Esquilo Harpia 01 do Governo do Acre.

Ninguém saiu ferido com gravidade no acidente ocorrido na manhã deste sábado (18/01), entre o helicóptero Esquilo “Harpia 1”, do Governo do Estado do Acre e um caminhão baú, ainda sem identificação do dono.

Vídeos do acidente mostram o momento que o caminhão baú entra na rotatória para retornar mas mesmo visualizando o helicóptero que estava acionado para decolar é atingido pelas pás do rotor principal, causando um grande estrago no caminhão e destroçado as hélices que naquele momento giravam em alta velocidade. Muitos questionaram o motivo do local de decolagem não estar devidamente isolado ou sinalizado para evitar aproximação de veículos que passavam nas duas vias próximas a rotatória.

Segundo informações coletadas no local, na capital Rio Branco, a equipe do helicóptero (prefixo PR-CJD) estava prestando apoio a policiais militares que faziam operação na região de Belo Jardim, fizeram um pouso na localidade e já estavam de saída quando o acidente aconteceu. Num primeiro momento, não se identifica nenhum cordão de isolamento da área e o que se observa é o trânsito fluindo normalmente.

Segundo o Corpo de Bombeiros, apenas um tripulante da aeronave sofreu ferimentos leves e passa bem.

É possível observar um policial ao lado da aeronave bem na hora do choque, o policial corre para dentro da aeronave. Também aparece um outro policial que possivelmente estava dentro do helicóptero, sentado na grama, ainda assuntado após o ocorrido. Até o momento, as autoridades do estado não se manifestaram sobre o ocorrido.


NOTA DA SEGURANÇA PÚBLICA

O Governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), em decorrência do acidente envolvendo o helicóptero Harpia 01, vem a público esclarecer que:

1. A aeronave estava em atividade, fazendo parte de uma operação orientada pela Secretaria de Segurança Pública, aliada à Operação “Fecha Fronteira”, com o foco de coibir ações criminosas na região do Segundo Distrito de Rio Branco. Com isso, o helicóptero se encontrava em um ponto estratégico que pudesse ter acesso a todos os bairros da capital de maneira rápida e eficaz.

2. O Harpia 01 se preparava para levantar voo em uma barreira policial que reduzia a velocidade de veículos. Havia um tripulante da aeronave realizando todo o procedimento de segurança para a decolagem, quando um caminhão modelo baú se aproximou do local e colidiu com uma das hélices, causando o acidente.

3. Todos os envolvidos no acidente estão fora de perigo ou risco de morte, houve apenas ferimentos leves. Dois tripulantes sofreram algumas lesões, foram encaminhados ao Pronto-Socorro de Rio Branco, juntamente com o motorista do caminhão e o passageiro. Todos estão bem.

4. Uma equipe da Sejusp está acompanhando todos os procedimentos a serem realizados a partir da perícia que deve ocorrer no local do acidente. Para os procedimentos cabíveis que atendem ao protocolo, já foram acionados os órgãos competentes como o Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 7), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), bem como a seguradora da aeronave.

5. Por fim, vale ressaltar que toda a manutenção e documentação da aeronave encontram-se absolutamente regularizadas de acordo com a legislação vigente, bem como todos os contratos da seguradora estão em dia, sendo esta acionada pelo assegurado.

Rio Branco – Acre, 18 de janeiro de 2020.

Ricardo Brandão
Secretário de Justiça e Segurança Pública em Exercício


 

Anúncios

11 COMENTÁRIOS

  1. Não tem nem como questionar de quem é a culpa! Um absurdo a maneira como foi levada a efeito essa operação. Só mesmo no Brasil. Só falta agora, o que não duvido, o estado pedir ressarcimento ao motorista do caminhão.

  2. Acidente que retrata a estupidez misturada com preguiça, negligência, má vontade etc.. etc..
    Será que não passou na cabeça desses estúpidos o MÍNIMO a se fazer em uma situação dessas, que seria um isolamento decente???
    Entre policiais e o caminhoneiro é difícil saber qual parte envolvida é mais tonta.
    Tudo errado aí.. E alguém poderia ter morrido nessa palhaçada.
    Se eu fosse o governador pediria a cabeça de alguém.

  3. Absurdo como os policiais de apoio não apoiaram nada. Essa é a policia bem preparada e profissional do Brasil.
    Rua é para automóveis, não é lugar de aeronave, logo a responsabilidade é da PM, motorista de caminhão ou carro, não entende os perigos e riscos envolvidos em uma operação dessas.

  4. Julgar é fácil, mas ainda creio que o motorista do caminhão não teve culpa. Não estava sabendo da operação, entrou na rotatória sem nunca imaginar que iria deparar com uma aeronave, e digo mais, com aquela carga alta, se freasse bruscamente, bem provável que teria tombado sobre o helicóptero. Foi muita burrice do piloto.

  5. Isso ai é area isolada, transito parado até a aeronave levantar voo seguro. Que falta de capacidade basica dos envolvidos. A vitima disso foi o motorista, que sim podia ter olhado melhor, mas num país como esse, sabemos que a maioria nao tem recursos socio-educacionais para analizar diferentes situaçoes.

  6. O caminhoneiro estava no direito dele. Não tem como ver pás girando em alta velocidade. A incompetência foi dos policiais que não isolaram o local para a operação da aeronave. É bizarro, nem no país das bizarrices, a India, acontece uma coisa dessas.