O S-A1, desenvolvido pela Hyundai em parceria com a Uber, apresentado na CES 2020 em Las Vegas.

A gigante Uber e a montadora sul-coreana Hyundai Motor formaram uma parceria para desenvolver táxis aéreos elétricos para uma futura rede de compartilhamento de viagens aéreas que visa diminuir o congestionamento urbano.

As duas empresas revelaram um novo conceito de aeronave em escala real na Consumer Electronics Show ou CES em Las Vegas.

O projeto de táxi aéreo da Uber, Uber Elevate, estava previsto iniciar as demonstrações de voo este ano e disponibilizar comercialmente o serviço aos passageiros em 2023.

A Hyundai disse que trabalhou com o Uber Elevate para desenvolver e revelar um modelo de veículo aéreo pessoal ou PAV, o S-A1, projetado para otimizar o eVTOL ou aeronaves de decolagem e aterrissagem vertical elétrica para fins de compartilhamento de passeios aéreos.

O conceito de veículo aéreo foi criado parcialmente pelo processo de design aberto do Uber.

A Hyundai é a primeira montadora a aderir à iniciativa Uber Elevate, oferecendo capacidade de fabricação em escala automotiva e histórico de veículos elétricos produzidos em massa.

A Uber Elevate também firmou parcerias com a Aurora Flight Sciences, que agora é uma subsidiária da Boeing, Bell, Embraer, Joby Aviation, Pipistrel Aircraft, Karem Aircraft e Jaunt Air Mobility.

A Hyundai disse que, sob a parceria com a Uber, produzirá e implantará os veículos aéreos, enquanto a Uber fornecerá serviços de suporte ao espaço aéreo, conexões com transporte terrestre e interfaces com os clientes por meio de uma rede de compartilhamento de passeio aéreo.

“Nossa visão da mobilidade aérea urbana transformará o conceito de transporte urbano. Esperamos que a UAM vitalize as comunidades urbanas e forneça mais tempo de qualidade às pessoas”, disse Jaiwon Shin, vice-presidente executivo e chefe da divisão de mobilidade aérea urbana ou UAM da Hyundai.

A Hyundai disse que seu novo modelo foi projetado para uma velocidade de cruzeiro de até 180 milhas por hora, uma altitude de cerca de 1.000 a 2.000 pés acima do solo e para viagens de até 60 milhas.

O veículo totalmente elétrico utiliza propulsão elétrica distribuída e precisará de cinco a sete minutos para recarregar durante o horário de pico. A cabine possui quatro assentos para passageiros.

O modelo foi projetado para decolar verticalmente, fazer a transição para o voo horizontal voando em velocidade de cruzeiro e novamente fazer a transição para o voo vertical para pousar. Enquanto o veículo exigirá inicialmente um piloto humano, ele se tornará autônomo ao longo do tempo, disse a Hyundai.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Show agora é saber como vai ser o funcionamento pra se tornar piloto, já sou candidato rsrs, temos que parar de usar combustível fóssil pois isso é um atraso para a humanidade depois de ter tantas formas de conseguir energia que não prejudique a natureza. Outro dia estava lendo sobre novas pesquisas de motores e seus tipos diferentes e notei um certo comodismo nas reportagens do tipo que nós já temos como nos locomover então não vou investir muito em algo novo a não ser que seja super rentável, este tipo de pensamento esta nos atrasando pois em vez de investir bilhões de dólares em desenvolvimento e aprimoramento de novos motores a combustão deveria ser investido em outros motores que não poluem e tem um rendimento muito maior, lendo uma outra reportagem sobre aproveitamento da energia gerada eu li também que um motor a combustão de carro aproveita mais ou menos uns 30% do potencial energético do combustível e que se fosse movido a energia elétrica o aproveitamento seria de mais de 90%, bom faz tempo que li isso e não me lembro bem dos números mas isso mostra o quanto estamos jogando energia fora, quem tiver notícias mais atuais sobre o assunto favor deixar comentário pois estas algumas notícias faz mais de 5 anos que li e muita coisa mudou depois disso.