Um B-52 Stratofortress libera a mina naval Quickstrike-ER (QS-ER) enquanto voava sobre o Oceano Pacífico, no dia 30 de maio de 219. (Foto: U.S. Air Force / Mass Communications Specialist 1st Class Holly L. Herline)

Um bombardeiro estratégico B-52 Stratofortress da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) realizou no dia 30 de maio uma demonstração operacional do projeto de mina naval Quickstrike-ER (QS-ER) no Oceano Pacífico.

O bombardeiro B-52 decolou da Base Conjunta Pearl Harbor-Hickam, no Havaí, e lançou quatro formas de minas inertes QS64-ER de 2000 libras em um local de águas rasas remotas da Área de Testes de Mísseis do Pacífico (PMRF, Pacific Missile Range Facility). A PMRF é o maior campo de testes multidimensionais instrumentados e de treinamento de mísseis do mundo.

O bombardeiro usado para a demonstração pertence ao 49º Esquadrão de Testes e Avaliação da USAF, com sede na Base da Força Aérea de Barksdale, Louisiana.

“O B-52 é uma estrutura ideal para testar o QS64-ER, já que tem a capacidade de transportar múltiplas unidades, bem como a velocidade e o alcance necessários para suportar este projeto conjunto”, disse o tenente-coronel Joseph Little, comandante do 49º TES.

O Quickstrike 64-ER é uma mina lançada em voo e equipada com uma mina naval MK64 Quickstrike de 2000 lbs. O Quickstrike é uma bomba de uso geral Mark 80-series com o fusível substituído por um dispositivo de detecção de alvo (TDD) para detoná-lo quando um navio passa dentro do alcance letal, um dispositivo de segurança no nariz e um kit de pára-quedas as costas.

“O esforço do projeto da mina naval foi liderado pelo Comando dos EUA no Indo-Pacífico (USINDOPACOM) para atender às exigências da região”, disse Little.

“A atual tecnologia de minas, embora eficaz, permaneceu praticamente inalterada desde a Segunda Guerra Mundial”, disse o Dr. George Ka’iliwai III, Diretor de Requisitos e Recursos do USINDOPACOM. “Essas inovações e capacidades no projeto QS-ER permitirão que nossas forças gerem campos de minas mais eficazes a partir de faixas mais longas e mais rapidamente do que nunca”.

O projeto da mina naval é parte de um esforço conjunto de dois anos para desenvolver, testar e demonstrar operacionalmente as capacidades do QS64-ER que combina a tecnologia Joint Direct Attack Munitions (JDAM) e um kit de asas adicional e seção de bateria com componentes de mina existentes. Isso permite que ele seja entregue a longa distância e alta altitude, o que reduz significativamente o risco para a aeronave”.

“Esta mina marítima lançada em voo é compatível, interoperável e pode ser empregada por praticamente qualquer aeronave habilitada para JDAM, incluindo parceiros estrangeiros”, disse Ka’iliwai. “Essas capacidades servirão como um impedimento significativo em tempo de paz e uma ferramenta operacional e estratégica eficaz em tempo de guerra.”

Esta é a demonstração final e maior do projeto de mina naval Quickstrike 64-ER, que foi “iniciado pelo Comando Indo-Pacífico dos EUA (USINDOPACOM) como parte dos esforços contínuos para modernizar e melhorar a prontidão militar em todas as forças conjuntas da região do Indo-Pacífico”.

Minas Quickstrike

Um B-52 Stratofortress, atribuído ao 49º Esquadrão de Teste e Avaliação da Base da Força Aérea de Barksdale, Louisiana, se prepara para uma demonstração operacional do projeto de mina naval Quickstrike-ER (QS-ER) na Plataforma de Mísseis do Pacífico, a partir da Base Conjunta Pearl Harbor-Hickam, Havaí, no dia 28 de maio de 2019. (Foto: U.S. Air Force / Tech. Sgt. Heather Redman)

A Força Aérea dos EUA realizou o primeiro lançamento de uma mina aérea guiada de precisão, consistindo de uma mina Quickstrike equipada com um kit JDAM, em 23 de setembro de 2014.

A mina marítima de precisão Quickstrike-J é uma versão de 1.000 libras ou 2.000 libras equipada com JDAM, enquanto a mina marítima de precisão GBU-62B (V-1)/B Quickstrike-ER é uma versão de 500 lb ou 2.000 lb baseada na JDAM-ER, que tem um alcance de 74 km quando lançado a partir de 35.000 pés (11.000 m).

Anúncios