Air Force. A nova formação foi revelada na terça-feira, dia 17, na base aérea da RAF em Scampton, e inclui a Tenente Kirsty Moore (Red Arrow 3).

A Tenente Moore estudou mestrado em Engenharia Aeronáutica na Imperial College, em Londres, mas antes lançou sua carreira na aviação através da Air League Educational Trust. Ela subsequentemente tornou-se membro do Esquadrão Aéreo da Universidade de Londres antes de se unir a Royal Air Force em 1998.

Seguindo seu treinamento de voo, a Tenente Moore passou três anos como instrutora de voo qualificada, ensinando os estudantes técnicas avançadas de voo em jatos de treinamento na base aérea da RAF, em Valley. A tenente Moore foi então deslocada para o XIII Esquadrão, baseada na base aérea da RAF, em Marham, onde ela voava o caça Tornado GR4, servindo em duas operações no Iraque apoiando os britãnicos e os americanos, e a forças no solo que atuavam no Iraque.

Tanto como a histórica entrada da primeira mulher no esquadrão Red Arrows, também unis-se a equipe de 2010 o novo Oficial Comandante e Lider do Esquadrão, Ben Murphy (Red 1), e o Tenente Ben Plank (Red 2).

Fonte: Red Arrows Demonstration Team

Tripulações dos helicópteros Merlin da RAF estão prontos para ir ao Afeganistão

1
Merlin da Royal Air Force
Merlin da Royal Air Force

As primeiras tripulações de helicópteros Merlin da RAF estão prontas para se deslocar para o Afeganistão após uma preparação feita numa base norte americana.

Os helicópteros Merlin, da Base Aérea da RAF de Benson Oxfordshire, serão deslocados para o Afeganistão assim que possível, onde irão prover o suporte as operações terrestres e aumentar a capacidade de carga dos helicópteros do Reino Unido, já em território afegão, em 25%.

A Base Naval de El Centro, na Califórnia, foi a base da Marinha norte americana escolhida para efetuar esse treinamento e acomodou as tripulações dos Esquadrões 28 e 78. Eles foram treinados apenas para o desafio de operação no cenário encontrado no Afeganistão: calor intenso, altas temperaturas e muita areia.

A frota inteira de Merlin da RAF está em processo de modernização, num programa que custou 45 milhões de libras. Essa modernização vai permitir que os helicópteros operem nessas condições severas e proteger contra ameaças inimigas. As modificações incluem novas pás para o rotor, para operações com calor intenso e altas temperaturas e novas blindagens contra possíveis ataques de inimigos.

Os helicópteros Merlin podem carregar mais de 20 soldados e prover capacidade adicional aos helicópteros Chinook e Lynx da RAF.

O pessoal do Esquadrão 78 já se encontra no Afeganistão preparando a chegada dos primeiros helicópteros, o que está previsto para o final desse ano.

Começa a montagem do primeiro JSF do Reino Unido

0

A Northrop Grumman começou a montagem do fuselagem central para o primeiro F-35 Joint Strike Fighter para o Reino Unido, na fábrica de Palmdale, Califórnia.

Detalhe da peça do JSF
Detalhe da peça do JSF

Os membros do time JSF disseram que atingiram esse momento três dias antes do previsto, quando moveram um duto da entrada de ar, feito de material composto, para a aeronave BK-1 STOL/VTOL (short take-off and vertical landing), no dia 26 de outubro.

Cavok nas redes sociais

62,399FãsCurtir
340Inscritos+1
6,413SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,780InscritosInscrever
Anúncios