Tags Post com a tag "Rússia"

Tag: Rússia

Caça Su-27 se acidenta no extremo oriente da Rússia

0
Sukhoi Su-27 Flanker da Força Aérea da Rússia

Um caça Sukhoi Su-27 Flanker da Força Aérea da Rússia desapareceu no dia 14, no extremo oriente da Rússia, informou o Ministério da Defesa. No dia 15, sexta-feira, os destroços foram encontrados por equipes de resgate numa região próxima a cidade de Galichny, cerca de 20 km ao norte de Komsomolsk-on-Amur.

Destroços do Su-27 encontrados pelas equipes de resgate

O avião tinha decolado do aeroporto de Dzemga, perto da cidade extremo-oriental de Komsomolsk-on-Amur, para realizar um voo de treinamento, e desapareceu dos radares às 4:27 do dia 14 (horário de Brasília), explicou um porta-voz ministerial às agências russas.

O caça, pilotado por um tripulante “muito experiente”, segundo dados prévios, desapareceu a cerca de 30 quilômetros do aeroporto e continua sendo procurado por vários helicópteros das unidades militares de resgate, disse o funcionário.

Cerca de 450 caças Su-27 foram construídos para Força Aérea da Rússia desde 1984, e cerca de 200 jatos foram exportados para outros países, incluindo China, Indonésia, Angola e algumas nações da extinta União Soviética.

Os caças Su-27 da Rússia foram usados para o controle do espaço aéreo sobre Tskhinvali, a capital da Odéssia do Sul, durante a breve guerra com a Geórgia em agosto de 2008.

No dia 30 de agosto de 2009, um caça Su-27 da Força Aérea da Bielorrússia caiu quando estava efetuando manobras acrobáticas num show aéreo na Polônia, matando os pilotos.

Dois caças Su-27 também colidiram esse ano quando o esquadrão de demonstração aérea Russian Knights estava ensaiando para o show aéreo MAKS 2009 nas vizinhanças de Moscou. O comandante do esquadrão, Col. Igor Tkachenko, morreu no acidente, enquanto outros dois pilotos ejetaram e sofreram ferimentos leves devido a colisão.

Fonte: RIA Novosti – Tradução e Adaptação do texto: Cavok

Anúncios

China compra motores a jato da Rússia para seu caça FC-1

1
Caça FC-1 da China

A China, como não encontrou um fornecedor ocidental para motores a jato, decidiu comprar motores russos para equipar seu caça multimissão FC (Fighter China)-1 Xiaolong, um rival comercial do MiG-29 da Rússia nos países em desenvolvimento.

No final de dezembro de 2009, o exportador de armas da Rússia, a Rosoboronexport, assinou um contrato com a China para fornecer 43 motores RD-93, uma modificação dos motores RD-33 que equipam os caças MiG-29.

Motor a jato Klimov RD-93 fabricado na Rússia

A Aviaport, uma agência de notícias da indústria aeronáutica da Rússia, divulgou na segunda-feira, dia 11, que a China deveria receber seus motores no final do ano e que os primeiros 25 motores foram fabricados na empresa de engenharia mecânica de Chernyshev, em Moscou. A agência disse que outro contrato poderá ser assinado em maio para mais 100 motores do mesmo modelo.

Um gerente de uma das fabricantes dos motores a jato da Rússia disse em dezembro que o contrato está avaliado em US$160 milhões.

Os motores serão montados nos caças FC-1, os quais a China está fabricando para exportação. Ela assinou o primeiro contrato para 150 aeronaves do tipo para o Paquistão, onde o jato está sendo montado.

JF-17 Thunder, versão do FC-1 no Paquistão

Um mais complicado e caro caça projetado para Força Aérea da China nas últimas duas décadas, o J-10, também possui um motor russo, o AL-31FN. O último contrato para entrega de 122 motores desse tipo, avaliado em aproximadamente US$500 milhões, foi assinado em janeiro de 2009.

O caça FC-1 é o maior rival comercial do caça russo MiG-29 Fulcrum nos países em desenvolvimento. Todavia, o caça russo venceu a primeira competição direta na Birmânia, a qual decidiu comprar 20 caças MiG-29 por US$ 572 milhões em dezembro de 2009 mesmo após a China ter oferecido melhores termos para uma entrega mista de caças FC-1 e J-10. Essa venda para Birmânia foi divulgada aqui no Cavok.

O FC-1 (Fighter China-1) Xiaolong é o resultado de um trabalho conjunto entre a China e o Paquistão num programa de desenvolvimento que iniciou em 1999, com cada país contribuíndo com 50% dos custos do desenvolvimento.

Força Aérea da Rússia receberá novas aeronaves de transporte An-124 em 2014

0
Antonov An-124 Ruslan

A Força Aérea da Rússia começará a receber as novas aeronaves de transporte pesado An-124 Ruslan (Condor) do fabricante United Aircraft Corporation (UAC) em 2014.

A UAC wproduzirá 20 aeronaves An-124 Ruslan, cada uma custando US$ 200 milhões, até 2020,como parte do programa de fornecimento de armas do estado.

A terceira maior aeronave de carga do mundo, após o An-225 e o Airbus A380F, o An-124 Ruslan tem uma capacidade máxima de carga de 150t com um alcance de cerca de 3.000km.

Comparativo dos tamanhos entre o An-124, o An-225 e o A380.

O Ministro da Defesa reativou a produção normal do An-124, o qual podeá ser usado tanto para uso civil como propósitos militares. Detalhes dessa informação pode ser visto aqui no Cavok.

Em abril de 2008, a Rússia e a Ucrânia assinaram um acordo preliminar que seria reaberta a linha de produção da aeronaves An-124.

Fonte: RIA Novosti – Tradução e Adaptação do texto: Cavok

IMAGENS: Primeiro voo comercial do novo avião regional russo An-148

0
An-148 na chegada ao aeroporto de Domodedovo

O Antonov An-148 é o primeiro jato regional de passageiros produzido em quantidade na Rússia na Fábrica de Aeronaves de Voronezh – VASO) nos últimos 20 anos . A aeronave foi vendida através de contrato de leasing para STC Rossiya através do principal fornecedor de novas aeronaves civis da Rússia, a Ilyushin Finance (IFC), no dia 1º de outubro de 2009. A primeira apresentação da aeronave russa An-148 ocorreu no MAKS 2009 em agosto.

Momento da chegada do primeiro voo comercial do An-148

O primeiro voo de passageiros do An-148 é um singnificante evento para indústria de aviação da Rússia. A aeronave se tornou o único projeto implementado nas últimas duas décadas através de esforços entre os projetistas da Rússia e Ucrânia para produção em massa. Foram consumidos seis anos para implementar o projeto do An-148. Houve ainda a parceria entre a Antonov Design Bureau (Ucrânia) e fornecedores de componentes. O projeto do An-148 teve investimentos de cerca de US$ 400 milhões.

A companhia aérea STC Rossiya eventualmente vai adquirir seis aeronaves An-148-100 na configuração de 68 passageiros (oito na classe executiva e 60 na classe econômica). As aeronaves substituirão as aeronaves Boeing 737-500 atualmente em operação.

O Aeroporto Domodedovo de Moscou – o líder no mercado de aviação doméstico da Rússia – foi escolhido como destino para o primeiro voo comercial do An-148.

Interior do An-148 da STC Rossiya

O An-148 é uma aeronave de passageiros projetada para rotas regionais e de trechos curtos de até 5.100 km de distância. Uma vantagem da aeronave é a capacidade de operar em pistas pavimentadas, bem como em pistas preparadas não asfaltadas, localizadas em altitudes maiores de 1.500 metros do nível do mar, em todas condições de tempo. A velocidade de cruzeiro fica entre 780-850 km/h voando numa altitude em torno de 40.000 pés (12.200 metros).

Cabine de comando do An-148

Equipamentos modernos de rádio-navegação, indicadores multifunção e sistemas elétricos remotos de controle de voo permitem que a aeronave opere em qualquer rota de voo incluindo aquelas com alta intensidade, em condições normais ou de tempo severo, em voos diurnos ou noturnos.

Momento do desembarque dos passageiros no aeroporto de Domodedovo

Além da vantagem de operar em pistas de pouso não asfaltadas, possui outra vantagem de permitir o embarque e desembarque de passageiros através de uma escada adaptada na porta de entrada da aeronave, não necessitando de equipamentos especiais nos aeródromos em que opera. Além disso possui baixo consumo de combustível, comparado a outras aeronaves, além de ter um custo acessível de aquisição para pequenas empresas regionais.

O aeroporto de Domodedovo é um dos maiores da Rússia e da Europa Ocidental, sendo o número um da Rússia em termos de tráfego de passageiros. Em 2008 o aeroporto de Domodedovo teve um fluxo de mais de 20 milhões de passageiros.

Força Aérea da Rússia deverá receber os novos aviões de transporte Il-476 em 2012

0
Ilyushin Il-76 'Candid' que deverá ser substituído a partir de 2012 pelos novos Il-476 (Foto: Richard Seaman / The Flying Kiwi)

A Força Aérea da Rússia, na intenção de substituir seus aviões Il-76, começará a receber os novos aviões de transporte Il-476 em 2012, informou na sexta-feira, dia 1º, o comandante da aviação de transporte da Força Aérea da Rússia, Tenente General Viktor Kachalkin.

Maquete do Il-476, vista ao lado de outros dois projetos de aeronaves da Ilyushin: o Il-112V e o Il-214.

O Il-476, a quarta geração do Il-76, é uma versão com significativa modernização do avião de transporte russo Il-76 ‘Candid’, apresentando um sistema de controle de voo totalmente digital, novos aviônicos e motores PS-90A-76 com melhorias nos sistemas de combustíveis melhorando a eficiência no consumo.

A aeronave será construída na empresa baseada nos Urais, a Aviastar-SP.

O Ministério da Defesa da Rússia planeja adquirir pelo menos 38 aeronaves Il-476 nas versões de carga e reabastecimento aéreo, de acordo com as exigências do programa de aquisição de armas no período de 2011-2020.

Comparativo entre o Il-76 e o novo Il-476

De acordo com várias fonte, existem mais de 300 aeronaves de transporte em serviço na Força Aérea da Rússia, incluindo aeronaves An-12 ‘Cub’, An-72 ‘Coaler’, An-22 ‘Cock’, An-124 ‘Condor’ e Il-76 ‘Candid’. A maioria das aeronaves entraram em serviço nas décadas de 1960 e 1970 e são considerados ultrapassados pelas modernas normas de segurança e controle de ruído.

Fonte: RIA Novosti – Tradução: Cavok

Rússia começa os testes do novo caça stealth PAK FA Sukhoi T-50

0
Concepção artística do novo caça PAK FA Sukhoi T-50 da Rússia, em parceria com a Índia

A Rússia iniciou os testes de seu futurista caça stealth de quinta geração, um projeto no qual a Índia é parceira, se preparando para competir com o recente caça norte americano F-22 Raptor.

O caça supersônico de quinta geração PAK-FA T-50, com um alcance estimado de 5.500 km, está programado para entrar em serviço na Força Aérea da Rússia em 2015. Antes de seu primeiro voo programado para este mês, os primeiros testes de táxi e de corrida na pista foram feitos no final de dezembro de 2009, conforme reportado por funcionários da empresa russa KNAAPO.

O caça norte americano F-22 é o único caça de quinta geração atualmente em operação. O PAK FA competirá com o F-22 Raptor e com o também norte americano F-35 Lightning II.

O primeiro protótipo da aeronave PAK FA fez sua primeira rolagem para pista da fábrica de aeronaves KNAAPO em Komsomolsk-on-Amur, no extremo leste da Rússia. O piloto de testes acionou os motores e fez duas corridas na pista, durante as quais os freios foram aplicados várias vezes.

Anteriormente, o vice premier Sergei Ivanov havia dito que os testes deveriam iniciar em dezembro de 2009 ou janeiro de 2010, e a Força Aérea da Rússia planejava coloca-lo em operação no início de 2015, conforme divulgado aqui no Cavok.

Sob um acordo assinado em outubro de 2007, a Índia se uniu a Rússia no projeto baseado no PAK FA da Sukhoi, e as duas nações estão negociando o contrato comercial final do acordo, entre a empresa Rússia Sukhoi e a empresa da Índia HAL.

Pelo menos três protótipos da aeronave forma feitos pela unidada de aeronaves da KNAAPO, e várias equipes da Índia visitaram a unidade que fabricará o novo caça, na região fronteira com a China.

Rússia deverá vender caças MiG-29 para Birmânia

0
MiG-29 da Birmânia (Foto: M Radzi Desa / Airliners.net)

A agência de notícias Reuters informou que a Rússia fez um acordo para vender 20 caças MiG-29 para Birmânia num negócio avaliado em US$572,2 milhões.

A Reuters afirma que a informação veio do jornal russo Kommersant através de fontes da Rosoboronexport, uma indústria de defesa da Rússia e que os caças MiG-29 foram escolhidos no lugar dos novos caças chineses J-10.

Segundo o jornal russo, “é o principal contrato para fornecer aeronaves deste tipo após a ruptura de uma transação similar com a Argélia em 2007”.

O país Birmânia, antigamente Burma, é governado por militares do Conselho Estadual de Desenvolvimento e Paz, no poder desde que o General Ne Win liderou um golpe em 1962, derrubando o governo civil.

A Força Aérea da Birmânia já opera dez caças MiG-29 em serviço desde dezembro de 2002 – as aeronaves foram originalmente fabricadas para o  Iraque, mas sujeitas ao embargo foram consequentemente revendidas. Os caças operam a partir da Base Aérea de Shante, próximo a Meiktila. Esses caças que foram vendidos para Birmânia em 2001, deverão passar por reformas e posteriormente deverão ser modernizados

Fonte: Reuters – Tradução e Adaptação do Texto: Cavok

Anúncios