O F-21 é a proposta da empresa para a Força Aérea Indiana. (Ilustração: Lockheed Martin)

Nesta quarta-feira, a Lockheed Martin de forma surpreendente revelou o F-21, seu mais ‘novo’ caça, do qual a empresa está propondo para a Força Aérea Indiana (IAF).

Especificamente configurado para a Força Aérea Indiana, o F-21 oferece oportunidades ‘Make in India’ inigualáveis e fortalece o caminho da Índia para um poder aéreo avançado futuro“, disse a Lockheed em um comunicado.

O F-21 é uma oportunidade ‘Make in India’ sem precedente, combinando a força da Lockheed Martin, a maior empreiteira de defesa do mundo, e a Tata, a principal casa industrial da Índia, para proporcionar uma vitória histórica para os EUA e a Índia“, disse a Lockheed.

Obviamente, o F-21 não é nenhum caça novo, mas sim uma nova variante do já antigo F-16 desenvolvida para as necessidades “únicas” da Índia, com um novo nome possivelmente por questões de marketing.

O F-21 teria uma sonda de reabastecimento aéreo e um novo cockpit. (Ilustração: Lockheed Martin)

No vídeo divulgado no YouTube, pode-se observar que o cockpit do novo jato parece seguir uma filosofia similar a do caça de quinta geração F-35, com um único display panorâmico sensível ao toque.

O F-21 tem componentes e aprendizados comuns dos caças de 5ª Geração F-22 e F-35 da Lockheed Martin e compartilhará uma cadeia de suprimentos comum em uma variedade de componentes. Aproximadamente metade das cadeias de suprimento do F-21 e do F-16 são comuns com o F-22 e o F-35“, afirmou a empresa no comunicado.

Além disso, o F-21 teria um sistema de reabastecimento aéreo probe-and-drogue, aparentemente bem similar ao sistema Conformal Air Refueling Tanker/System (CARTS), desenvolvido para a competição Medium Multi-Role Combat Aircraft (MMRCA) da Índia, do qual a sonda de reabastecimento era um requisito.

Sistema Conformal Air Refueling Tanker/System, desenvolvido anteriormente para o programa MMRCA da Índia.

Outro ponto interessante a ser citado é que a designação “F-21” já foi usada anteriormente pela Marinha dos EUA para seus caças Kfir, o que levanta questões sobre como a Lockheed escolheu tal designação para o caça.

Além de criar milhares de novos empregos para a indústria indiana, a produção de F-21 na Índia suporta milhares de empregos de fornecedores dos EUA, incluindo centenas de posições da Lockheed Martin de engenharia, gerenciamento de programas, manutenção e suporte ao cliente nos EUA,” diz a empresa.

Anúncios

23 COMENTÁRIOS

  1. Sugiro o nome "F-crash-seis" se entrar em serviço na Força Aérea Indiana.

  2. Esperta a LM, como o avião vai ser operado por indianos, mudaram o nome pra não prejudicar o legado do F-16 rs…

  3. Deus do céu. F-16 repaginado virou F-21. Só pra Indiano mesmo. A Índia deveria ampliar suas encomendas de Rafale e migrar rapidamente para o F-35. Parece que dinheiro não é problema para eles.

    • Índia já está desenvolvendo seu 5° (AMCA) saiu na mídia local que o primeiro protótipo ira voar em 2025 com motor GE F414, acho dificil eles querer F 35 , não quiseram antes ,agora impossível…

      • Talvez em 2200 esse caça esteja pronto! A Índia se uniu (ou ao menos tentou) com os Russos para desenvolver conjuntamente um caça de 5ª geração justamente porque não tem competência técnica para tal, a condução do projeto Tejas deixou isso bem claro!
        Aliás vamos lembrar que há diferenças sensíveis do que o Tejas deveria ser e do que ele é hoje, e todas essas diferenças não somaram nenhuma capacidade ao mesmo, pelo contrário, só subtraíram!
        Na minha opinião eu acho difícil o F-35 voar com as cores Indianas devido a proximidade que ele tem com a Rússia. Oferecer um F-16 personalizado é uma coisa, oferecer o resultado do maior projeto de compra de armas americano eu acho bem difícil, aliás.. caso isso ocorresse pode ter certeza que o F-35 Indiano seria bem diferente dos F-35 dos reais parceiros americanos e pode ter certeza que haveria pressão dos participantes do projeto para que assim fosse, e cá entre nós, nem precisaria, pois os americanos são bem sagazes, eles sabem aonde pisam.
        Agora que esse F-16 personalizado viria grampeado, disso eu não tenho a menor dúvida! Aliás isso já foi debatido aqui tempos atrás, os ianques malvadis tem tecnologia de sobra para fazer isso. Fora que a força aérea indiana passaria a dançar conforme a valsa americana e quem ditaria o ritmo seria o congresso e o senado americano que iria aprovar ou não a venda posterior dos armamentos, das atualizações, enfim… já sabemos que dependendo do que ocorre na política externa os americanos podem ser flexíveis ou não com a venda de seus armamentos e de armamentos que carregam componentes americanos.

  4. Com os erros e acertos de outros projetos a Lockheed Martin deverá fazer este F-21 bem acertado, e com qualidade. Vai ameaçar muitos mercados, com certeza

  5. Pessoal o que é aquele objeto que no vídeo acima, a aeronave liberou segurada por um cabo de aço??? Sabem me dizer?

  6. Os indianos tem resistência ao F16 por ser operado pelo Paquistão. Mudaram o nome para o político dizer a população que está comprando algo melhor.

  7. Só pra indiano ver mesmo. Um F16 block com gambiarras. Coisa sem noção.

  8. Não entrando no mérito do F16 para os Indias, é impressionante o fato de a fab não por o F16 block 60/70 no FX2, de longe a escolha mais racional. É impressionante mas previsível se levar em conta que provavelmente não ia rolar mutreta de sobrepreço e nós sabemos do que é composto o comando da fab.

    *Colocam o F18 e não o F16, jogo de carta marcada.

    • Mas corrige uma deficiência do F-16 que só pode ser reabastecido pelo sistema flying boom, existe este sistema adaptado no tanque conformal, mas as versões antigas do F-16 não aceitam.
      A Indonésia usa o KC130 para REVO do Hawk, F-5 e Su-27/30 e vai ter que comprar o KC-46 ou A330MRTT. para reabastecer o F-16 e também o KF-X no futuro.

  9. Proposta da mesma para vender o F-16 adaptado para a logística da IAF. Indianos caíram nessa são otários que a entrada de ar deste faz qualquer detrito destruir a turbina. Um clip de papel na pista e bum! melhor o Gripen que esse que até a sonda de reabastecimento não se recole.

    • O marketing é feito em função do cliente, se os indianos gostam está bom.

Comments are closed.