Caças Typhoon da RAF taxam na Base Aérea de Keflavik, Islândia. (Foto: RAF)

Quatro caças a jato Typhoon deixaram a Islândia quando a Royal Air Force (RAF) concluiu sua primeira missão de policiamento aéreo da OTAN no país.

Segundo a Royal Air Force, esta foi a primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial que um esquadrão de caças da RAF ficou sediado na Islândia, perto do Círculo Polar Ártico.

“O destacamento da RAF fazia parte da missão em andamento de policiamento aéreo que a OTAN realiza a pedido da Islândia, um país cinco vezes maior que o País de Gales, mas com uma população de apenas 360.000 pessoas e nenhuma força militar”.

O comandante de ala Mark Baker, do Esquadrão 1 (de caça), disse: “Atingimos a missão, em primeiro lugar, de garantir a integridade do espaço aéreo da OTAN. Acho que também desenvolvemos excelentes relacionamentos com o povo da Islândia.”

Gudlaugur Thór Thórdarson, Ministro dos Negócios Estrangeiros da Islândia, disse: “É seguro dizer que esta primeira missão de policiamento aéreo da OTAN da RAF na Islândia foi um sucesso. Agradecemos o apoio de um aliado e vizinho de confiança e esperamos receber as RAF de volta para sua próxima missão na Islândia.”

Além de estarem 24 horas em stand-by para embarcar em resposta a aeronaves não identificadas que voam para o espaço aéreo islandês, os Typhoons fizeram 59 missões de treinamento e mais de 180 interceptações práticas.

Anúncios